EXCLUSIVO: Dono da Suzantur fala sobre impasse que pode levar à greve de ônibus em Mauá

Publicado em: 8 de agosto de 2014

ônibus

Ônibus da Suzantur. Dono da empresa, Claudinei Brogliato, disse que são mentirosas as informações de Baltazar José de Souza de que a companhia assumiu os passivos trabalhistas da Viação Cidade de Mauá. Baltazar tenta empréstimo junto ao Banco Caruana.

MAUÁ: “Estamos cumprindo todos os acordos” – diz Claudinei Brogliato, dono da Suzantur
Empresário diz que não são verdadeiras as informações de Baltazar José de Sousa de que a companhia de ônibus assumiu os passivos trabalhistas da Viação Cidade de Mauá. Baltazar vai pedir novo empréstimo no Banco Caruana para os pagamentos
ADAMO BAZANI – CBN
“O que Baltazar José de Sousa tem declarado são mentiras de quem já perdeu o direito de operar na cidade” – disse no início da noite desta sexta-feira, dia 08 de agosto de 2014, o dono da empresa de ônibus Suzantur, Claudinei Brogliato, com exclusividade ao Blog Ponto de Ônibus.
Prestes a ter uma greve de ônibus, a cidade de Mauá, na Grande São Paulo, virou um verdadeiro campo de troca de acusações entre empresas de ônibus e poder público após o processo de mudança nos transportes realizado pela administração Donisete Braga.
Trabalhadores da Viação Cidade de Mauá, operadora de propriedade de Baltazar José de Sousa, ameaçam cruzar os braços na segunda-feira, dia 11 de agosto. O Sintetra, sindicato que representa os motoristas e cobradores do ABC, diz que a empresa Suzantur, contratada pela prefeitura de Mauá, não está assumindo todos os funcionários da Viação Cidade de Mauá, que foi descredenciada do sistema depois de supostas consultas não autorizadas aos dados de bilhetagem eletrônica. A entidade sindical também diz que Baltazar não pagou as verbas rescisórias dos funcionários que foram demitidos após as operações da Suzantur.
“É mentira que assumimos a obrigação de pagar os passivos trabalhistas da Viação Cidade de Mauá. Isso é argumento de quem não quer pagar os trabalhadores. A Leblon (outra empresa que operou na cidade) pagou tudo em dia, não assumimos as dívidas dela e não houve problemas com seus trabalhadores. Por que assumiríamos só as dívidas da Viação Cidade de Mauá? Nosso compromisso foi absorver os funcionários demitidos e que atuaram na Viação Cidade de Mauá. É verdade que não contratamos todos ainda, mas estamos contratando sim” – disse Claudinei Brogliato ao Blog Ponto de Ônibus ao rebater a informação de Baltazar José de Sousa de que, em meados de outubro do ano passado, os representantes da Suzantur,David Barioni Neto e José Garcia Netto, disseram que a companhia também pagaria os débitos trabalhistas da Viação Cidade de Mauá. Participaram deste encontro o ex secretário de mobilidade urbana, Paulo Eugênio Pereira, e o prefeito Donisete Braga.
Claudinei Brogliato também afirmou que existem funcionários de outras empresas de Baltazar que estão sendo mandados embora e encaminhados para a Suzantur.
“Nosso compromisso foi assumir os postos de trabalho de quem trabalhava nas linhas municipais, as quais a Viação Cidade de Mauá operava. Tá vindo funcionário da EAOSA, da Ribeirão (Pires) e de outras que são do Baltazar, mas que fazem linhas intermunicipais. Para agilizar a contratação, estamos até admitindo alguns funcionários que nem ainda tiveram homologada a baixa na Viação Cidade (de Mauá) ” – disse Claudinei.
Ele também afirmou que desde fevereiro, David Barioni Neto não atua mais na Suzantur.
David Barioni Neto, ex executivo de Constantino de Oliveira, na Gol Linhas Aéreas, em 2012 assumiu a Viação Estrela de Mauá, criada por Baltazar José de Sousa, para participar da licitação de 2008. A Viação Estrela de Mauá queria retirar a Leblon Transporte de Passageiros do lote 02 da cidade. A Leblon é da família Isaak, do Paraná, que não possui relações com empresários de ônibus do ABC Paulista.
Já quanto a José Garcia Netto, irmão de Ângelo Roque Garcia, dono do Banco Caruana de financiamentos para empresas de ônibus, Claudinei disse quem mantém contatos por causa da instituição bancária e que é “legítimo uma empresa que está prestes a comprar frota nova, buscar diversas fontes de recursos para financiamento”
BALTAZAR VAI PEDIR EMPRESTADO DINHEIRO DO CARUANA:
E é justamente do Banco Caruana que devem vir os recursos que podem evitar uma eventual greve.
O empresário Baltazar José de Sousa vai tentar um empréstimo de R$ 2,8 milhões do banco de Garcia para pagar as dívidas trabalhistas, mas depois deve contestar o valor junto à prefeitura e à Suzantur.
Baltazar já é cliente do Banco Caruana que tem forte atuação junto a empresas de diversas cidades do País, como em Mauá.
Na cidade de Mauá, o banco somente não financiou ônibus para a Leblon, que possui crédito junto aos bancos das encarroçadoras e montadoras.
O Caruana financiou ônibus para Baltazar, para a Viação Estrela de Mauá e agora também para a Suzantur.
RECURSOS NEGADOS:
Enquanto há impasses entre empresas, a prefeitura segue no credenciamento da Suzantur como vencedora da licitação atual dos transportes na cidade.
No Diário Oficial de Mauá desta sexta-feira, dia 08 de agosto de 2014, a Comissão Permanente de Licitação negou os recursos administrativos da Viação Diadema e da Princesa Turismo Eireli. Ambas, que participaram do certame, dizem que a Suzantur não teria condições de cumprir a idade da frota exigida no edital quando chegasse o ano de 2020 e que a empresa não apresentou comprovação de viabilidade econômico-financeira. O contrato de licitação que deve ser assinado nos próximos dias é de 20 anos: 10 anos prorrogáveis por mais 10 anos.
Eduardo Monteiro Pacheco – presidente da Comissão de Licitação, acolheu os argumentos da Suzantur contra os recursos.
O caso agora parou na Justiça.
A Princesa Eireli entrou na Justiça questionando o motivo pelo qual a prefeitura não teria analisado adequadamente os recursos, favorecendo a Suzantur.
A 5ª Vara Cível de Mauá acolheu os argumentos da Princesa Eireli. O certame não foi suspenso, mas o juiz Rodrigo Soares pediu explicações à prefeitura de Mauá sobre a postura do poder público na licitação.
DESCREDENCIAMENTO DE LEBLON E VIAÇÃO CIDADE DE MAUÁ AINDA GERA DÚVIDAS:
O processo de descredenciamento da Viação Cidade de Mauá e Leblon Transporte de Passageiros é, no mínimo, polêmico.
A administração Donisete Braga acusa a Viação Cidade de Mauá e a Leblon Transporte de Passageiros de terem realizado supostas consultas aos dados de bilhetagem eletrônica sem conhecimento da prefeitura.
As empresas negam e a acusação não foi consenso na prefeitura.
Em 27 de junho de 2013, a procuradora do município, Thaís de Almeida Miana, assinou recomendação à prefeitura.
Ela aceitou as provas apresentadas pela Leblon Transporte que afirmou não ter havido invasão e que as consultas foram autorizadas e treinadas por técnicos da prefeitura.
A procuradora então recomendou a realização de uma nova sindicância, mais técnica, já que a usada para descredenciar as empresas era baseada mais em testemunhas.
A recomendação não foi seguida pelo prefeito Donisete Braga e pelo secretário de mobilidade urbana, à época, Paulo Eugênio Pereira.
O descredenciamento foi visto por movimentos sociais de Mauá e pelo mercado regional de transportes como uma espécie de manobra para restabelecer o monopólio dos transportes em Mauá, já que o objetivo seria tirar a Leblon, que não fazia parte do grupo de empresários de ônibus do ABC.
O prefeito Donisete Braga negou e disse que o novo modelo que vai ser implantado deve melhorar a mobilidade na cidade, com ampliação da frota que será 100% acessível e zero quilômetro.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite

    Issssssso da saaaaaaaamba .

    Att,

    Paulo Gil

  2. anthony disse:

    Acredito que o feitico esta se voltando ao feiticeiro, se repararmos tudo esta dando errado baltazar e suzantur brigando, funcionarios e populacao indignados e tudo indo de mau a pior parabens donizette, nessa historia so torco pela volta da leblon mais nada

  3. juninho fora pt estrela de vergonha disse:

    deixa e adivinhar a nova garagem da suzantur ou estrela de suzano av do pilar velho s/n vai ser alugado é tudo normal ninguém acha nada estranho.

  4. Lembro que muitos anos atrás existiu uma propaganda de óleo lubrificante, de pastilhas de freios,enfim algum de propaganda nestes termos e que foi publicada em uma antiga edicão da revista Transporte Moderno e se não me engano também da Technibus (que sabe o Sr Adamo Bazani lembre dessa propaganda) pois ela colhia a opinião de alguns frotistas pelo Brasil sobre a recomendação do uso dessa marca. O que me chamou a atenção na época eram os depoimentos dos empresários que usavam a marca e a fim de cada depoimento constava o nome do diretor e o nome da empresa ou do grupo econômico e quantas empresas faziam parte. E na época Baltazar foi citado ao fim dessa propaganda comandando um grupo de 43 empresas diferentes naquela época. Algum busólogo lembra disso?
    Minhas perguntas são:
    quantas e quais os nomes das empresas que faziam e/u ainda fazem parte do grupo Baltazar ? Em uma outra reportagem fala-se em 33 empresas (logo, deduz-se que 10 empresas deixaram de existir ou estão com seus nomes ainda em aberto na junta comercial de SP apesar de NÃO terem mais frota própria e é justamente o caso por exemplo da Viação Diadema Ltda !
    Porém isso não é um privilégio do Grupo Baltazar pois só na cidade de SÃO PAULO existem vários nomes de empresas de ônibus que NÃO EXISTEM MAIS e que ainda constam seus nomes na junta comercial do Estado de SP ! Tudo indica que essas empresas mais cedo ou mais tarde regressarão ao sistema e é o caso mais recente a empresa de código 2 3000 (grupo Belarmino) que foi ressuscitada tratando-se da Viação São Paulo Ltda e OBSERVEM que toda a frota está escondida sob o nome SAMBAÍBA e dividida entre os códigos 2 1, 2 2 e 2 3000. Se tudo fosse uma coisa só seria mais prudente numerarem os ônibus assim 20.001 à 21.250 – Área 2 frota de 1250 ônibus e numerados na sequência. O mesmo deveria ocorrer nas outras áreas onde esta situação se repete.
    Sei que código 20.000 é da URUBUPUNGÁ mas ela é uma empresa Metropolitana e portanto circula em uma pintura diferente.
    Todas estas artimanhas inclusive na numeração dos veículos tem o objetivo de pulverizar em vários códigos um grupo de empresas com o mesmo nome e pior ainda no caso de consórcio usando o nome do consórcio como se fosse o nome de uma empresa.
    O correto seria, ao invés de usar a inutil expressão PREFEITURA DE SÃO PAULO fossem utilizado o nome do consórcio e logo abaixo o nome da empresa. No caso do exemplo SAMBAÍBA Viação Brasil, SAMBAIBA Vianorte e SAMBAIBA Viação São Paulo!
    E agora com a pintura branca sendo substituida pela horrível cor cinza os 15.022 ônibus da cidade de SÃO PAULO ficarão ainda mais medonhos e com aspecto de velhos e sujos.
    Pelo menos nessa questão MAUÁ está de parabéns com uma bela pintura de frota que pode inclusive ser modificada por categoria de serviço dentro de um futuro sistema integrado na qual a cor vermelha (da foto) seria para os ônibus básicos, o mesmo lay out e na cor verde e branca (para os futuros ônibus alimentadores) e o mesmo lay out em amarelo e branco ou azul e branco para os de linhas troncais e/ou uma outra diferenciação para as linhas interbairros, caso elas sejam viáveis em MAUÁ.

  5. anthony disse:

    Maua nao e colombia e seu sistema transmilenium e sim uma cidade falida corrupta e com muita muita corrupacao esse negocio de cor e puro interesse politico

  6. Rodrigo disse:

    Tá vendo o que você, prefeito Donisete, e você, candidato Paulo Eugênio provocaram em Mauá por causa do rabo preso com empresários de ônibus.
    Doniseti e Paulo Eugênio foram responsáveis pela piora nos transportes em mauá, pela situação crítica dos trabalhadores e pela saída de uma empresa boa e que agia corretamente, o que vocês não sabem fazer.
    Só me estranha o fato de Claudinei Brogliatto, presidente da FRESP, deixar se envolver nessa lama que dá nojo que é o transporte de Mauá.
    A corrupção reina em Mauá.
    Moradores de Mauá como eu! Vamos mesmo ficar quietinhos?

  7. Paulo Gil disse:

    Marcos Nascimento, boa tarde.

    Essa fase de empresa com nome ja acabou faz tempo.

    A atual fase esta prestes a acabar, por 2 motivos:

    Os seus fundadores, pessoas as quais corre nas veias o sangue do buzao, ja estao se aposentando e na hora decurtir a vida.

    Normalmente, descentestes nao dao continuidade aos negocios dos pais, por “n” motivos que nao aleteram essa caracteristica de nao continuidade.

    Deixemos de saudosismos eencaremos a realidade.

    Conheco umcaso concreto,mas nao citarei como exemplo, pois me doeu no coracao, mas infelizmente dinheiro nao tem sexo, credo ou raca, entao deixarei de ser saudosista tambem.

    Outra questao de suma importancia e que com as novas tecnologias presente no buzao atual, bem como as que chegam diariamente o custo do buzao, sera cada dia mais alto.

    Portanto, para se ter uma empresa de busao, nao basta ser apaixonado pelo busao, tem de ter e dinheiro nobolso ou muiiiiiiito credito, nas instituicoes financeiras.

    Assim sendo, nao havera mais empresa de buzao, viacao, expresso, empresa auto onibus e o escambus, digo, escambal.

    Havera sim, e muitiiiiiiiissimo em breve sohaveragrandesgrupo, inclusive, internacionais, que simplismente manterao as marcas tradicionais, por estrategia de marketing.

    Por isso que os Tubaroes mantem as empesas abertas, pois estas marcas valeraomais que 1000 apachezinhos baleadacos e encardidacos.

    A proxima fase do busao sera assim, so grandes grupos a exemplo do queja ocorreu com grandesmarcas de produtos alimenticios.

    Alguem duvida ?????

    Mais uma PREVISIVELLLLLLLLLL

    Att,

    Paulo Gil

  8. jagbsks disse:

    E Baltazar VC foi poderoso mais VC perdeu para o dono da suzatur e Donizete Braga os dois juntos são fortes kkkk VC perdeu Baltazar VC e Leblon não derao dinheiro para Donizete do pt vcs perderão a guerra

  9. não tenho mais nada a falar nem de Donizete nem de Baltazar e o filho nem de Claudinei blogiato e nem ronãn maria pinto nem roque graciatonem da beatris que vai assumir n o final do ano as linhas da e a o s a e ainda falta gente que eu não lembro mais esses podridão e melhor nem lembrar alias eu tou perdendo meu tempo que quem manda aqui e os barão dos transporte a Leblon cai de paraqueda foi bom enquauanto durou mais quem sabe um dia agente pode ver eles de volta quando o p t sair de vez por que quem ama maua não vota no p t mais fui petista por muitos anos fui fanático por que no passado o p t era o partido dos trabalhadores mais hoje e o partido dos empresários vocês duvida

  10. André Mariano disse:

    Adamo, vc sabe se a frota de 249 veículos que a Suzantur vai colocar em 4 meses, haverão articulados ?

    1. Não sei ao certo, mas provavelmente não

  11. silas vargas disse:

    sou usuario diario dos onibus da suzantur e queria deixar meu protesto da desorganizacao desta empresa pois depois que assumiu a cidade nao consequiu manter o bom servico prestado pela anterior com atrasos diarios ,falhas nos horarios os onibus demoram de mais causando lotacao e empurra empurra entre os passageiros sem contar falta de informacao dos funcionarios que sao despreparados e demonstram muita ma vontade alem dos onibus velhos sem condicoes de tranportar pessoas os que fszem zaira5 estao quase se desfazendo inteiro podendo causar algum acidente gravissimo espero que tomem providencias urgentes colocando os onibus novos que anunciaram em dezembro e ate agora nada afinal nao estamos pedindo nada mais do que aquilo que e obrigacao de voces prestarem um servico de qualidsde para a populacao que sao seus clientes e merecem respeito

Deixe uma resposta