Com frota pública e tarifa-zero, Maricá quebra monopólio dos transportes

ônibus

Ônibus da frota pública de Maricá, hoje a maior cidade do país a oferecer tarifa-zero nos transportes. Com serviços, monopólio de empresa foi quebrado. Nossa Senhora do Amparo continua operando.

Maricá se torna uma das maiores cidades com ônibus a tarifa-zero e quebra monopólio nos transportes
No Rio de Janeiro, município possui 150 mil pessoas. Serviços de empresa com cobrança de passagem continuam
ADAMO BAZANI – CBN
Com aproximadamente 150 mil habitantes e ao custo de R$ 700 mil por mês, segundo a prefeitura, a cidade de Maricá, no litoral do Rio de Janeiro, tornou-se nesta quinta-feira, dia 18 de dezembro de 2014, a maior cidade do País a oferecer tarifa-zero no sistema de ônibus.
A tarifa-zero, segundo o prefeito Washington Luiz Cardoso Siqueira, tem como objetivos ampliar o acesso aos transportes e quebrar o monopólio dos ônibus na cidade.
Há cerca de 40 anos, os serviços são prestados pela Viação Nossa Senhora do Amparo, que continua operando normalmente na cidade. A tarifa é de R$ 2,70 nesta empresa.
Os ônibus que transportam gratuitamente a população são de frota própria, da EPT – Empresa Pública de Transporte, autarquia responsável pelo gerenciamento e agora parte da operação do sistema.
A prefeitura, por meio de nota, explicou como é o funcionamento desta frota, que conta atualmente com dez veículos. Mas a previsão é de aumento, com a colocação no sistema de vans e micro-ônibus também do poder público, para serviços alimentadores. Com a implantação do sistema alimentador, o custo mensal de operação deve passar a ser de R$ 1,3 milhão.
“Dez veículos – equipados com ar condicionado, sensores de portas (somente trafegam com as portas fechadas) e elevadores para deficientes físicos – circulam com intervalos de 20 minutos, das 5h às 22h. No período de menor movimento (22h às 5h), os ônibus funcionam com intervalos de uma hora. Os pontos de partida são na Rua Barão de Macaúba, em frente à Escola Municipal João Monteiro, no Recanto, e na Praça de Ponta Negra (Rua São Pedro Apóstolo). Outros três ônibus funcionam como reserva e quatro encontram-se ainda em linha de montagem no fabricante. Um reboque também foi adquirido e está disponível para utilização. O investimento do município até o momento foi de R$ 4,8 milhões. O controle de passageiros nos veículos será feito por catracas instaladas na parte dianteira (os passageiros entrarão pela porta dianteira e sairão pela porta traseira). Todos os veículos possuem portas centrais com elevadores, exclusivos para embarque e desembarque de cadeirantes. A capacidade máxima dos coletivos é de 43 passageiros sentados e 43 em pé. A equipe da EPT conta com 30 motoristas e quatro despachantes, além de manobreiro (2), inspetor de tráfego (2), consultor de operações (2), consultor de manutenção (2), auxiliar de controle de frota (1), almoxarife (1) e abastecedor (1). Ao todo, 45 pessoas compõem o quadro de funcionários da autarquia municipal.” – explica a nota da prefeitura.
Os ônibus gratuitos ligam as regiões do Recanto e Ponta Negra em quatro linhas, principal eixo que corresponde a 70% dos deslocamentos na cidade.
O prefeito disse que o custeio dos transportes, incluindo a manutenção da frota pública, acaba sendo financeiramente vantajosa para a cidade. Apenas em vale-transporte de funcionários, o poder público alega que gasta R$ 400 mil, enquanto para manter a tarifa-zero, a cidade vai desembolsar R$ 700 mil. Essa diferença, acredita o prefeito, será compensada com o maior movimento na economia da cidade e com menos gatos das empresas no transporte de trabalhadores.
Os ônibus operam 24 horas por dia. Confira as linhas:
Linha 1– RECANTO X PONTA NEGRA (via Manoel Ribeiro)
– Rua Barão de Macaúba (ponto de partida em frente à Escola Municipal João Monteiro) – RJ-102 (Rua Engenho Domingos Barbosa) – Avenida do Canal – Rua João Goulart – Rua Antônio Modesto de Sá – Praça do Barroco – Avenida Zumbi dos Palmares – Rua Van Lerbergue (antiga Rua 34) – Rua Professor Cardoso de Menezes (Terminal Rodoviário de Itaipuaçu) – Estrada Carlos Mariguela – Estrada de Itaipuaçu – Travessa Campos – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Avenida Roberto Silveira – Rodoviária do Povo de Maricá – Avenida Roberto Silveira – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – RJ-118 (Estrada de Ponta Negra) – Rua São Pedro Apostolo – Praça de Ponta Negra;
Linha 2 – RECANTO X PONTA NEGRA (via Cordeirinho)
– Rua Barão de Macaúba (ponto de partida em frente à Escola Municipal João Monteiro) – RJ-102 (Rua Engenho Domingos Barbosa) – Avenida do Canal – Rua João Goulart – Rua Antônio Modesto de Sá – Praça do Barroco – Avenida Zumbi dos Palmares – Rua Van Lerbergue (antiga Rua 34) – Rua Professor Cardoso de Menezes (Terminal Rodoviário de Itaipuaçu) – Estrada Carlos Marighella – Estrada de Itaipuaçu – Travessa Campos – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Avenida Roberto Silveira – Rodoviária do Povo de Maricá – Avenida Roberto Silveira – Rua Abreu Sodré – Avenida Vereador Francisco Sabino da Costa – Rua Abreu Rangel – Rua Domício da Gama – Rua Alferes Gomes – Avenida Nossa Senhora do Amparo – Avenida Ivan Mundin – Rua João Saldanha – Rua 12 – Avenida Central – Avenida Maysa – RJ-102 (Avenida Beira Mar) – Rua São Pedro Apostolo – Praça de Ponta Negra;
– Linha 3 – PONTA NEGRA x RECANTO (Via Cordeirinho)
– Praça de Ponta Negra – Rua São Pedro Apostolo – RJ-102 (Avenida Beira Mar) – Rua 114 – Avenida Beira da Lagoa – Rua 43 – Avenida Maysa – Rua 13 – Rua João Saldanha – Avenida Ivan Mundin – Rua Azamor José da Silva – Rua Padre Arlindo Vieira – Rua Clímaco Pereira – Rua Domício da Gama – Rua Senador Macedo Soares – Praça Conselheiro Macedo Soares – Avenida Roberto Silveira – Rodoviária do Povo de Maricá – Avenida Roberto Silveira – Rua Abreu Sodré – Avenida Vereador Francisco Sabino da Costa – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Retorno (KM 29) – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Retorno no Spar – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Travessa Campos – Estrada de Itaipuaçu – Avenida Carlos Marighella – Rua Professor Cardoso de Menezes (Terminal Rodoviário de Itaipuaçu) – Rua Van Lerbergue (antiga Rua 34) – Avenida Zumbi dos Palmares – Praça do Barroco – Rua Antônio Modesto de Sá – Rua João Goulart – Avenida do Canal – RJ-102 (Rua Eng. Domingos Barbosa) – Rua Barão de Macaúba (ponto final em frente à Escola Municipal João Monteiro);
Linha 4 – PONTA NEGRA x RECANTO (Via Manoel Ribeiro)
– Praça de Ponta Negra – Rua São Pedro Apostolo – RJ-118 (Estrada de Ponta Negra) – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Retorno no KM 28 – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Avenida Roberto Silveira – Rodoviária do Povo de Maricá – Avenida Roberto Silveira – Rua Abreu Sodré – Avenida Vereador Francisco Sabino da Costa – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Retorno (KM 29) – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Retorno no Spar – RJ-106 (Rodovia Amaral Peixoto) – Travessa Campos – Estrada de Itaipuaçu – Avenida Carlos Marighella – Rua Professor Cardoso de Menezes (Terminal Rodoviário de Itaipuaçu) – Rua Van Lerbergue (antiga Rua 34) – Avenida Zumbi dos Palmares – Praça do Barroco – Rua Antônio Modesto de Sá – Rua João Goulart – Avenida do Canal – RJ-102 (Rua Eng. Domingos Barbosa) – Rua Barão de Macaúba (ponto final em frente à Escola Municipal João Monteiro);

A prefeitura também acredita que a frota pública vai obrigar a empresa Nossa Senhora do Amparo a melhorar os serviços.
O Blog Ponto de Ônibus não localizou nenhum representante da companhia de ônibus para se pronunciar.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 Trackback / Pingback

  1. Passe livre ou pedágio urbano? Dois lados da mesma moeda | Caos Planejado

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: