TARIFA DE ÔNIBUS: O grande vilão é o valor da passagem ou o baixo salário do brasileiro?

tarifas de ônibus

Ônibus em São Paulo. Capital Paulista é a metrópole onde a tarifa de ônibus mais compromete a renda de quem ganha salário-mínimo. Mas levantamento mostra que o vilão da história não é o valor da tarifa, mas os baixos ganhos do trabalhador brasileiro. Foto: Adamo Bazani

Tarifa de ônibus: O grande vilão é o baixo salário do brasileiro e não apenas o valor da passagem
Levantamento feito por “Exame” revela que em três capitais brasileiras, trabalhador sente mais o valor da passagem na renda em comparação com outras nove metrópoles do mundo
ADAMO BAZANI – CBN
O trabalhador em São Paulo é o que tem mais a renda comprometida por causa da passagem de ônibus em comparação a outras 11 metrópoles do mundo.
É o que aponta levantamento feito pela Revista Exame, na versão eletrônica.
A comparação foi feita com base nos salários-mínimos nacionais aplicados em nove países que formam a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE. Foi levado também em consideração o perfil de deslocamento de ia e volta em 20 dias por mês, com uso de bilhete individual. Os valores foram convertidos para “reais” de acordo com a cotação desta sexta-feira, 09 de janeiro.
RELAÇÃO SALÁRIO E VALOR DE TARIFA:
Em valores absolutos, São Paulo está entre as cidades que praticam tarifas mais baixas. No entanto, por causa do baixo valor do salário-mínimo brasileiro, o impacto das passagens é maior na renda do trabalhador. Na Capital Paulista, este perfil de 20 dias de ida e volta por mês compromete 17,7% da renda de quem ganha salário-mínimo, pelo atual valor de R$ 3,50 a passagem. Em Paris o comprometimento da renda é de 4,45%.
Além disso, vale ressaltar, que na Europa os transportes recebem subsídios de mais de 50% do valor tarifa. No Brasil, a média é de 15%, quando há subsídios.
Acompanhe a tabela elaborada por Exame.com – Valores convertidos para reais.
1) SÃO PAULO (Brasil): Peso da Tarifa na renda de um salário mínimo: 17,77%.
Gasto Mensal com Transporte: R$ 140
Tarifa de ônibus (bilhete individual): R$ 3,50
Valor do Salário-Mínimo Nacional: R$ 788,00

2) RIO DE JANEIRO (Brasil): Peso da Tarifa na renda de um salário mínimo: 17,26%.
Gasto Mensal com Transporte: R$ 136
Tarifa de ônibus (bilhete individual): R$ 3,40
Valor do Salário-Mínimo Nacional: R$ 788,00

3) BELO HORIZONTE (Brasil): Peso da Tarifa na renda de um salário mínimo: 15,74%.
Gasto Mensal com Transporte: R$ 124
Tarifa de ônibus (bilhete individual): R$ 3,10
Valor do Salário-Mínimo Nacional: R$ 788,00

4) SANTIAGO (Chile): Peso da Tarifa na renda de um salário mínimo: 10,38%.
Gasto Mensal com Transporte: R$ 116,60
Tarifa de ônibus (bilhete individual): R$ 2,79
Valor do Salário-Mínimo Nacional: R$ 1.074,76

5) CIDADE DO MÉXICO (México): Peso da Tarifa na renda de um salário mínimo: 10,11%.
Gasto Mensal com Transporte: R$ 28,80
Tarifa de ônibus (bilhete individual): R$ 0,72
Valor do Salário-Mínimo Nacional: R$ 284,87

6) LISBOA (Portugal): Peso da Tarifa na renda de um salário mínimo: 08,45%.
Gasto Mensal com Transporte: R$ 224,80
Tarifa de ônibus (bilhete individual): R$ 5,62
Valor do Salário-Mínimo Nacional: R$ 2.656,19

7) Nova Iorque (Estados Unidos): Peso da Tarifa na renda de um salário mínimo: 07,93%.
Gasto Mensal com Transporte: R$ 265,20
Tarifa de ônibus (bilhete individual): R$ 6,63
Valor do Salário-Mínimo Nacional: R$ 3.343,11

8) Madri (Espanha): Peso da Tarifa na renda de um salário mínimo: 07,07%.
Gasto Mensal com Transporte: R$ 188,00
Tarifa de ônibus (bilhete individual): R$ 4,70
Valor do Salário-Mínimo Nacional: R$ 2.656,19

9) Telaviv (Israel): Peso da Tarifa na renda de um salário mínimo: 05,86%.
Gasto Mensal com Transporte: R$ 185,60
Tarifa de ônibus (bilhete individual): R$ 4,64
Valor do Salário-Mínimo Nacional: R$ 3.168,20

10) Londres (Reino Unido): Peso da Tarifa na renda de um salário mínimo: 05,37%.
Gasto Mensal com Transporte: R$ 240,80
Tarifa de ônibus (bilhete individual): R$ 6,02
Valor do Salário-Mínimo Nacional: R$ 4.483,94

11) Tóquio (Japão): Peso da Tarifa na renda de um salário mínimo: 04,98%.
Gasto Mensal com Transporte: R$ 177,20
Tarifa de ônibus (bilhete individual): R$ 4,43
Valor do Salário-Mínimo Nacional: R$ 3.556,60

12) Paris (França): Peso da Tarifa na renda de um salário mínimo: 04,45%.
Gasto Mensal com Transporte: R$ 224,80
Tarifa de ônibus (bilhete individual): R$ 5,62
Valor do Salário-Mínimo Nacional: R$ 5.051,91

PERGUNTAS DO BLOG PONTO DE ÔNIBUS:
As manifestações em prol da redução do valor das tarifas têm legitimidade, mas não seria o caso de a população, pacificamente, sair às ruas e pedir um melhor ganho ao trabalhador? Afinal, de acordo com o levantamento, o maior problema não é o valor da tarifa, mas a baixa renda do brasileiro.
O fato é que ao longo de décadas, o valor do salário-minimo no Brasil foi se defasando e perdendo o poder aquisitivo.
E a relação custo/qualidade? Será que os transportes nas capitais brasileiras possuem o mesmo nível de qualidade das outras cidades que estão no levantamento?

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

9 comentários em TARIFA DE ÔNIBUS: O grande vilão é o valor da passagem ou o baixo salário do brasileiro?

  1. E podem apostar que hoje teremos caos e os black bostas fazendo um inferno no centro.

  2. Como diria o papagaio “Luis Manuel”, famoso pelo bordão “Não te enrugue couro velho”, “As Duas Coisas” :p

    Piadas bestas à parte, a culpa é dupla mesmo: precisamos de um valor de tarifa que não onere os custos de uma pessoa comum, e um salário condizente.

    O problema aqui é socioeconômico: para muitos, quem ganha mil reais por mês é cara rico. Isso é o pior.

    Sério: a inflação, ao que noto, é parte do valor que damos a algo. Se sobrevaloriza, é inflação. Se subvaloriza, é deflação.

    Quanto realmente deveria valer um salário? Quanto seria a equivalência de um salário de uma pessoa em detrimento da outra?

  3. Amigos, boa noite.

    Apesar do resultado dessa pesquisa nao ser novidade, a mesma e muito interessante para mostrar outra NAO novidade.

    Nao e so o salario minimo que esta defasado, todo salario no Brasil esta defasado, seja em relacao a tarifa do buzao como tambem a cada bem, produto, alimentacao, higiene pessoal, medico, dentista, veterinario, plano de saude, lazer e tudo mais que um terraqueo necessita para passar sua estada aqui na terra.

    Precisamos da fazedoria e de contadores, que sabem efetuar um simples balancete, o resto e contingencia economica,; no inverno sobe o preco da arroba do boi .

    Alguem discords ?

    Att,

    Paulo Gil

  4. É mentira que nas última décadas o salário mínimo está se defasando, isso aconteceu durante a ditadura civil militar que reduziu o salário mínimo a um terço do que ele valia em 1959. O salário mínimo vem recuperando o seu valor real desde 2003, que se valorizou em 71% acima da inflação, esses dados são oficiais. Faltou na matéria apresentar o método para fazer a comparação e lembrando que nos Estados Unidos e na Europa o transporte é fortemente subsidiado pelo Estado, coisa que virou palavrão no Brasil após a implantação do neoliberalismo nos governos C

  5. Sinceridade,,,,,acho alguns contra pontos…levando em consideração que todo trabalhador tem direito ao vale transporte,,,e o vale transporte custa 6% do salario..A DESPESA DO TRABAHADOR COM TRANSPORTE É DE 6% DO SEU RENDIMENTO !!!!
    4 min · Curtir

    GENERALIZANDO…….Fica algumas duvidas nessa questao……..,,,ou muita gente nao faz valer seu direito,,,,o direito ao vale transporte !!!!! ou a maiuoria das pessoas vive d etrabalho informal !!!!!! ou a maioria do pessoal ganha mais de 2.500,00 ao mes,pois dai nao vale a pena pegar vale transporte…….

  6. Amigos, bom dia!

    Não quero entrar a fundo no mérito sobre salários… Concordo que o valor é caro, deveríamos ganhar mais e mais subsídios ajudariam e muito a todos… claro que isto não será possível nem a médio prazo

    Sobre a questão das tarifas, penso que ela não encareceu tanto em relação ao mínimo.

    Vamos fazer a conta da Professora Cotinha, tão citada pelo Mestre Paulo Gil:

    Salário Mínimo em 1994 – R$ 70,00
    Tarifa Básica de ônibus municipal no ABC e SP – R$ 0,50
    Ou seja: 0,7% do mínimo

    Salário Mínimo em 2015: R$ 724,00
    Tarifa Básica de ônibus municipal em SP, ABC, Campinas – R$ 3,00
    Ou🏪🏡 seja, 0,41% do mínimo.

    Se os números acompanhassem o ano 1994, a tarifa hoje seria de R$ 5,00 e aumentaria para R$ 6,00 neste ano… E tudo isso sem integração, Bilhete Único, com direito a 4 integrações, Bolsa Transporte, Bolsa Família, e, convenhamos que a população economicamente ativa foi expandida e a renda média do trabalhador aumentou… Concordo que deveria aumentar mais, segundo os dados do DIEESE.

    Como um outro colega citou, muita gente trabalha e recebe VT, que compromete 6% no máximo do salário recebido e não em cima do mínimo.

    Não estou aqui para defender empresário ou Governo. Só quis relembrar como os tempos eram mais árduos, em relação ao transporte coletivo no passado.

    O que acham?

    Abraços,

    Gerson Carvalho
    Administrador de Empresas e Bancário.

  7. Só mais um adendo…

    O que precisamos de imediato é a manutenção, modernização na estrutura logística e criação de mais modais no transporte e a retirada de alguns péssimos gestores do setor.

    Um pequeno exemplo: Antigamente, quando eu morava em Diadema, pagava 0,50 para esperar quase 1 hora por um ônibus a São Caetano… Hoje paga-se 3,50 e o tempo máximo de espera varia entre 7 e 15 minutos, com veículos bem melhores… Créditos para Trans-Bus.

    Muitos empresários, como a Leblon, Nobel, Benfica, Trans-Bus, Rigras, dentre outras, investiram e investem em melhorias notáveis. Mesmo com uma tarifa menor, em relação há 20 anos atrás.

    Não pertenço ao Governo (Deus me livre de eu ir lá, como diz Caju e Castanha) e nem ao meio dos empresários de transporte, mas reconheço que hoje andar de busao, está mais acessível sim, vide a quantidade de passageiros dos modais ferroviário e rodoviário que expandiu muito.

    Devemos ser críticos sim, afinal, pagamos nossos impostos e merecemos melhorias. Uma sociedade crítica, não se deixa enganar!

    Apenas quis ilustrar algumas coisas que nunca vi serem citadas.

    Abraços,

    Gerson Carvalho
    Administrador de Empresas e Bancário

    • Gerson, não discordo das posições. O ponto é que a melhoria é vista em linhas que há grande visibilidade e movimento.

      Linhas menores, periféricas, regiões que ainda até hoje batalham para ter uma linha existente; estas ainda não são atendidas por estas empresas.

      Fora o fato que ainda há um “cartel” no sistema de transportes, que precisa ser discutido se é isso que precisamos manter ou se pode trocar o sistema para ter mais eficiência na gestão e custos menores, tirando “os velhos coronéis” do transporte, que só agem depois de cobranças da mídia ou quando são “enquadrados”, e colocando empresários que se comprometam a trabalhar realmente por um transporte como muitos sonham: com veículos confortáveis, motoristas treinados, capacitados e cuidadosos, linhas que sejam inteligentes – atendam uma região de forma rápida, e o custo seja justo para cobrar sem onerar as pessoas, e a renda deste custo pague os serviços e ainda gere um lucro.

1 Trackback / Pingback

  1. OPINIÃO: Outro estudo mostra que o principal vilão é o baixo rendimento dos brasileiros | Blog Ponto de Ônibus

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: