Ônibus param em Curitiba contra a violência

ônibus

Ônibus em Curitiba. Motoristas e cobradores fizeram ato de uma hora contra a violência. Foto: Paraná On Line

Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região param por uma hora contra violência
Toda a frota foi parada. No domingo, um cobrador foi assassinado porque os criminosos acharam que ele tinha pouco dinheiro na catraca.
ADAMO BAZANI – CBN
Toda a frota de ônibus municipais e Curitiba e parte dos serviços na Região Metropolitana foi paralisada em protesto contra a violência.
Os ônibus não prestaram serviços das 9 horas às 10 horas. Catracas das estações-tubo e de terminais foram bloqueadas. Em alguns pontos, os motoristas e cobradores, representados pelo Sindimoc, colocaram faixas com a palavra “Luto”.
Os profissionais reclamam da insegurança para trabalhar no transporte coletivo.
No último domingo, dia 26 de maio, o cobrador Osmair Caldeira da Silva, de 31 anos, foi assassinado durante assalto ao ônibus onde trabalhava na linha Cabral – Guaraituba, em Colombo.
A polícia prendeu um dos suspeitos do assalto e da morte, Wellington Macedo de Oliveira, de 18 anos. Ele disse que matou o cobrador porque o profissional reagiu. Testemunhas contam, no entanto, que ele e mais um assaltante foram agressivos com o funcionário da empresa de ônibus e o mataram porque ficaram irritados com o fato de haver pouco dinheiro no veículo.
O outro suspeito, identificado como Cabral – Guaraituba, está foragido.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

2 comentários em Ônibus param em Curitiba contra a violência

  1. Se o marginal vai até no consultório e o profissional não tem dinheiro , ele ateia fogo , se essa moda pegar de verdade estamos perdido , porque todo assalto que não tiver dinheiro para os ladrões ele matar a vítima , aonde nós vamos parar?

  2. Amigos, boa noite.

    Temos é de parar o Brasil para mudar o Código Penal, isso sim.

    Lembrando que é MUDAR e não remendar.

    Enquanto for essa moleza das penas atuais, tudo ficará assim sem respeito:

    Mudando-se o Código Penal:

    Cometeu crime ?

    Sim.

    Foi julgado culpado ?

    Sim.

    Pena:

    Quebrar pedra debaixo do sol até virar pó de pedra # 400 (malha 400) e sem benefício.
    de regressão e indulto de dia das mães, Natal e o escambal.

    Fazer pó de pedra # 400 (malha 400) até o fim da própria vida.

    Enquanto for essa moleza, igual a tomar sopa de minhoca que não tem osso,
    ninguém tem respeito pelas penas em vigor e muito pela vida dos seus semelhantes.

    Mas é pedagógico lembrar:

    “EDUCAI AS CRIANÇAS E NÃO SERÁ PRECISO PUNIR OS HOMENS”

    Att,

    PAulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: