Ônibus superarticulados acumulam vendas de quase 800 unidades

Publicado em: 29 de janeiro de 2015

ônibus grande

Ônibus superarticulado de 23 metros no Corredor Metropolitano que atende parte da cidade de São Paulo e do ABC Paulista. Considerado alternativa entre os articulados tradicionais e os biarticulados, modelo já se aproxima de 800 unidades vendidas desde o lançamento em 2012. Foto: Adamo Bazani.

Superarticulados acumulam vendas de quase 800 unidades
Veículos de 23 metros têm sido cada vez mais comuns em sistemas de ônibus de maior demanda
ADAMO BAZANI – CBN
Considerados alternativas de capacidade e de dimensões entre os ônibus articulados e os biarticulados (que possuem três carros e duas articulações), os veículos das linhas o 500 UDA (piso baixo) e o 500 MDA (piso convencional), chamados pela fabricante Mercedes-Benz de “superarticulados” têm conquistado uma fatia maior no mercado de urbanos.
De acordo com o presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO para América Latina, Philipp Schiemer, em nota, o superarticulado O 500 acumula cerca de 720 unidades já comercializadas no Brasil desde seu lançamento em 2012.
O número se refere até a primeira quinzena do ano passado. A expectativa é de que o modelo alcance 800 unidades neste início de ano.
Pode parecer pouco, mas é um ônibus grande, equipado, de alto valor e relativamente novo num mercado ainda composto por vários empresários conservadores, bem resistentes a riscos e duvidosos em relação a novidades.
Sistemas de diversas cidades do País, como Rio de Janeiro, São Paulo, Campinas, ABC Paulista, Recife, já fazem uso deste tipo de ônibus.
Os ônibus O 500 UDA re O 500 MDA são indicados para operações em corredores exclusivos simples ou de trânsito rápido, os chamados BRTs – Bus Rapid Transit, mas por serem de um modelo considerado mais flexível, são usados também em vias sem corredores, como ocorre na Capital Paulista.
ENTRE UM E OUTRO:
Os ônibus O 500 UDA ou O 500 MDA não têm a mesma capacidade de transporte de um biarticulado, mas transportam mais que um articulado simples. Foi no tamanho do veículo a principal aposta da Mercedes. Assim como a capacidade o coloca entre os dois outros tipos de ônibus com articulação, ele tem um tamanho intermediário, permitindo, de acordo com a Mercedes, o tráfego em áreas onde não seria possível circular com um tipo maior, como biarticulado.
É o que ocorre com o Corredor Metropolitano ABD, operado pela Metra Sistema de Transporte que liga o bairro do Jabaquara, na zona Sul de São Paulo, ao de São Mateus, na zona Leste, por municípios do ABC Paulista: Santo André, Mauá (Terminal Sônia Maria), São Bernardo do Campo e Diadema em 33 quilômetros e a extensão entre Diadema (ABC Paulista) e Estação Berrini da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, na zona Sul da cidade de São Paulo com mais 12 quilômetros de extensão.
A empresa chegou a considerar a possibilidade de uso de biarticulados devido ao crescimento da demanda nas 13 linhas do sistema. No entanto, o Corredor Metropolitano ABD não é contínuo, isto é, em vários trechos ele deixa de ser exclusivo e com áreas de tamanho restrito para curvas e manobras. A Metra foi uma das primeiras empresas no País e apostar no superarticulado.
Em linhas gerais, os modelos de ônibus com articulação têm as seguintes dimensões e capacidades:
– ÔNIBUS ARTICULADOS: Entre 18 metros e 21 metros de comprimento, com capacidade de 150 a 180 passageiros, dependendo da configuração interna de bancos, se há catracas ou não, ou se há portas nos dois lados do veículo.
– ÔNIBUS SUPERARTICULADOS: Entre 21 e 23 metros de comprimento, podendo transportar, dependendo da configuração, de 190 a 210 passageiros.
– ÔNIBUS BIARTICULADOS: Com comprimento até 28 metros e capacidade de passageiros variando entre 230 e 270 passageiros, de acordo com a disposição de bancos, portas e catracas.
CARACTERÍSTICAS:
A Mercedes-Benz informou as principais características do modelo em nota: “possui PBT técnico de 37 toneladas e permite a montagem de carrocerias com até 23 metros de comprimento, com capacidade para transportar mais de 190 passageiros (dependendo do layout interno). Um chassi 8×2, que conta com o eixo de apoio direcional instalado no 2º carro, auxiliando nas manobras e na condução do veículo. Incorporando todas as vantagens da tecnologia Mercedes-Benz, esse chassi vem equipado com motor eletrônico OM-457 LA (Proconve P-7), posicionado na traseira do veículo, o que traz maior facilidade na manutenção diária, melhor dirigibilidade com mais segurança e menor risco durante a época de chuvas. Motor OM-457 LA – completamente eletrônico, com unidades injetoras para cada cilindro, proporciona maior economia de combustível e possui alto torque em baixas rotações. Top Brake – freio motor auxiliar, garante uma potência de frenagem adicional, conjugado com o sistema borboleta, freio de serviço e retarder, proporcionando maior segurança nas operações, economia de combustível e aumento da vida útil dos freios. Chassi conceito Low Entry – toda a seção dianteira e central do veículo permite nivelação do degrau de entrada e do piso para 370 mm, não existindo nenhum outro degrau nessas seções do veículo. Com isso, o passageiro tem grande facilidade e rapidez para embarque e desembarque.. Chassi quadro – constituído de perfis de aço estampados com asas de apoio e de fixações para carroçarias, o chassi com estas características apresenta robustez, resistência à torção e à flexão e facilidade de encarroçamento. Freio a disco nas rodas dianteiras e traseiras – propicia melhor eficiência na frenagem e maior facilidade na manutenção. Painel de instrumento – todos od veículos são equipados com tacógrafo, odômetro, relógio, conta-giros, indicadores de temperatura do líquido de arrefecimento, da pressão do óleo do motor, da pressão pneumática do sistema de freios, consumo instantâneo de combustível e do nível do tanque de combustível. Luzes de Aviso – controle de carga da bateria, luz alta dos faróis principais, luzes indicadoras de direção, de baixa pressão do óleo do motor, de baixo nível do líquido de arrefecimento, de freio de estacionamento acionado, de saturação do filtro de ar, de baixa pressão do sistema pneumático, de controle do sistema de aceleração eletrônico / módulos eletrônicos, de retardador acionado, de controle do ABS, de controle da correia de acionamento do ventilador e de acionamento do ajoelhamento ou elevação da suspensão. Suspensão penumática integral – com maior conforto e confiabilidade ao seus passageiros e motoristas, este sistema já está consagrado no mercado, sendo atestado como de altíssima qualidade em outros produtos Mercedes-Benz. Eixo traseiro de apoio direcional – proporciona melhor manobrabilidade e dirigibilidade além de menor arraste em curvas, aumentando a durabilidade dos pneus. Coluna de direção regulável – propicia a regulagem de acordo com as características físicas do motorista, melhorando a ergonomia. Articulação – proporciona movimentos suaves nas manobras e oferece um sistema de segurança que informa antecipadamente o momento do batente metálico. Central Elétrica Fuse Box – proporciona ao encarroçado/cliente facilidade para acrescentar seus componentes, uma vez que o sistema é modular, possui um tamanho reduzido e é de fácil aquisição no mercado. Sistema Antibloqueio das Rodas (ABS) – monitora a velocidade das rodas, ultrapassando os limites máximos de desaceleração e escorregamento. O sistema aciona as válvulas moderadoras de pressão, que controlam a frenagem em cada roda, dessa maneira evita-se o bloqueio (travamento) das rodas, dentro dos requisitos para uma frenagem eficiente: menor espaço de frenagem, manutenção da dirigibilidade (controle sobre o veículo) e preservação da estabilidade direcional. Blue Tec 5 – tecnologia Mercedes-Benz que consiste em reduzir os gases contaminados, através de uma reação química com o AdBlue, em um catalisador de redução seletiva (SCR ou “Selective Catalytic Reduction”)”
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Comentários

  1. William de Jesus disse:

    Bom dia!

    Uma pena que em SP com a máfia Induscar, só venha deles em carroceria Caio

    1. Zé Tros disse:

      Não é máfia, é que o dono da Induscar, Sr. José Ruas, também é dono da maioria das empresas em São Paulo. Aí é lógico que ele vai coçar em direção ao umbigo dele.

  2. Delmar Arnaldo disse:

    Até o momento nós recifenses só temos articulado alongado da Volvo, mas nenhum super trucado.

  3. Pela parte do transporte a notícia e boa,Adamo sabe se esse ai da foto e os outros da Metra tem ar condicionado?

    1. Sim, os superarticulados todos possem na Metra

  4. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Essa foi mais uma PREVISIVELLLLLLLL.

    Desde o primeiro post aqui no blog dobre o “articulado trucadinho” eu disse que ele ia ser sucesso e que o “linguicao”, ja era, dada a flexibikidade operacional do “arttrucadinho”, vejam que nem no expresso tiradented sao utilizados ox linguicoes.

    Parabens Mercedes Benz !

    Att,

    Paulo Gil

  5. alexandro disse:

    Waw quantos equipamentos, gostei da parte do Painel de instrumento:

    ” indicadores de temperatura do líquido de arrefecimento, da pressão do óleo do motor, da pressão pneumática do sistema de freios, consumo instantâneo de combustível e do nível do tanque de combustível. Luzes de Aviso – controle de carga da bateria, luz alta dos faróis principais, luzes indicadoras de direção, de baixa pressão do óleo do motor, de baixo nível do líquido de arrefecimento, de freio de estacionamento acionado, de saturação do filtro de ar, de baixa pressão do sistema pneumático, de controle do sistema de aceleração eletrônico.

    Uma pena que a caio está encarroçando a maioria destes ônibus, os encostos de cabeça são de “pedra”! Tomara que nas próximas gerações isto melhore! Já entrei em contato com a metra e com a caio.
    Que outros façam isto também!

    1. Paulo Gil disse:

      Alexandro, boa noite.

      So nos temos temos essa opiniao, parece que o resto dos usuarios nao acham nada.

      Isso e uma coisa so, reducao de custo.

      Abcs,

      Paulo Gil

      1. Paulo Gil disse:

        Obs.:

        Me referi aos “banquim durim”

        PG

      2. alexandro disse:

        Oi, obrigado por me responder, de fato nós 2 estamos “batendo nesta tecla”!
        Essa redução de custo tira o conforto de muitas e muitas pessoas!

      3. Zé Tros disse:

        É só os órgãos geswtores não autorizarem que os empresários pão durim, comprem estes carros com esses banquim durim. Os caras gastam 800 mil num ônibus desse e economiza nos assentos.

        A configuração da carroceria é feita de acordo com o pedido da empresa.

      4. Paulo Gil disse:

        Ze Tros, boa noite.

        Se vc souber o numero de um buzao que tem banquim maciim, avisa pra nos.

        Outra opcao era a fiscalizadora fazer um teste em linha normal com o byzao de banquim maciim.

        Hoje utilizei uma Apache Vip, quase semi novo, que pelo Santo Atraso, o banquim desconfortavellllllll, fora o piloto que pilotava aos trancos e barrancos.
        Abcs,

        Paulo Gil

      5. Zé Tros disse:

        Paulo, boa noite,

        O que eu estou tentando dizer é que a configuração da carroceria depende do empresário.

        As encarroçadoras tem dos banquim durim aos banquim gostosim confortavelzim, mas, os empresários pão durim, só compram os ônibus com banquim durim.

        Vc andou num Apache Vip com banquim durim desconfortavelzim, pq a empresa quis comprar assim e não pq a Caio não tenha um banquim maciim confortavelzim.

  6. Emerson disse:

    Bom….a Scania já tinha algo parecido, mas um pouco menor, 21 metros se não engano. Ai veio a MB e colocou 23 metros, mas quem a primeira foi a Scania, não é isso?

    1. Zé Tros disse:

      O da Scania tinha comprimento máximo de 20,30m e o quarto eixo é fixo, além de 310 cv. O da Mercedes tem terceiro eixo direcional, podendo variar de 21m a 23 m, além de ter 354 cv na versão Euro 5.

      1. Zé Tros disse:

        Ops!, terceiro eixo direcional não, quarto eixo direcional.

Deixe uma resposta