Haddad diz que prefeitura foi pega de surpresa pela paralisação de motoristas de ônibus

ônibus

Ônibus foram parados em diversas regiões e mesmo quem não quis aderir aos protestos, foi obrigado a abandonar os veículos. Foto: Estadão Conteúdo.

Haddad diz que paralisação de rodoviários foi surpresa
Os motoristas que não quiseram aderir ao movimento foram obrigados a parar os veículos no meio do trajeto
ADAMO BAZANI – CBN
O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, disse que a administração municipal foi pega de surpresa com a paralisação de parte dos motoristas e cobradores de ônibus.
Pelo menos treze terminais ou estações registraram bloqueio por parte de uma ala dissidente do Sindimotoristas – Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo, que é o sindicato que representa 37 mil rodoviários em São Paulo: Amaral Gurgel, Barra Funda, Bandeira, Butantã, Casa Verde, Lapa, Parque Dom Pedro, Pinheiros, Pirituba, Princesa Isabel, Sacomã, Santana e Vila Nova Cachoeirinha o terminal/estação Mercado, que faz parte do Expresso Tiradentes.
Haddad participou da 65ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos e disse que não está descartada a possibilidade de multas a quem estiver envolvido com a paralisação.
Para ele, se houve um acordo, então deve ser cumprido.
Os motoristas e cobradores de ônibus que não aderiram espontaneamente eram obrigados a parar e abandonar os veículos pelos responsáveis pelo movimento.
Pneus dos ônibus foram esvaziados.
A ala dissidente é contra o acordo entre o SPUrbanuss – Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo, e o Sindimotoristas.
O acordo possibilitou reajuste de dez por cento nos valores dos salários e aumento no valor de benefícios.
Hoje, um motorista na Capital Paulista recebe R$ 1955 passando para R$ 2150,50, e um cobrador ganha R$ 1130 indo para R$ 1243.
A licença-maternidade para as mulheres que trabalham no setor passa de quatro meses para seis meses.
O reconhecimento de insalubridade para cálculos de aposentadoria também faz parte do acordo entre o SPUrbanuss, sindicato das empresas de ônibus, e o Sindimotoristas, que representa 37 mil trabalhadores de transportes na cidade de São Paulo.
Com isso, há possibilidade de aposentadoria especial com 25 anos de trabalho.
O vale-alimentação passa para R$ 445,50 e participação nos lucros e produtividade será de R$ 850.
DISPUTAS INTERNAS:
O Sindimotoristas é marcado historicamente por disputas internas.
Há vários inquéritos policiais, inclusive de homicídios, que apuram crimes que teriam sido motivados por estes embates.
Na metade do ano passado, o atual presidente do Sindimotoristas, José Valdevan, o “Noventa”, que na época era de oposição, chegou a usar o mesmo expediente e parou terminais na cidade de São Paulo contra o antigo mandatário do sindicato, Isao Hosogi, o Jorginho.
As eleições para a presidência da entidade, que deveriam ocorrer em julho, foram marcadas por violência e até tiroteio na sede do sindicato.
Somente em setembro foram realizadas, quando José Valdevan, o “Noventa”, venceu Isao Hosogi, o Jorginho, com 57% dos votos.
RODÍZIO SUSPENSO:
Por causa da paralisação, a CET – Companhia de Engenharia de Tráfego suspendeu o rodízio municipal de veículos entre às 17h e às 20h desta terça-feira.
EM NOTA, SPTRANS REPUDIA PARALISAÇÃO E FALA EM SABOTAGEM:
“A SPTrans já acionou a Polícia Militar e solicitará ao Ministério Público a apuração das responsabilidades sobre as paralisações registradas na manhã desta terça-feira, que prejudicam a operação do sistema para os usuários de ônibus especialmente na região Central e Zona Oeste da cidade.
A SPTrans repudia com veemência os fatos ocorridos, como a retirada de chaves dos coletivos, impedindo sua circulação, considera os atos sabotagem ao sistema e irá agir com o rigor necessário à apuração e punição dos envolvidos e responsáveis.”
CET RECOMENDA QUE MOTORISTAS EVITEM O CENTRO DE SÃO PAULO, CONFORME A NOTA:
A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) recomenda aos motoristas que evitem circular pela região central da cidade, em razão de manifestações que bloqueiam o acesso dos terminais Princesa Isabel, Amaral Gurgel e Bandeira. O bloqueio do Viaduto Diário Popular prejudica o funcionamento dos terminais Dom Pedro e Mercado.
Os bloqueios também acontecem em vários terminais, como Cachoeirinha, Pirituba, Lapa, Sacomã, Pinheiros, Casa Verde, Santana e Barra Funda. Em razão das ocorrências o Expresso Tiradentes também não está operando.
A circulação dos ônibus nos corredores Francisco Morato/Eusébio Matoso/Rebouças/Consolação; Rio Branco/Marquês de São Vicente; Figueira/Senador Queiróz e São João/General Olímpio da Silveira também está prejudicada.
Agentes da CET e da SPTrans monitoram o trânsito e o transporte nas regiões, orientando passageiros e motoristas.
Ressaltamos que o rodízio municipal de placas, para os finais 3 e 4, está suspenso para o período da tarde de hoje.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

2 comentários em Haddad diz que prefeitura foi pega de surpresa pela paralisação de motoristas de ônibus

  1. MARIA HELENA DE ALMEIDA // 20 de Maio de 2014 às 21:57 // Responder

    O Prefeito de São PAULO ESTÁ NOP DATENA DIZENDO QUE NÃO TEM MOTIVO DE GREVE, QUE UM PROFESSOR EM FINAL DE CARREIRA GANHA 8000,00REAIS OITI MIL REAIS. ORA PREFEITO, E A SAÚDE??? E OS FUNCIONARIOS DA SAÚDE COM REAJUSTE DE ,30CENTAVOS VERGONHA VERGONHA,,,COLOCAMOS LADRÕES, PARA ADMINISTRAR SÃO PAULO,, ENTÃO DÁ NISSO.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: