Curitiba descarta tarifa de R$ 3,10 e prefeito suspende pagamentos de contratos por 90 dias

Novo prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, disse que tarifa de ônibus vai aumentar mas não deve chegar aos R$ 3,10 pedidos pelas empresas de transportes. Após receber uma ordem de pagamento de R$ 12 milhões referente a mobilidade urbana, prefeito suspendeu por 90 dias o pagamento de todos os contratos, incluindo os serviços concedidos por licitação.

Fruet descarta tarifa de R$ 3,10 e suspende pagamentos de contratos de licitações por 90 dias
Suspensão ocorreu depois de uma cobrança no valor de R$ 12 milhões para área de mobilidade urbana. Contratos serão revisados por Comitê de Transparência e Responsabilidade Financeira que será criado pelo novo prefeito de Curitiba
ADAMO BAZANI – CBN
O novo prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, garantiu que o valor da passagem de ônibus municipais e metropolitanos que servem as cidades que formam a RIT – Rede Integrada de Transporte- não será de R$ 3,10, como quer o Setransp – Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Passageiros de Curitiba e Região.
Fruet, no entanto, admitiu que com o atual valor de R$ 2,60 tem sido impossível arcar com os custos dos sistemas de transportes e que a passagem de ônibus vai subir, mas não no nível que as empresas querem. O aumento da tarifa deve ser aplicado já neste início de ano, mas a definição do valor depende da resposta do governador Beto Richa sobre a continuidade ou não dos subsídios ao sistema, além de cálculos sobre a variação de preços como combustíveis, peças e pneus.
Hoje o passageiro paga R$ 2,60, mas a tarifa técnica, que representa o custo real repassado para as empresas é de R$ 2,89.
Sem os subsídios, alegam as empresas, as integrações entre ônibus municipais e metropolitanos e os investimentos em modernizações podem ficar comprometidos.
As companhias de transporte afirmam que o valor de R$ 3,10 foi determinado por um estudo encomendado à Fipe – Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, da USP – Universidade de São Paulo.
Nesta quarta-feira, em nota, o Setransp disse não pleitear aumento de tarifa para o passageiro, mas da tarifa técnica e que defende a ampliação dos subsídios até como justiça social, para que os ônus das integrações e das gratuidades, além de os benefícios gerados a todos pelos transportes públicos, não recaiam apenas sobre os bolsos dos passageiros pagantes.

SUSPENSÃO DE PAGAMENTOS DE CONTRATOS:

De acordo com o jornal eletrônico “Paraná On Line”, nesta quarta-feira, dia 02 de janeiro de 2013, Gustavo Fruet suspendeu por 90 dias os pagamentos de todos os contratos acima de R$ 30 mil firmados pela gestão anterior, contanto os contratos de credores e de licitações.
O prefeito, que tomou posse nesta terça-feira, alega que não recebeu todas as informações necessárias da gestão anterior de Luciano Ducci.
Para revisar estes contratos, o novo chefe do executivo vai criar o Comitê de Transparência e Responsabilidade Financeira e analisar cada um dos acordos e contratações e convênios para prestações de serviços. O Comitê terá membros da Prefeitura, da Urbs – Urbanização de Curituba S.A., que gerencia os transportes na Capital e Região Metropolitana, para verificar, entre outros aspectos, os reais gastos que são de responsabilidade do poder público municipal.
A decisão foi tomada depois de a equipe de Fruet receber uma ordem de pagamento de R$ 12 milhões referente a área de mobilidade urbana.
Fruet disse que o comitê vai apurar o quanto realmente a Prefeitura precisa pagar em relação a estes contratos e débitos. O prefeito, entretanto, negou que se trata de uma moratória de dívidas e contratos, mesmo porque, segundo ele, há investimentos que não podem ser interrompidos.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: