Política de preços no Brasil inviabiliza o transporte coletivo e privilegia o individual

ônibus

Ônibus urbano. Política de preços incentiva transporte individual mesmo com os ônibus atendendo por 86,6% do transporte coletivo no Brasil. Foto: Adamo Bazani

Política de preços no Brasil incentiva transporte individual
O contrassenso é tão grande que proporcionalmente ficou mais barato usar carro que transporte coletivo
ADAMO BAZANI – CBN
A política de segurar o preço da gasolina para controlar a inflação e os incentivos fiscais para a indústria automobilística criaram uma distorção nos custos dos transportes no Brasil. É o que revela uma reportagem do jornal O Globo. Usar o próprio automóvel ficou proporcionalmente mais barato que utilizar ônibus, metrôs, trens ou barcas. Em 20 anos, as tarifas de transporte coletivo subiram 685%. Já o custo para abastecer o carro com gasolina ou etanol aumentou 423%.
Somente a tarifa de ônibus, que é responsável por 86,6% do transporte coletivo no Brasil, teve reajustes de 711,29%. Ao todo, 107 mil ônibus transportam 40 milhões de pessoas por dia em 3 mil 311 cidade.
A comparação com a elevação dos custos para comprar um carro mostra também que a política de preços no país também incentiva o transporte individual.
De janeiro de 2002 até março deste ano, em média os preços dos carros novos subiram 10,2%. Já a gasolina teve reajustes de 70,5%, as tarifas de metrô subiram 96,3% e as de ônibus 141%.
Confira a matéria completa em:
http://oglobo.globo.com/economia/gasto-para-usar-transporte-publico-subiu-mais-em-20-anos-do-que-para-andar-de-carro-14444273
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

2 comentários em Política de preços no Brasil inviabiliza o transporte coletivo e privilegia o individual

  1. Política de preços?! Que política?

    Ótima oportunidade pra lembrar que Celso Russomano foi eleito Deputado Federal com enorme número de votos. O mesmo Russomano que viu a candidatura a Prefeitura implodir ao MENCIONAR que a tarifa de integração equalizada independente da distância e tempo de permanência no sistema (ônibus+metrô *) precisaria ser revista.
    O uso político canalha de seus adversários (triste e crônica realidade de nossos políticos, independente de partidos) foi: ele vai aumentar tarifas! Ninguém falou de quem depende de transporte público para vários deslocamentos curtos e paga preços absurdamente altos só porque o bilhete BOM é de um partido e o bilhete Único é do outro. Saiu de ônibus de Taboão da Serra pra Sampa – meros 10km, ou menos – pagou 2 tarifas; saiu de trem de Mauá pro Brooklin, pagou uma tarifa só, e de menor valor unitário.

    NINGUÉM assume mudar este sistema que pune severamente uns e privilegia outros.
    A forma mais justa seria fazer checagem de saída nos coletivos, cobrar tudo que foi consumido e conceder descontos por habitualidade, caso das viagens a trabalho, estudo, retorno a residência (pra quem trabalha ou estuda fora), treinos esportivos e outros.
    Complicado, impossível, inviável?! Hoje não mais, desde que o Governo tenha uma central de processamento de dados com estrutura semelhante a dos cartões de crédito bancários.
    Muito melhor, mais justo e mais seguro que gastar mais de R$ 1 bilhão em subsídios sem melhorar a mobilidade.

    É necessário ter coragem para identificar quem usa carro por opção e quem usa por necessidade. Sim, porque se a viagem fica mais barata com carro, se trata de orçamento mensal familiar e não má vontade com transportes públicos.

    * Não falei metrô e CPTM de propósito: chega de ser enganado pela mídia e pelo governo, que trata a CPTM como “trem de subúrbio” quando sabemos que a grande maior parte de seus trilhos tem função, desempenho e operação de metrô.

  2. Amigos, boa noite.

    A unica politica que NAO existe no Brasil e a de precos seja do buzao ou de qualquer coisa.

    Tudo aumenta de preco, nem que for pela via da diminuicao da qualidade, da embalagem ou da inflacao cultural.

    O buzao, simplesmente sai mais caro, pois o seu preco e alto, pela sua baixa qualidade e ineficiencia.

    Uma perhuntinha para encerrar:

    E o AEROTREM, quando comecara a operar ????

    Sera que esta sendo elaborada uma politica para iniciar a sua operacao ???

    Ou acabou a verba ?????

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: