Aumenta tempo de deslocamento em São Paulo e 90% dos paulistanos aprovam faixas de ônibus

ônibus

Segundo pesquisa, 90% dos paulistanos aprovam faixas de ônibus

Aumentou tempo de deslocamento na cidade de São Paulo e 90% aprovam faixas exclusivas
O levantamento da Rede Nossa São Paulo e Ibope mostra a opinião dos paulistanos sobre temas como as faixas exclusivas para ônibus e a implantação de ciclovias
A Rede Nossa São Paulo e o Ibope lançam os resultados da oitava edição da pesquisa sobre Mobilidade Urbana.
A pesquisa aborda os mais diversos aspectos da mobilidade em São Paulo, como o tempo gasto no trânsito, a frequência com que os paulistanos utilizam o transporte público, a satisfação com o transporte coletivo, o uso do carro etc. Foram ouvidas 700 pessoas entre dos dias 29 de agosto e 3 de setembro. A margem de erro é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos.
Entre as principais conclusões do levantamento estão:
– Aumentou em 10 pontos percentuais quem tem carro em casa – passou de 52%, em 2013, para 62%, em 2014. O acréscimo foi registrado em todas as faixas de renda, escolaridade e regiões da cidade.;
– Também subiu de 27% para 38% os que utilizam o carro “todos os dias” e “quase todos os dias”;
– A aprovação das faixas exclusivas para ônibus continua alta: 90% dos entrevistados se dizem favoráveis à “ampliação das faixas”;
– Para 64% dos entrevistados os governos devem dar mais atenção aos transportes públicos, sendo construção/ ampliação de linhas do metrô ou trem (58%) e de corredores de ônibus (37%) as medidas mais urgentes para a melhoria da mobilidade urbana;
– Respeito à faixa de pedestres: 52% acham que estão menos respeitadas (em 2013, eram 41%);
– Entre os usuários do carro, passou de 82% para 90% os favoráveis à aplicação de multas para quem para na faixa de pedestres. Também subiu de 36% para 43% os que são favoráveis ao rodízio de dois dias. E aumentou de 86% para 88% os que são a favor da construção e ampliação de ciclovias;
– Sobre a qualidade de vida na cidade: passou de 61% para 66% os que consideram São Paulo um lugar “Bom” e “Ótimo” para morar. E de 13% para 18% os que acham um lugar “ótimo”;
– “Saúde” continua sendo o maior problema na cidade. Destaque para “abastecimento de água” que passou do 18º lugar em 2013 para o 6º principal problema de São Paulo. Cabe destacar, ao longo da série histórica, a queda das menções ao desemprego como principal problema: ocupava o 2º lugar, em 2008, e está em 9º, em 2014;
– Poluição: aumentou de 11% para 18% os que consideram a “poluição da água” como tipo de poluição mais grave na cidade. “Poluição do ar” continua como sendo a mais grave para 94% dos entrevistados. Chama a atenção, ainda, o fato que passou de 8% para 21% os que consideram a “falta de chuvas” como responsável pela poluição do ar;
– Para 70% dos entrevistados o trânsito na cidade é “ruim” ou “péssimo”;
– Respeito no trânsito: ciclistas e motociclistas são “muito” ou “pouco respeitados” na opinião de 80% dos entrevistados;
– Tempo no trânsito: Quase a metade dos paulistanos gasta entre 1 e 2 horas por dia em deslocamentos para realizar a sua atividade principal. Tempo médio está em 1h44. Em 2013, estava em 1h43. Já o tempo total gasto no trânsito, incluindo todos os deslocamentos, está em 2h46. No ano passado, eram 2h15;
– 71% dos entrevistados deixariam de usar o carro caso houvesse uma boa alternativa de transporte – o que corresponde a cerca de 26% dos paulistanos, ou 2,3 milhões de pessoas);
– Ônibus como alternativa ao carro: Em 2014, o aspecto mais favorável à atração de usuários refratários ao uso de ônibus é a diminuição do tempo de espera pela condução (para 28% dos que nunca utilizam o meio de transporte), seguida de mais linhas de ônibus que cubram percursos que não cobrem atualmente (para 26% dos que nunca utilizam ônibus). O item de avaliação mais crítica continua sendo a lotação dos ônibus.
-Os entrevistaram mencionaram “construção de ciclovias” (26%) e “mais segurança” (26%) como principais fatores para a utilização de bicicletas como meio de transporte

1 comentário em Aumenta tempo de deslocamento em São Paulo e 90% dos paulistanos aprovam faixas de ônibus

  1. Amigos, boa noite.

    E isso ai faixa a la Paulo Gil (faixa branca, tachao e sinslizacao, deu certo e foi aprovada pela populacao.

    Afinal quem nao tem verba pra fazer corredor BRT, faz fsixa a la Paulo Gil.

    To contente.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: