Motoristas de ônibus do Rio de Janeiro terão de passar por curso de reciclagem

ônibus

Ônibus no Rio de Janeiro. Sindicato das empresas deve ser obrigado a oferecer cursos de recilcagem profissional para motoristas de ônibus. Prefeito Eduardo Paes deve assinar decreto na sexta-feira com a obrigatoriedade.

Empresas de ônibus terão de fazer reciclagem de motoristas
Decisão da prefeitura se deu depois de reunião com presidente da Federação de Triathlon
ADAMO BAZANI – CBN
O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, anunciou na manhã desta quarta-feira, dia 1º de maio, após protestos de ciclistas, que na sexta-feira deve editar um decreto obrigando que o Rio Ônibus, o sindicato que reúne as empresas da capital fluminense, crie cursos de recilcagem regulares e obrigatórios para os motoristas de transportes coletivos.
A promerssa foi feita durante reunião com o presidente da Federação de Triathlon do Rio de Janeiro, Julio Alfaya.
A capcitação dos motoristas deve ocorrer em um ano e os cursos devem ser abrangentes, contanto com noções de direção defensiva, prevenção de acidentes. relacionamento, atendimento ao cliente e até primeiros socorros .
Eduardo Paes ainda disse que a prefeitura vai criar um sistema de informações entre o poder público e empresas para determinar quais as infrações de maior e de menor gravidade.
As empresas terão de informar o nome dos motoristas envolvidos nestas infrações que poderão ser advertivos, suspensos ou mesmo demitidos.
Na manhã desta quarta-feira foi realizado um protesto por causa da morte do dentista Pedro Nikolay, de 31 anos, que foi atingido por um ônibus urbano nesta terça-feira. O ciclista que tentava participar de uma prova de triatlo na Espanha não resistiu os ferimentos e morreu.
O motorista Onofre Marques dos Santos foi indiciado por homicídio culposo, sem intenção.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

3 comentários em Motoristas de ônibus do Rio de Janeiro terão de passar por curso de reciclagem

  1. Amigos, boa tarde.

    Eu já vi muita barbaridade nas estadas deste Brasil, embora eu não viaje tanto quanto eu gostaria (24 horas por dia).

    1) Portanto essa reciclagem deve ser obrigatória a todos os motoristas deste país profissionais ou não.

    2) Na cidade de sampa em especial aos motoristas de carrões e SUV´s grandes e importados, que abusam do tamanho querendo passar na frente de tudo e de todos, bem como jogando seus carroões em cima da gente.

    3) Ainda em Sampa as “mocinhas” que simplesmente jogam o carro a 45 graus, em cima da gente para mudar de pista. (espero que uma mocinha com um Kia Soul preto que fez isto comigo na Marginal Pinheiros atras do jóquei sentido Pinheiros Santo Amaro esteja lendo este e não mais faça o que ela fez comigo).

    4) Volto a lembrar que matematicamente é impossível um carro passar a 1,5 m de distância de um ciclista, pois quem fizer isso baterá no carro que estiver ao seu lado.

    E ai quando dá acidente todo mundo quer enquadrar o motorista num homicídio doloso, pois por culposo ele já vai direto no Inquérito Policial.

    Algum matemático discorda ? Se houver demonstre seu teorema que eu quero aprender.

    5) As bicicletas que circulam nas ruas e avenidas também deveriam pagar IPVA, DVPAT, TAXA DE INSPEÇÂO e LICENCIAMENTO para ter placas, para que possamos identificar os maus ciclistas.

    6) Ciclista não é santo não, pois todo dia eu me deparo e as vezes também sou vítima das barbaridades que eles fazem. Já esclareço que não estou generalizando, mas a maioria não respeita nada.

    Neste item estou elaborando um “book”, para provar publicamente, todas as barbaridades que os ciclistas também fazem e diariamente. (já comentei aqui e comento de novo para reforçar; ao lado do ponto que eu pego o Buzão para ir ao trabalho, tem um farol de pedestres e nos 15 / 20 minutos que eu
    fico no ponto todo dia, pelo menos 4 ciclistas passam com o farol vermelho).

    Mas ai só o motorista do Buzão é que é irresponsável e tem de ser indiciado.

    7) Repito que essa metodoglia “X.9” de pessoas não dá resultado em empresa de nenhum ramo de atividade e em nenhum lugar deste planeta.

    8) Os passageiros também necessitam e com mais urgência ainda a passa por um curso de reciclagem de EDUCAÇÂO

    [Não utilizar mochila enorme quando anda de Buzão, não ficar encostado nos degraus, não falar alto ao celular, tratar com educação e urbanidade o piloto e o cobrador do Buzão, não pegar o cartão ou o dinheiro do bolsa ou da carteira só hora que esta do lado da catraca, respeitar o lugar dos passeiros preferenciais, não dar sinal de bobeira e fazer o motorista também parar de bobeira e tantas outras falta de educação que vemos diariamente]

    OBS.: Domingo vi um comboio de Buzão numa estrada paulista, transportando torcedores de um time, sendo escoltados pela polícia rodoviária militar; é mole ?

    Eu nem sabia que isto é necessário e nunca tinha visto.

    Por que será que há necessidade desta escolta policial ?

    No mínimo deve ser falta de educação, cidadania e civismo; sem contar o resto.

    9) Para qualquer coisa que se faça neste país temos de pagar impostos, taxas, tarifas e o escambal certo ? Certo.

    Aqui em Sampa quando apareceram as caçambas de retirar entulho, não demorou muito a PMSP, já inventou um cadastro e logicamente esse cadastro tem um custo, sem contar os fretados e o tal de CADAN para luminosos e cartazes e outras TO´s (taxas dos otários).

    Portanto ciclista também tem de pagar IPVA, DVPAT, TAXA DE INSPEÇÃO e LICENCIAMENTO para ter placas; pois assim poderão utilizar as vias, causar acidentes, e serem identificados para tomar as multas quando fazem suas barbaridades diariamente.

    Se a CET colocar um radar para multar ciclistas no farol próximo ao ponto onde eu pego o Buzão,
    vai dar um bom faturamento / dia; aproveitem a dica.

    Já diz o ditado:

    “Macaco olha o rabo dos outros mas não olha o dele”

    Se querem as coisas certas que estas sejam dever de todos e não só do motorista do Buzão em ser indiciado por homicídio doloso por algo que matematicamente é impossível de acontecer.

    Aliás sugiro que os defensores dos motoristas do Buzão utilizem esta tese, afinal, a matemática é exata.

    Se os que se dizem amigos e defensores dos ciclistas, estes deveriam explicar aos ciclistas que matematicamente é impossível qualquer outro veículo, até mesmo os movidos a capim, a passar a 1,5 m de distância de qualquer ciclista sem colidir com o veículo que esteja na pista ao lado (seja esquerdo ou direito).

    Reflitam, pensem grande e deixem os motoristas do Buzão trabalharem em paz, afinal o calorão dos motores dianteiros já é uma penitência que eles tem de pagar todos os dias.

    Ciclista trafegando pelas ruas e avenidas NÃO e NUNCA.

    Ciclistas trafegando pelas ciclovias SIM e SEMPRE.

    Para encerrar; há no Blog uma matéria sobre ciclovias em São Caetano do Sul, onde um ciclista ao fazer um comentário, ele mesmo caiu em contradição e confirmou o perigo de trafegar com sua bike nas ruas e avenidas de São Caetano do Sul, portanto com esta confirmação, não mais o que se discutir sobre o tema.

    Att,

    Paulo Gil

  2. Adamo e amigos, boa noite.

    Navegando pelo You Tube há umas horas atras, encontrei uma figura sensacional, um piloto de Buzão, repórter; e se ele largar o volante do Buzão, certeza absoluta será o futuro apresentador
    do Globo Reporter.

    Ele tem postado no You Tube mais de 120 vídeos.

    Não sei qual é o número do vídeo que vou mandar o link para vocês abaixo; mas entendo ser necessário começar por este.

    Eu quero assistir a todos, achei sensacional.

    Adamo vale a pena fazer uma entrevista com o Waguinho Guitar.

    https://www.youtube.com/watch?v=SNNC20vdsrk

    Att,

    Paulo Gil

  3. Solano Henrique Moura de Carvalho // 7 de Maio de 2013 às 21:47 // Responder

    Acho válido qualquer tipo de reciclagem e aperfeiçoamento, porém, boa parte dos acontecimentos se devem a exigência das empresas em vincular o dia de trabalho dos motoristas à quantidade de viagem e não à horas de trabalho (7 horas). Se formos seguir a risca, andar sempre na direita, parar em todos os pontos e não avançar sinal. Trabalharíamos mais de 12 horas. Trabalhando da forma que trabalhamos hoje, não conseguimos trabalhar menos de 10 horas. E as Empresas, para não pagar essas 3 horas extras diárias, nos obrigam a tirar folgas extras, geralmente em feriados. Pois ai não pagam nem pelas horas nem pelo feriado trabalhado. As mudanças têm sim que acontecer, mas tem que ocorrer de cima para baixo e não ao contrário.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: