Passe-Livre Estudantil de São Paulo deve ser limitado a 48 viagens

ônibus

Ônibus em São Paulo. Tarifas aumentam nesta terça-feira e passe-livre para estudantes é limitado a 48 viagens. Foto: Adamo Bazani

Passe Livre para estudantes em São Paulo deve ser limitado a 48 viagens
Já Bilhete Único Mensal começa a valer a pena para quem faz 47 viagens ou mais no período
ADAMO BAZANI – CBN
Diferentemente do que havia afirmado o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, de que o passe-livre estudantil possibilitaria viagens além do trajeto entre instituição de ensino e casa, permitindo que fossem realizados passeios, visitas a museus e a atrações turísticas, o benefício deve ser limitado a 48 viagens por mês. Falta regulamentação do executivo municipal. O transporte gratuito a estudantes é destinado para quem está matriculado nas redes públicas de ensino básico e médio e para quem está no curso superior de universidade pública ou conta com programas como Fies e ProUni, teoricamente destinado a universitários de baixa renda.
O benefício começa em fevereiro.
Ultrapassada a cota de 48 viagens, o estudante que conta com o passe-livre tem de pagar passagem inteira: R$ 3,50 e não possui direito à meia tarifa.
Isso impacta, por exemplo, estudantes que fazem mais de duas viagens por dia, como os que vão de casa para a escola, da escola para o trabalho direto e depois do trabalho para a casa.
A recomendação de prefeitura para não pagar R$ 3,50 de tarifa após a cota de 48 viagens é aderir ao Bilhete Único Mensal Estudantil que não teve reajuste e no caso só dos ônibus continua tendo valor de R$ 70.
No entanto, é necessário fazer contas, já que os créditos de R$ 70 valem somente por um mês. Caso o estudante passageiro use menos que isso de diferença entre as 48 viagens gratuitas e o restante para complementar a rotina, os R$ 3,50 podem acabar pesando menos.
Para tentar deixar o Bilhete Único Mensal atrativo, já que havia poucas adesões, a prefeitura não reajustou a modalidade que continua valendo R$ 230 para a integração entre ônibus, trem e metrô ou R$ 140 para somente ônibus ou transportes sobre trilhos isolados.
Antes do aumento para R$ 3,50, que passa a vigorar nesta terça-feira, dia 06 de janeiro, o uso do Bilhete Único Mensal somente para ônibus valia para quem fizesse mais de 47 viagens por mês. Agora é vantajoso para 41 viagens.
Em relação à modalidade integrada ônibus e trem/metrô, antes valia a pena para quem fizesse mais de 50 viagens e agora pode trazer vantagens para quem fizer acima de 43 descolamentos.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

12 comentários em Passe-Livre Estudantil de São Paulo deve ser limitado a 48 viagens

  1. William de Jesus // 5 de Janeiro de 2015 às 16:55 // Responder

    Boa tarde!

    E então de que adianta esse tal “passe livre estudantil”, se estamos limitados a no maxímo duas viagens ao dia e, percebam, no final ainda ter que pagar pela viagem?

    O aluno que precisa pegar mais conduções do que apenas uma para ir pra escola e um pra voltar e não gostar de ir a locais como museus simplesmente para não gastar o beneficio está na boa. E quem depende de mais?

    Como sempre, a prefeitura faz mal feito, apenas para dizer que fez. Agora sim, sou a favor de algum protesto. Estudante no Rio tem esse benefíicio, porque aqui tem que ser nas coxas?

    • Vagner "Ligeiro" Abreu // 5 de Janeiro de 2015 às 22:02 // Responder

      Lembremos que as duas viagens seriam 2 conjuntos de viagens (1 conjunto = 4 baldeações) no período de 3 horas para o Único.

      Nos outros municípios, vale a regra local. Itapevi por exemplo é uma baldeação no período de 2 horas.

      A regra se dá por um simples fato: infelizmente há a famosa corrupção, que dizem tanto que ocorre “nas zelite”, mas é muito feito pela periferia. Se fosse passe livre pleno, imagine quantos estudantes não venderiam viagens para passageiros comuns?

  2. Ádamo, a informação está incorreta. O bilhete mensal vale a pena para quem faz mais de 40 viagens. A conta é simples: R$140,00/R$3,5 = 40. Se alguém fizer 47 viagens sem o bilhete mensal pagará R$ 164,50, ou seja, R$ 24,50 a mais.

    OBS: considerando 22 dias úteis por mês, 48 viagens por mês dá para ele ir para a escola de segunda a sexta e ainda sobram quatro viagens, podendo ir ao museu duas vezes por mês.

  3. Amigos, boa noite.

    Se todo esse rigor tivesse sido aplicado na compra da refinaria de Pasadena, ai sim poderia ser mais de 48 viagens.

    Mas como não foi, tira-se a diferença dos estudantes do Brasil.

    Att,

    Paulo Gil

  4. eu faco tres viagem ao dia de seg a sex duas ao final de semana no total de 78 viagem ao mês tarde manha vou ao trabalho saiu direito para a faculdade e depois vou para casa e no final de semana vou ao trabalho gastaria no mínimo 130com cartão estudante com o mensal vou gasta 70,00 vale a pena sim e só vem direito qual é melhor para se usar

  5. Da pra passar 2 vezes em seguida no mesmo onibus?

  6. Boa tarde !

    Você sabe me dizer qual o dia de cada mês o
    Bom e recarregado? Após as 48 passagens?

    Grata

    Cassia

  7. O passe livre tem direito a quantas integracao??
    Tem direito a usar quantas veses no dia ?
    Qual e o tempo da integracao?

  8. ALGUEM PODERIA ME AJUDAR. ESSA VIAGEM QUE DIZ 48 SE REFERE A CADA EMBARQUE ? Eu por exemplo preciso pegar dois ônibus para chegar até a Fatec. Ou então um trem e um ônibus. Como posso fazer ?alguém pode me ajudar ? SAbem me dizer se tem integração que nem no uso do bilhete único ?

1 Trackback / Pingback

  1. BOA INICIATIVA: 20 mil hectares de matas ciliares podem ser recuperados com Programa do Governo | Nosso transporte público

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: