Agora ministro do governo PT, Kassab promete R$ 14 bi para São Paulo

Kassab e Haddad

Antes desafetos, Kassab, agora ministro do governo petista, e Haddad, prefeito pelo mesmo partido se reúnem. Governo federal deve liberar R$ 14 bi do PAC para drenagem, infraestrutura, habitação e transportes. Foto: Daniel Teixeira/Estadão.

Agora ministro do governo PT, Kassab promete R$ 14 bi do PAC para São Paulo
Parte destes recursos vai ser usada para a meta de construção de 150 quilômetros de corredores de ônibus
ADAMO BAZANI – CBN
Ex apoiador de José Serra, do PSDB, o ex prefeito de São Paulo, aliou-se ao PT e agora, como Ministro das Cidades do Governo Dilma Rousseff, prometeu ao prefeito Fernando Haddad a liberação de R$ 14 bilhões do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento para áreas como transportes, infraestrutura e habitação.
Antes da nomeação por Dilma, Kassab e Haddad trocaram farpas, principalmente no que diz respeito aos problemas da cidade.
Para se ter uma ideia, em novembro de 2013, Haddad disse que encontrou a administração paulistana numa situação de “descalabro” ao se referir a situações que ocorreram durante a gestão de Kassab, em especial à máfia do ISS.
Kassab respondeu e disse que “descalabro era o primeiro ano de gestão de Haddad”.
Por ordem do PT nacional, as ideologias e disputas foram deixadas de lado e ontem, em reunião com Kassab, Haddad foi muito amigável.
Ele disse que este dinheiro do PAC prometido pelo ex-prefeito e agora ministro vai ser usado em diversas frentes, inclusive para a construção dos 150 quilômetros de corredores de ônibus, a maior parte de trânsito rápido – BRT, uma das principais bandeiras da campanha do atual prefeito.
“Passamos em revista todo o plano de obras. Temos o PAC Mananciais, herança da administração anterior que foi incluído na fase 3 do PAC; 11 frentes de obras de drenagem que estão em licenciamento, já com autorização da Caixa para licitação; 150 km de corredores, sendo 100 km já licitados; e as 55 mil unidades habitacionais para as quais já temos terra e financiamento reafirmado pelo ministro Kassab. São R$ 14 bilhões em investimentos do governo federal e esperamos estar com tudo em obras até o final de junho”, disse Haddad.
Kassab também foi muito amistoso e disse que a reunião com Haddad foi proveitosa para dar continuidade aos atuais projetos e iniciar outros para a “melhoria da qualidade de vida” em São Paulo.
Independentemente de politicagem, o que o paulistano quer é ver prontos os corredores de ônibus, que tanto vão ajudar a mobilidade urbana na Capital, as obras de drenagem e a redução do déficit habitacional.
Um fato, no entanto, cada vez mais é certo: o que os políticos dizem, não pode ser tomado como “palavras de honra” e ideologias parecem ser algo fora de moda.
Na área de mobilidade urbana aparentemente esta característica da política parece ter virado crônica. O “Fura – Fila”, hoje Expresso Tiradentes, teve várias datas de promessas para conclusão em várias gestões, o monopólio dos transportes em Mauá nunca mais voltarianas palavras do prefeito Donisete Braga, mas voltou, e todos os ônibus do Rio de Janeiro teriam ar-condicionado até 2016, agora o prazo pode ser postergado. Isso sem contar que a Copa do Mundo deixaria um grande legado de mobilidade, área que registra ainda o maior número de obras inacabadas.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

8 comentários em Agora ministro do governo PT, Kassab promete R$ 14 bi para São Paulo

  1. Amigos, boa noite.

    A prioridade “zero” de Sampa é concluir e iniciar a operação do AEROTREM, o resto e perfumaria.

    Att,

    Paulo Gil

    • Sempre quis escrever isso: as vezes acho seus comentários meio chatos…

      A prioridade zero de São Paulo é (ou deveria ser) ter um transporte eficiente. O problema não é monotrilho (Aerotrem é um trem que roda sobre um colchão de ar, diferente do Maglev, este sobre um campo magnético que o faz flutuar. O que estão terminando são os Monotrilhos – composições que rodam com pneus sobre vigas de concreto).

      O problema de Sampa são vários: uma população não atuante (E as vezes ignorante) politicamente, que prefere ônibus com linhas longas e diretas que dão voltas do que linhas com baldeação e mais rápidas; uma política ainda baseada no “me ajuda que te ajudo”; e a velha deixa de que “por causa do passado o futuro ficou ruim”.

      Até hoje acho estranho o Tribunal de Contas travar toda hora a licitação para terminar os corredores de ônibus. Se há obras que atrapalham e precisam agilizar seu término, que se libere os valores em caso de divergências, se cobre posteriormente qualquer valor pago à mais. Quanto mais se trava as obras, mais elas são deixadas de lado, e mais fica essa sensação de “a prioridade é outra”.

      • Vagligeirinho, boa noite.

        E impossivel agradar a todos, mas o legal e a democracia e termos este blog para discutirmos nossas ideias, sugestoes e comentarios.

        As divergencias enriquecem as solucoes.

        Quanto ao fato de eu usar a expressao Aerotrem e pelo fato desta ideia ter sempre sido defendida nas propagandas eleitoral do Sr. Levy Fidelis, atraves do qual a expressao Aerotem ficou tao conhecida.

        Obrigado pelos esclarecimentos quanto ao Aerotrem, Maglev e Monotrilho, pois eu desconhecia estas diferencas.

        Porem vou continuar utilizando a ecpressao Aerotrem.

        Abcs,

        Paulo Gil

      • Acreditamos que o Fultrace seria uma solução adaptada: http://Www.tacvproject.com

    • Projeto Fultrace, agora disponível em Português: http://www.tacvprojerct.com/br/

  2. Sinceramente, não confio muito nisso não. Faltam dois anos para o término do mandado do Haddad, e como sabemos, obras acabam demorando mais de forma a concluir em cima do período eleitoral.

    Não duvido também que a liberação do PAC seja feita mais por vontade da Presidente do que pelo Kassab. A propósito, é outra coisa bem menos entendida. Kassab não foi exatamente um prefeito ruim por completo, pois deu um tapa no visual em algumas coisas (que em me lembre vagamente). O problema foram os exageros dele (lei cidade limpa) e a não conclusão de projetos como o Nova Luz. Não foi um prefeito “queridão”. Não entendi de onde ele tirou tantos votos…

  3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk e tem quem acredita q esse INDOLENTE E LADRÃO vai fazer algo por nós! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  4. Eh lá hein, esses políticos não valem o que comem. O Haddad metia a boca no Kassab, a Marta Suplicy também era outra que letacava pau, agora ele se une a essa turma.
    Nunca quero ser político, vá que essa doença chamada hipocrisia seja contagiosa

1 Trackback / Pingback

  1. Artigo: Reivindicar à favor e não contra a própria população. | Nosso transporte público

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: