Faltam poucas unidades para São Paulo completar lote de 50 trólebus

trólebus

Lote de 50 trólebus novos de 15 metros para a Capital Paulista deve ser completado nos próximos dias. Quatro estão em finalização, um chegou nesta sexta-feira na empresa que fabrica os equipamentos e outro foi concluído também nesta sexta-feira. Ainda faltam três unidades para chegarem à empresa Eletra. Foto: Adamo Bazani.

Faltam três unidades para São Paulo completar lote de 50 trólebus novos de 15 metros
Veículos possuem maior capacidade de transporte que os modelos convencionais e contam com equipamentos de acessibilidade
ADAMO BAZANI – CBN
Nos próximos dias, o lote de 50 trólebus novos de 15 metros para a cidade de São Paulo deve ficar completo. Uma parte dos veículos já está em circulação.
Faltam três unidades para o lote ser fechado. Estes três veículos (46, 49 e 50) ainda não chegaram à empresa responsável pela produção dos equipamentos eletrônico Eletra.
A encarroçadora Caio confirma a fabricação dos veículos.
Ainda estão na Eletra, em São Bernardo do Campo, quatro veículos para a instalação do sistema elétrico e integração dos equipamentos (43, 44, 45 e 48) . Além destas unidades, um já foi finalizado (42) e outro (47) chegou nesta sexta-feira para entrar na linha da produção.
Os ônibus elétricos novos operam na Ambiental Trans, que prestam serviços nas linhas de trólebus remanescentes na cidade, servindo a Zona Leste e o centro da cidade.
Os veículos, por serem maiores que os convencionais, possuem três eixos e capacidade superior de transportes, podendo variar entre 96 e 101 passageiros, ante os 74 dos modelos com três eixos.
Com piso baixo até metade da carroceria, o veículo oferece acessibilidade para passageiros portadores de necessidades especiais e também facilita o embarque e desembarque de idosos.
Há bancos especiais para pessoas com deficiência, idosos, gestantes e obesos. O interior também conta com espaço para fixação de cadeira de rodas ou para cão-guia acompanhante de portadores de deficiência visual.
Totalmente elétrico, o veículo não emite nenhuma poluição em sua operação. O trólebus é considerado como uma das soluções tecnicamente e economicamente viáveis para mobilidade urbana limpa em sistemas de média capacidade.
O chassi é de fabricação da empresa Scania, com carroceria modelo Millennium BRT, da Caio, motor elétrico WEG e sistema de integração e equipamentos da Eletra.
No ano passado, o gerente nacional de vendas da Scania, Wilson Pereira, chegou a anunciar a venda de 100 trólebus deste tipo para a cidade de São Paulo.
Os outros 50 veículos ainda estariam em negociação e não há data para a conclusão dos entendimentos. Também há um lote de ônibus elétricos convencionais, com dos eixos, que já foi entregue para a cidade de São Paulo, com chassi Mercedes Benz.
Além do sistema da cidade de São Paulo, devem vir pelo menos 20 trólebus novos para o Corredor ABD, operado pela empresa Metra e que liga São Mateus, na zona Leste de São Paulo, ao Jabaquara, na zona Sul, passando pelos municípios de Santo André, Mauá (Terminal Sônia Maria), São Bernardo do Campo e Diadema.
Os veículos da Metra para finalização na Eletra, que pertence ao mesmo grupo empresarial, devem chegar nos próximos dias e terão também carroceria da Caio.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

2 comentários em Faltam poucas unidades para São Paulo completar lote de 50 trólebus

  1. washington de siqueira // 8 de Fevereiro de 2013 às 22:25 // Responder

    bacana. essa é a melhor solução de transporte de massa para grandes cidades, acho até melhor doq o metrô pq é mais econômico. sem falar dos carros q são lindos e diferentes dos similares.

  2. Rodrigo Moreira dos Santos // 13 de Fevereiro de 2013 às 01:08 // Responder

    Olá, eu sou o Rodrigo, tenho 32 anos e moro no Grajaú; eu tenho certeza que, infelizmente, 10 anos se passaram e os trólebus em geral, que operavam os bairros das zonas norte, sul e oeste, estão cada vez mais parados e até podres nas garagens das empresas. Até hoje a maioria dos trólebus só circulam os bairros das zonas central e leste e nos outros bairros em geral só circulam os ônibus movidos ao óleo diesel normal e poluente; a grande parte da população está morrendo vítima de problemas respiratórios e os pulmões estão cheios de fumaça do óleo diesel. Por isso nós preferimos encher os nossos olhos de fios aéreos que se instalam nos postes aéreos do que encher os nossos pulmões de fumaça do óleo diesel que causa as graves doenças nos nossos pulmões, porém, os políticos, os governadores e os prefeitos não estão nem aí com essa providência que está sendo tomada por todas as pessoas devido as questões, as discussões e até as burocracias polêmicas e por isso até hoje esses projetos dos trólebus que circularão os 96 bairros distritais e periféricos da cidade de São Paulo não saíram do papel. Nós estamos todos indignados com essa situação e queremos que os trólebus voltem a circular os bairros das zonas norte, sul e oeste e, além dos bairros das zonas central e leste, coloquem e implantem os trólebus nas linhas das empresas de ônibus 1 (verde claro), 2 (azul escuro), 3 (amarelo claro), 4 (vermelho claro), 5 (verde escuro), 6 (azul claro), 7 (vermelho escuro), 8 (laranja) e 9 (cinza) em 96 bairros distritais e periféricos da cidade de São Paulo e também em todos os terminais de ônibus, principalmente nos terminais Grajaú e Varginha. Vamos todos cobrar dos políticos, dos governadores e dos prefeitos. Se a providência não for tomada com a urgência e nem sair do papel, todos nós ficaremos cada vez mais tristes com essa situação; mas, se ela for tomada com a urgência e sair do papel, aí sim que todos nós ficaremos alegres e gratos. A partir deste momento São Paulo vai começar a mudar de uma vez por todas para melhorar o ar que respiramos e anunciar a propaganda dos trólebus que serão implantados em todos os 96 bairros distritais e periféricos de São Paulo dentro e fora do horário eleitoral e político em todas as emissoras de rádio e de televisão e também em todos os jornais e em todas as revistas. E outra coisa: todos os ônibus movidos a óleo diesel têm os motores barulhentos, soltam muita fumaça, são desconfortáveis e deixam todas as pessoas doentes porque algumas não agüentam mais ficar o tempo todo em pé e as outras não agüentam mais ficar o tempo todo sentadas, enquanto dentro de todos os ônibus estão cheios demais 24 horas durante 7 dias por semana (de domingo a sábado) e 12 meses por ano (de janeiro a dezembro); mas todos os trólebus movidos a eletricidade aérea são bem diferentes: eles têm os motores silenciosos, não soltam muita fumaça, são bem confortáveis e chegam até melhorar o ar que respiramos a mesma coisa acontece com o metrô. Quando eu era criança, eu morava no Capão Redondo próximo ao Campo Limpo com o Morumbi e o Butantã, onde até hoje não circulam todos os trólebus e hoje eu moro no Grajaú próximo a Parelheiros depois de Interlagos, onde até hoje também não circulam todos os trólebus e os 96 bairros como eu citei todos eles. Vamos todos colaborar com os projetos de mais de 27 milhões de trólebus entre 15 e 20 metros que serão apresentados, analisados, testados e implantados direitinho para que eles saiam do papel com o prazo marcado para o tempo correto, definido e determinado através do programa expandido da prefeitura e do governo chamado “POLUIÇÃO ZERO” que será fundado entre janeiro de 2013 e janeiro de 2014. Vamos testar mais de 27 milhões de trólebus de 15 a 20 metros com as baterias recarregáveis, as alavancas automáticas que levantam e abaixam as muletas, a ventilação forçada e o gás natural quando acontece um blecaute, ou seja, a falta de energia elétrica que atrapalha os trólebus e o trânsito, vamos também tapar todos os buracos das vias públicas e colocá-los em ação em 96 bairros distritais e periféricos, para que não aconteça a falta de energia elétrica, que os trólebus andem com a energia desligada através das baterias recarregáveis, das alavancas automáticas que levantam e abaixam as muletas, da ventilação forçada e do gás natural e que os trólebus nunca mais sejam extintos como aconteceu no governo da então prefeita MartaSuplicy que simplesmente acabou com todos os trólebus, menos na Zona Leste e no Centro da cidade. A Marta era a boa prefeita, mas ela não deveria odiar todos os trólebus à eletricidade e sim odiar todos os ônibus ao diesel porque ela sabe muito bem que os trólebus à eletricidade purificadora têm os motores silenciosos, não soltam muita fumaça, são bem confortáveis e até melhoram o ar que respiramos assim como o metrô e sabe que os ônibus ao diesel poluidor têm os motores barulhentos, soltam muita fumaça, são desconfortáveis e deixam todos doentes, tanto os que ficam em pé o tempo todo como os que estão sentados o tempo todo. Não só em São Paulo inclusive capital, região metropolitana inclusive Osasco e região e Guarulhos e região, litoral e interior, mas em 26 estados brasileiros inclusive capitais, regiões metropolitanas, litorais e interiores de todo o Brasil e os 42.000 ônibus a diesel se transformarão em trólebus a eletricidade. Eu faço a pergunta: Qual é a diferença entre os postes aéreos e os postes subterrâneos? A diferença é que muitos dizem que os postes aéreos poluem visualmente a cidade, porém não é verdade; os trólebus funcionam através dos postes aéreos de concreto. Se os trólebus param de rodar por falta de energia, a Eletropaulo faz manutenção correta e eficaz; Mas, se eles são retirados e removidos, como é que ficam os trens das estações e as torres que estão nos matos vazios? Os carros, as motos, os caminhões e os ônibus batem nos postes de concreto e as árvores caem sobre eles e aí é a falta de energia elétrica. Os postes aéreos representam a segurança em todas as vias públicas. Agora a diferença é que não adiantam colocar os postes subterrâneos de metal e enterrar os fios e cabos porque os ladrões quebram os tampões, roubam os fios e os cabos e até os transformadores, os animais roedores vivem embaixo do solo para eles roerem os fios os cabos, durante a enchente esburacam as vias públicas, eles ficam expostos e quem pisa nos fios e nos cabos expostos morre eletrocutado, os carros, as motos, os caminhões e os ônibus batem também nos postes de metal e as árvores caem sobre os postes de metal e até os transformadores explodem e pegam o fogo, como acontece lá no Rio de Janeiro. A diferença é que os postes aéreos são de concreto e os postes subterrâneos são de metal. Atenção todas as pessoas que moram em Santo Amaro e no Morumbi, na Zona Sul, em Pinheiros e no Butantã, na Zona Oeste, na Casa Verde, na Freguesia do Ó, em Santana, no Mandaqui e no Tucuruvi, na Zona Norte e também de todo o Brasil, não fiquem tristes com essa situação dos trólebus que apodreceram porque a partir entre janeiro de 2013 e janeiro de 2014 mais de 42.000 ônibus a diesel se converterão em os trólebus a eletricidade e a partir daí todas as pessoas de todo o Brasil ficarão alegres e contentes ao receberem os trólebus que circularão em 27 estados brasileiros e o Brasil respirará o ar mais fresco, mais puro, mais limpo, mais forte e mais saudável. Em todo o Brasil mais de 85.000 ônibus a diesel antigos servirão para escolares e também para as polícias militares e civis e até para as guardas civis metropolitanas para a transferência de presos para os presidiários, desde que eles tenham as boas condições de uso. Atenção SPTrans, e todas as empresas de ônibus de todo o Brasil, acabem de uma vez por todas com a burocracia maldita, transformem os 42.000 ônibus a diesel em trólebus a eletricidade, implantem mais de 27 milhões de trólebus, ouçam e coloquem em prática as palavras do presidente do PRTB – Partido Renovador Trabalhista Brasileiro Levy Fidélix: “Os impostos e os custos altos dos trólebus têm que diminuir bastante até zerar todos eles totalmente o mais rápido possível.” E tem mais novidades: Entre outubro e novembro, todo o final de ano acontece a última prova do grande prêmio do Brasil de fórmula 1 no autódromo de Interlagos, na zona sul de São Paulo e no autódromo de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro e em várias ruas, avenidas e praças dos autódromos de Interlagos, em São Paulo e de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, mais de 27 milhões de trólebus de 15 a 20 metros, que circularão entre 2013 e 2014, em todo o Brasil terão nos itinerários o expresso fórmula 1 para mais de 250.000 pessoas que moram e assistem a corrida de fórmula 1 e para que várias pessoas possam ter o prazer em andar de trólebus. A Eletropaulo que trocou os postes e de todos os materiais deles e também trocou aslâmpadas de mercúrio por lâmpadas de vapor de sódio está fazendo a reforma geral em 6 tipos de luminárias antigas que foram fabricadas no fim dos anos 60 e no início dos anos 70 para recolocar os 6 tipos de luminárias antigas e reformadas em todos os postes e em todos os 96 bairros distritais e periféricos de São Paulo, em Santos e em Sorocaba e região e terão em 6 tipos de luminárias antigas e reformadas vários pontos de lâmpadas de vapor de sódio das cores amarelas e brancas intensas e fortes para segurança noturna. E, além de implantar mais de 27 milhões de trólebus em todo o Brasil através do programa “POLUIÇÃO ZERO”, vamos implantar também mais de 27 milhões de micro trólebus a eletricidade e gás natural para que eles também andem com a energia desligada com a ventilação forçada, as baterias recarregáveis e as alavancas automáticas que levantam e abaixam as muletas em todo o Brasil e em São Paulo e os 96 bairros distritais e periféricos da capital paulista, transformando os microônibus a diesel em micro trólebus a eletricidade. Vamos também regular os motores dos caminhões, dos ônibus turísticos, escolares, etc…, os carros e as motos para melhorar o ar da grande cidade e eu quero que todos do Brasil inteiro me respeitem como eu respeito a todos. A partir de agora não vamos mais dizer que os trólebus e os micro trólebus são caros e que não pagam a manutenção e a conta cada vez mais alta, pois agora vamos dizer que os trólebus e os micro trólebus serão baratos que vão pagar a manutenção e a conta cada vez mais baixa. “Será que eu estou certo ou estou errado? Me ajuda aí, pelo amor de Deus!” eu disse como o José Luiz Datena. Que tal instalar os cabos aéreos para os trólebus na Avenida Dona Belmira Marin, Estrada de Itaquaquecetuba, Avenida Senador Teotônio Vilela, Avenida Sadamu Inoue, Avenida Presidente João Goulart, Avenida Lourenço Cabreira, Avenida Manoel Alves Soares, Rua Jequirituba, Avenida Rosália Ianini Conde, Avenida Paulo Guilguer Reimberg, Avenida Atlântica ( antiga Robert Kennedy ), Avenida Interlagos, Estrada do Alvarenga, Avenida Nossa Senhora do Sabará, Avenida Yervant Kissajikian, Avenida Cupecê, Avenida Guarapiranga, Estrada do Guarapiranga, Estrada do M´Boi Mirim, Avenida João Dias, Estrada de Itapecerica, Estrada do Campo Limpo, Avenida Maria Coelho Aguiar, Avenida Professor Francisco Morato, Avenida Morumbi, Avenida Giovanni Gronchi, Avenida Carlos Caldeira, Avenida Carlos Lacerda, Avenida Vereador José Diniz, Avenida Ibirapuera, Avenida República do Líbano, Avenida Engenheiro Luiz Carlos Berrini, Avenida Doutor Chucri Zaidan, Avenida Jornalista Roberto Marinho, Avenida Professor Vicente Rao, Avenida dos Bandeirantes, Avenida Washington Luís, Avenida Moreira Guimarães, Avenida Rubem Berta, Avenida 23 de Maio, Avenida Paulista, na Rua Augusta, na Rua da Consolação e vários outros pontos públicos e até nas marginais Tietê que liga as zonas norte, leste, Guarulhos e região e Pinheiros que liga as zonas sul, oeste, Osasco e região? Quando fala do Brasil inteiro, quer dizer que vai de leste a oeste e de norte a sul, concluindo as 5 regiões brasileiras. E, quando fala da cidade de São Paulo, quer dizer que vai de leste a oeste e de norte a sul da cidade de São Paulo e, quando fala do estado de São Paulo, também quer dizer que vai de leste a oeste e de norte a sul do estado de São Paulo. A partir de agora e no futuro bem próximo vamos aumentar bastante o grande número de trólebus em todo o Brasil, concluindo 5 regiões brasileiras, 27 cidades brasileiras e 27 estados brasileiros. Que todos possam e devem concordar e colaborar comigo, vamos aceitar esse desafio, arregaçar as mangas, entrar no acordo e mãos à obra. Tragam as boas notícias para as todas as pessoas de todo o Brasil e todas as pessoas de todo o Brasil vão dizer o seguinte: “Adeus, ônibus e microônibus movidos ao óleo diesel poluidor do ar e sejam bem-vindos, trólebus e micro trólebus movidos à eletricidade purificadora do ar!” Aí os trólebus são transportes turísticos e históricos que no futuro nunca mais serão extintos e abandonados como se fosse o lixo e todas as pessoas de todo o Brasil andarão sempre nos trólebus totalmente confortáveis para que todo o Brasil seja o país mais forte, saudável, puro e limpo.

    São Paulo terá no máximo mais de 1 milhão de trólebus movidos a eletricidade de 15 a 20 metros de largura em 47 empresas de ônibus para toda a cidade e em várias outras empresas de ônibus para todo o estado.
    O Brasil também terá no máximo mais de 27 milhões de trólebus de 15 a 20 metros de largura movidos a gasóleo e a eletricidade em todas as empresas de ônibus brasileiras e em todo o território nacional de 5 regiões brasileiras desde São Paulo até o Rio Grande do Sul.
    Outra vez estou enviando a minha matéria sobre os trólebus como eu enviei há 5 anos para as páginas da internet sobre os trólebus.
    Agora eu faço a pergunta: Qual é a diferença entre os ônibus híbridos e os trólebus híbridos?
    A diferença é que os ônibus híbridos são movidos a óleo diesel e a eletricidade sem as duas muletas que alimentam os cabos aéreos e flexíveis, poluem o ar de todas as grandes cidades do Brasil e deixam todas as pessoas tão doentes que elas gastam os milhões de reais em dinheiro com os remédios que não curam direito devido a poluição do ar que é igual o cigarro que provoca o câncer nos pulmões, na boca e várias outras partes do corpo e mata as pessoas.
    É por isso que todos os hospitais estão cheios de pessoas que estão internadas com os problemas respiratórios por causa da poluição que contamina o ar que respiramos e o meio ambiente.
    Agora a diferença é que os trólebus híbridos são movidos a gás natural e a eletricidade com as duas muletas que alimentam os cabos aéreos e flexíveis, não poluem o ar de todas as grandes cidades do Brasil e melhoram o estado de saúde das pessoas e o meio ambiente.
    Nós vamos mandar o prefeito Fernando Haddad e o governador Geraldo Alckimin implantarem os 27 milhões de trólebus híbridos movidos a gasóleo e a eletricidade com as duas muletas que alimentam os cabos aéreos e flexíveis em todas as cidades brasileiras e em todos os estados brasileiros para que eles andem com a energia elétrica desligada com as duas muletas levantadas ou abaixadas através das baterias recarregáveis, da ventilação forçada, do gás natural e das alavancas automáticas; de agora em diante todos os trólebus híbridos não só circularão no Centro e na Zona Leste, nem nos 96 bairros distritais e periféricos da cidade de São Paulo e nem todo o estado de São Paulo.
    Eu vou avisar a todos que andam de ônibus a diesel e de ônibus híbridos em todo o Brasil pela última vez: Se todos os trólebus a eletricidade e todos os trólebus híbridos não forem implantados entre janeiro de 2013 e janeiro de 2014 e se forem desativados de novo como aconteceu há 50 anos atrás no Brasil e no início de 2001 por todos os bairros, menos na Zona Leste e no Centro da cidade de São Paulo, infelizmente todos ficarão mais tristes, decepcionados, ficarão mais doentes e até morrerão de problemas respiratórios nos hospitais, em casa, etc…
    A ECOFROTA foi fundada no dia 13 de fevereiro de 2011 pelo então prefeito Gilberto Kassab e é o programa do biodiesel que polui menos o ar e serve para os caminhões, ônibus turísticos, escolares e vários outros serviços públicos e tratores; mas os trólebus e os trólebus híbridos são os melhores transportes públicos que não poluem o ar e nem ameaçam a saúde e o meio ambiente.
    Por isso a partir entre janeiro de 2013 e janeiro de 2014 serão implantados os 27 milhões de trólebus híbridos e 27 milhões de trólebus a eletricidade entre 15 e 20 metros e eles circularão por todo o Brasil.
    O que todos nós estamos esperando para termos os 27 trólebus e os 27 trólebus híbridos em todo o Brasil?
    Será que vão demorar a sair do papel por todos os séculos? Vamos fazer os testes com a rede de trólebus de marcha autônoma em 96 bairros de São Paulo, os 27 estados e mais 27 cidades do Brasil como em outros países do mundo? Então vamos Lá!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: