Onde a inflação é menos apurada, para Mantega pouco importa se o passageiro pague mais caro

onibus

Nas cidades que não são tão levadas em conta pelos índices de inflação, os aumentos de passagens de ônibus correm soltos. Já em São Paulo e no Rio, que pesam mais no IPCA e no INPC, Mantega pediu congelamento para mascarar índice da inflação, que está sem controle.

Passagem de ônibus aumenta em Cubatão e Ribeirão Preto
Só nas cidades que pesam no IPCA ou INPC, os aumentos foram congelados. Nas demais, pouco importa para o Governo Federal se o passageiro pague mais caro
ADAMO BAZANI – CBN
Mais duas cidades de São Paulo vão registrar aumento nas tarifas de ônibus.
Em Cubatão, no Litoral Paulista, a passagem dos serviços municipais vai para R$ 3,10, neste domingo, dia 20 de janeiro.
O valor não era reajustado desde março de 2011. De acordo com a Prefeitura, depois de estudos sobre os custos do sistema, a comissão técnica que definiu a tarifa chegou a um valor de R$ 3,62 e depois reviu para R$ 3,45, que é o que a empresa Trans-Líder, operadora do município, vai receber.
Sendo assim, o poder público vai pagar um subsídio de R$ 0,35 por passagem.
Segundo a prefeitura, no entanto, este subsídio é menor do que o pago sobre o valor da antiga tarifa. Antes a complementação financeira era de R$ 0,75.
RIBEIRÃO PRETO:
Os passageiros de ônibus de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, vão pagar tarifa mais cara a partir desta terça-feira, dia 22 de janeiro.
A passagem sofre reajuste de 11,53%, indo de R$ 2,60 para R$ 2,90. O previsto anteriormente era 5,78%.
O contrato com o novo consórcio de transportes na cidade, assinado em 31 de março de 2012, previa uma readequação que deixaria a tarifa em R$ 2,7481.
O Consórcio Pró-Urbano, formado pela empresa Rápido D’Oeste, Turb, Transcorp e Sertran disse que o valor acima da inflação anual se justificaria pelo fato de o aumento levar em conta um período de 18 meses, entre agosto de 2011 e janeiro de 2013.
CONGELAMENTO SÓ PARA INGLÊS VER:
O congelamento das tarifas em São Paulo e no Rio de Janeiro pedido pelo Ministro da Fazenda Guido Mantega teve o objetivo de mascarar os índices de inflação que estão sem controle.
Mantega se preocupou em não aumentar as passagens nas capitais porque são essas que pesam mais na avaliação dos índices de inflação. Nas cidades que não são tão levadas em conta pelo IPCA e INPC, o passageiro que pague mais caro e pronto.
Há quem diga que este congelamento no Rio e em São Paulo é para inglês ver.
E os ingleses viram. O jornal britânico Financial Times criticou a postura de Mantega ao classificar que os congelamentos são um jeitinho brasileiro para tentar mascarar uma inflação que está fora de controle.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: