Heliópolis e Centro recebem faixas compartilhadas em São Paulo

ônibus

Ônibus na zona Sul de São Paulo. Região do Heliópolis recebe 2,5 quilômetros de faixas compartilhadas entre táxis e coletivos. Faixa na Avenida Liberdade será ampliada em 100 metros. Foto: Adamo Bazani

Heliópolis e Centro recebem mais faixas de ônibus em São Paulo
Na zona Sul, são 2,5 quilômetros nos dois sentidos
ADAMO BAZANI – CBN
A partir desta segunda-feira, dia 12 de janeiro de 2015, a região de Heliópolis, na zona Sul de São Paulo, recebe dois quilômetros e quinhentos metros de faixa de ônibus e de táxis à direita, contemplando a Avenida Almirante Delamare e a rua Comandante Taylor.
No sentido centro, são dois quilômetros de faixas entre rua Anita Tagliaferri e rua Siqueira Bulcão, de segunda a sexta-feira, das 6h00 às 9h00.
Já no sentido São Caetano do Sul, a faixa para táxis e ônibus terá funcionamento das 17h00 às 20h00, entre as ruas Coronel Silva Castro e Cônego Xavier.
Na região central, a faixa de ônibus e táxis à direita na Avenida Liberdade será ampliada em 100 metros, chegando agora a 800 metros.
Este novo trecho vai funcionar entre a rua da Glória e a Praça Doutor João Mendes, no sentido Centro, de segunda a sexta-feira, das 6h00 às 9h00 e das 17h00 às 20 horas.
No dia 25 de agosto de 2014, já tinham sido implantados 700 metros de faixas para ônibus, que depois deixou de ser exclusiva servindo também aos táxis, no sentido Centro, entre as ruas Barão de Iguape e da Glória.
De acordo com a CET, desde janeiro de 2013, foram implantados 462,1 quilômetros de faixas que eram exclusivas para ônibus até 13 de setembro de 2014. Uma semana antes, na corrida presidencial, Dilma Rousseff, foi a São Paulo, onde o candidato Alexandre Padilha tentava o cargo de governador do Estado, e se reuniu com lideranças políticas ligadas a taxistas.
O prefeito Fernando Haddad e o secretário municipal de transportes Jilmar Tatto defenderam por várias vezes a manutenção da exclusividade dos ônibus até a vista de Dilma Rousseff às lideranças de taxistas em 06 de setembro de 2014.
O Ministério Público pediu explicações da prefeitura sobre a mudança repentina do discurso e sobre alguns aspectos que parecem ser contraditórios. Estudos sobre os táxis em corredores, que ficam à esquerda, mostraram que a redução da velocidade dos ônibus com estes veículos chegava a 25%, em média. Vale ressaltar que nos corredores os táxis não podem parar em qualquer ponto para realizar embarque e desembarque de passageiros. Já nas faixas, onde os táxis podem parar no trajeto dos ônibus, a prefeitura diz que estudos mostram que não há impacto na velocidade dos coletivos.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: