Depois de lamentações, carrocerias devem fechar em alta

onibus

Ônibus novo em circulação no ABC Paulista. Apesar de todo pessimismo da indústria de ônibus, segundo Simefre, produção de carrocerias vai crescer em 2012, 2,5%, e bater novo recorde histórico. Foto: Adamo Bazani

Encarroçadoras devem fechar em alta de 2,5%
Números superam as expectativas em ano que seria de crise do mercado de ônibus
ADAMO BAZANI – CBN
O fantasma da transição de tecnologia de redução de poluição de Euro III para Euro V e da desaceleração econômica, cujo PIB brasileiro deve ter desempenho pífio, mais assustou do que provocou efeitos práticos.
Depois de tanta choradeira de encarroçadoras e vendedoras, o ano de 2012 deve fechar registrando alta na produção de carrocerias de ônibus, de acordo com as projeções do Simefre – Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários.
A alta em relação a 2011 será em torno de 2,5%. Resultado excelente já que o ano de 2011 representou recorde na produção de ônibus na história. Ou seja, o tão temido ano de 2012, por conta das renovações antecipadas no ano passado pelo fato de os empresários aproveitarem os preços mais baixos do Euro III, vai representar novo recorde histórico de vendas de ônibus.
Os desempenhos de cada marca variam, mas em geral, as empresas de carrocerias conseguiram bons resultados.
De acordo com o Simefre, serão produzidas neste ano 36 mil 915 carrocerias. Deste total, 31 mil 800 ônibus serão para o mercado interno e 5 mil 115 carrocerias para exportação (isso sem contar ônibus produzidos por indústrias brasileiras no exterior).
Em comparação a 2011, no mercado interno, a produção de carrocerias praticamente ficou estável, já as exportações subiram 20%.
A alta de 2,5% do mercado geral é para ser comemorada não só por quebrar outro recorde histórico, mas porque as previsões para 2012 eram de queda entre 18% e 20%.
Ações pontuais, como as compras de ônibus escolares pelo Governo Federal no Programa Caminho da Escola, por exemplo, ou o PAC Equipamentos, também ajudaram.
Para 2013, as previsões são melhores ainda. A proximidade da Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016 que deve aumentar o fluxo de passageiros, as obras de modernização de mobilidade urbana, as expectativas do setor de turismo e licitações de serviços urbanos e rodoviários desenham bons cenários.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: