Polícia Civil diz ter descoberto nova ligação entre PCC e cooperativas de ônibus de São Paulo

Publicado em: 17 de julho de 2014

ônibus queimado PCC

Ônibus queimado em São Paulo. Polícia encontra mais um elo entre o PCC e cooperativas de transportes na Capital Paulista. Homem apontado como negociador de micro-ônibus para a facção criminosa também aparece nas investigações sobre incêndios a ônibus de empresas municipais. Folha Press

Polícia Civil em nova investigação vê elo entre PCC e cooperativas de ônibus em São Paulo
Dono de concessionária vendia micro-ônibus para membros da facção que operam transportes na Capital, segundo investigações
ADAMO BAZANI – CBN
Na operação mais recente contra a facção criminosa PCC, que atua dentro e fora de presídios no Estado de São Paulo, a Polícia Civil encontrou mais indícios de supostas ligações entre o grupo organizado e donos de veículos das cooperativas de transportes na cidade de São Paulo.
Segundo as interceptações telefônicas, o elo entre a facção e as cooperativas seria Marivaldo Maia Souza, apelidado de Tio.
Dono de uma concessionária de veículos, segundo a Polícia, ele é responsável pela venda de micro-ônibus de transporte coletivo para membros do PCC que atuariam nas cooperativas.
Ele também teria cedido espaço para reuniões do grupo em concessionárias e garagens.
Ainda segundo a Polícia, ele comprava os micro-ônibus para os integrantes da facção criminosa e registrava os veículos em nomes de laranjas para despistar as investigações.
Marivaldo foi um dos 40 presos na “Operação Bate Bola” contra a atuação do PCC, que apreendeu 102 kg de cocaína, 40 kg de maconha, além de armas (um fuzil entre elas) e carros (como um Porsche).
Houve apreensões na loja de Marivaldo.
O nome dele também apareceu nas investigações sobre ataques a ônibus de empresas municipais de São Paulo.
Ainda segundo a Polícia Civil, ele seria chefe de João dos Santos Souza, conhecido como Dão.
Dão é suspeito também de ligação com o PCC e foi flagrado na reunião dentro da Transcooper em março, com supostos membros da facção, onde participou também o deputado Luiz Moura, eleito pelo PT, com outros 17 investigados.
Os acusados negam ligação com o grupo criminoso.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Comentários

  1. Pedro disse:

    E tem gente que ainda achava que quem punha fogo em ônibus era a população, santa ingenuidade, era obvio que eram grupos do crime organizado, e quem vai ter peito de investigar isto até o fundo, da medo até de ler sobre o assunto imagina entrar neste tunel das tervas, o nosso transporte não pode ser passado a limpo, porque não tem onde colocar tanta sijeira.

  2. Ana Souza disse:

    isto ai tds sabem esta cooperativas é complicadas mais vamos esperar pra ver no que vai dar e prefeitura sabem tb só que ela é omissa tem que investigar tb prefeitura sptrans secretaria vai fundo que vcs vão achar responsável pq se colocar dedo na ferida mesmo negocio vai ficar feio
    esta queimadeira de ônibus ai mesmo que esta mandando? pq não queima as lotações só ônibus ? tem coisa errada tds sabem mais e omisso de assumir seus erro ai quem paga é população Parabens pela policia civil em investigar queremos solução pra estes problema .promotoria tb tem que entrar junto Promotor Saad grande promotor que deve esta atuando pra tenta resolver esta questões.

  3. Anônimo disse:

    “Para o triunfo do mal, basta que os bons não façam nada.”

  4. Anônimo disse:

    Que fique claro que nessas cooperativas há muitos trabalhadores,mas a SPTrans deveria acompanhar essas cooperativas e as mais problemáticas deviam ser estatizadas.

  5. alex disse:

    pq vcs acham q pra nova licitação é previsto um grande aumento das cooperativas em sp??? cooperativas de perueiros foram legalizadas qdo???? Dona Marta e Maldade, um detalhe é q o secretino dos transportes é o mesmo Tatto de sempre… fora Tatto, fora Ptralhas…

  6. RICHARD disse:

    Onde há dinheiro tem fogo!! Vale lembrar que não é só a prefeitura culpada!Os empresários são donos de empresas de transportes e carrocerias e vendem para os coopers tambem.Como disse o Pedro as vezes dá medo só comentar mesmo……………

  7. jackson disse:

    cooperativa não devia existir e cada perueiro deveria ter apenas um ônibus e ser ficha limpa sem antecedentes e quaisquer rolos na justiça e receber ou direto da prefeitura ou das empresas do sistema como a santa brígida cidade dutra entre outras e na verdade esses perueiros serem prestadores de serviço das empresas assim acho que iria diminuir essa situação que ocorre hoje…

  8. José Henrique Navarro Silva disse:

    Cade aquele Rodrigo mi mi mi que reclamou que o adamo defende cooperativa na outra postagem?
    Mais uma prova de que ele é uma pessoa que só quer causar e aparecer.

  9. Solução para a cidade de São Paulo !
    Fim das cooperativas
    Os funcionários atuais das cooperativas passariam à condição de OAT
    OAT – Operador Autônomo de Transporte
    As OATs seriam divididas em 12 áreas atendendo o desejo da prefeitura de rachar 4 das 8 áreas atuais para abrir 12 áreas e pinturas diferenciadas em cada área entrando as novas 4 cores sendo a: lilás, turquesa, ocre e rosa claro.
    Para ser um OAT não deve ter antecedentes criminais
    Operar de forma coordenada com outros OAT numa mesma linha atendendo ainda as demandas de passageiros verificadas aos sábados, domingos e feriados.
    Ter 1 só micro, micrão ou ônibus ou no máximo 2 ou 3 (quando tiver um irmão, irmã ou pai no negócio)
    O recebimento do serviço seria remunerado pela prefeitura ou então pela empresa de ônibus que o OAT presta serviço.
    Nos casos em que a prefeitura paga seriam aqueles casos de linhas não rentáveis onde exista a necessidade imperiosa de prover transporte e na qual as empresas particulares NÃO tem interesse econômico. DÁ PRÁ FAZER tudo isso, basta querer ou seja ter vontade política!
    Alguém da busologia poderia apresentar essa idéia diretamente ao prefeito Fernando Haddad ? Duvido que ele atenda essa sugestão apesar de ter boa intenção é sabido que por trás de um prefeito também existe uma grande equipe do contra dentro da própria prefeitura! Por isso defendo ainda que CONCURSO PÚBLICO deveria existir sempre de 4 em 4 anos. Na minha opinião isso deveria ser um aperfeiçoamento da política afim de evitar um bando de preguiçosos técnicos dentro de uma prefeitura que quando sentem-se na desconfortável oposição FAZEM DE TUDO para barrar todos os projetos que prefeitos e vereadores tem para melhorar a cidade! Esta meus amigos é uma desgraçada realidade em todos os 5570 municipios do Brasil e portanto um concurso público para suprir as principais vagas de 4 em 4 anos seria também a solução para acabar com esses desmandos.

  10. jean disse:

    icia mais brega…quero ver mexer no vespeiro isso sim

  11. Sergio Santo André disse:

    Nooooosssa, descobriram a América !!!!!!!!

Deixe uma resposta