A importância do uso do cinto em ônibus. ANTT vai reforçar fiscalização na 1001

1001

Ônibus 2212, que se envolveu em acidente, fotografado por admirador de transportes. Polícia vai veirificar se veículo estava com falhas mecânicas. Quinze pessoas morreram quando o motorista perdeu o controle e caiu numa ribanceira na Baixada Fluminense. De acordo com testemunhas, quem estava com cinto de segurança foi menos afetado. Motorista teria pedido para passageiros sentarem e usarem o cinto, antes da queda. Foto: Renan Watanabe

Cinto de segurança em ônibus é pouco usado por passageiros
Estudos comprovam que uso pode evitar graves lesões e salvar vidas
ADAMO BAZANI – CBN
A tragédia envolvendo um ônibus da Auto Viação 1001 na tarde de segunda-feira que ao cair numa ribanceira na Serra de Teresópolis, região de Guapimirim, na Baixada Fluminense, provocou a morte de 15 pessoas, levantou mais uma vez o tema sobre o pouco uso do cinto de segurança por parte de passageiros de ônibus.
O cinto não evita o acidente, mas diminui suas proporções.
De acordo com relatos de passageiros do veículo que sobreviveram , ao Jornal O Dia, o motorista Eduardo Fernandes, de 44 anos, que também morreu, alertou a todos os usuários a se sentarem e usarem o cinto de segurança pouco antes de cair de uma altura de 10 metros. Relatos ainda dão conta que os passageiros que seguiram a orientação e colocaram o cinto foram os menos atingidos.
Ainda de acordo com estas testemunhas, muitos usuários desesperados antes de o ônibus cair, ficaram em pé no veículo, que já estava em alta velocidade e sem controle. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o veículo atingia cerca de 80 km/h sendo que o máximo permitido para o trecho é de 60km/h.
A questão do baixo uso do cinto de segurança em ônibus é grave.
De acordo com a CNT – Confederação Nacional dos Transportes – apenas 2% dos passageiros usam o equipamento de segurança.
A presença do cinto em ônibus intermunicipais e interestaduais de característica rodoviárias é obrigatória desde 1997.
No caso do ônibus, além de evitar que o passageiro bata a cabeça no banco da frente ou nas divisórias do veículo, também impede que a pessoa seja lançada dentro ou mesmo para fora do salão de passageiros, que é bem maior que um veículo de passeio, cujo uso do cinto, por lei, virou hábito.
Estudos dão conta que estes fatores ligados ao lançamento das pessoas pelo ônibus são algumas das maiores causas de mortes.
ANTT VAI INTENSIFICAR FISCALIZAÇÃO NA 1001:
Depois da tragédia envolvendo o ônibus 2212 da Auto Viação 1001, a ANTT – Agência Nacional dos Transportes Terrestres disse que vai intensificar a fiscalização nas garagens da empresa.
Só neste ano, a ANTT emitiu 183 multas contra a 1001 por diversos fatores. Já o Detro – Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro aplicou 553 multas. A falta da realização da inspeção obrigatória foi um dos principais motivos, de acordo com a autarquia.
Em nota, a Auto Viação 1001 disse que o veículo passou por todas as vistorias e estava com a manutenção em dia. O ônibus 2212 passou por inspeção no último dia 10, segundo a companhia. A empresa ainda acrescentou que presta assistência às famílias das vítimas que perderam a vida e aos feridos.
O motorista que morreu no acidente trabalhava há pouco mais de quatro anos na empresa.
Não estão descartas as hipóteses de falha mecânica ou mesmo de o condutor não ter passado bem.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes (com agências)

10 comentários em A importância do uso do cinto em ônibus. ANTT vai reforçar fiscalização na 1001

  1. Nao creio que o motorista tenha passado mal ou dormido. Testemunhas disseram que o motorista estava alertando com os farois, quem dorme nao faz isso!!! Esse motorista morreu de forma tragica, mas tentando salvar a todos. Morreu sendo herói!!!! #luto

  2. Adalberto Mattera // 24 de outubro de 2012 às 17:12 // Responder

    Adamo, o maior problema destes acidentes se origina nos vidros colados dos ônibus, onde qualquer tombamento os vidros saltam completamente e os passageiros são arremessados para fora do veículo, geralmente sendo esmagados sob o ônibus. Com sua ajuda gostaria de levantar uma bandeira sobre este assunto e me coloco a disposição para maiores esclarecimentos.
    abs.

  3. Amigos, boa tarde

    Concordo com o comentário do Sr. Alexandre Detoni e gostei da proposta de discussão sobre
    o vidro colado efetuada pelo Sr. Adalberto Materra, pois entendo que hoje a maior preocupação é com o design. .

    Esse piloto era dos bons, pois só uma pessoa equilibrada e profissional tem a capacidade de alertar os passageiros para uso do cinto, já prevendo que não teria outra solução sem ser a queda.

    Piloto não, “Comandante Herói”, pois protegeu seus passageiros e não abandonou o Buzão até o seu último minuto.

    Com certeza o Comandante deve ter testado os freios antes de descer a serra e se fosse só falta de freios ele ainda teria a sua disposição o freio motor, a redução das marchas e em último caso acionar o freio de mão.

    O que realmente aconteceu ? São 1001 hipóteses.

    Tudo pode acontecer, mas nem sei se a perícia chegará ao real motivo, a melhor investigação será a comparação do relato de todos os sobreviventes e outras testemunhas do acidente.

    Eu desconhecia estas estatísticas de multas da 1001; é o que eu digo aqui em Sampa
    não basta multar, tem de fazer acontecer.

    O correto é o Estado mudar a forma de punição quanto aos quesitos segurança nos Editais de Licitação; a multa muitas vezes sai mais barato do que providenciar uma manutenção preventiva, por exemplo.

    ANTT o novo Edital já contempla essa alteração ????? Caso negativo ainda está em tempo.

    Outro dia vi uma foto neste Blog de um Buzão cujo cinto de segurança era de 3 pontos; só que aqui no Brasil o sinto tem só duas.

    Por que ainda não implementaram o de 3 pontas no Buzão ?

    Com certeza o custo.

    Todas viagens rodoviárias que fiz, o piloto informa da obrigatoriedade do uso do cinto e
    gentilmente pede que todos usem.

    A única forma de obrigar os passageiros a usarem o cinto e colocar no buzão um sistema
    que mostre no painel do piloto o número da poltrona e apite e ilumine o passageiro que está sem o cinto de segurança, fazendo ele pagar um mico; isso durante toda a viagem

    Se quiser ir no banheiro o passageiro tem de apertar o botão “B” cujo motorista será informado no painel que o passageiro da poltrona “X” está sem cinto pois foi ao banheiro.

    Tecnologia para um “sisteminha” básico deste já existe, basta utilizar.

    Que os gestores do RJ multipliquem por 1001 a intensidade da fiscalização EM TODAS AS EMPRESAS.

    Nossos sentimentos a todos e que o “Comandante Herói” continue sua viagem ao lado
    de Deus.

    Sds,

    Paulo Gil

    • Só complementando:

      Como muitas pessoas utilizam o banheiro do Buzão numa viagem, o acende e apaga
      no painel será um motivo para que o piloto fique sempre alerta.

      Outra ideia que acabei de ter é que o Buzão tenha um sistema de pânico, cujo motorista
      numa situação emergencial aperte um botão e mediante um alarme sonoro e um painel de led informe da emergência, para colocar os cintos e se manterem sentados.

      Outro “sisteminha” básico, é só fazer.

      Só um especialista pode responder, No caso de pânico seria aconselhável as pessoas
      colocarem a cabeça entre os joelhos como sugerido nas aeronaves.

      Se viável este treinamento no Buzão antes da partida (como nas aeronaves) também
      seria muito útil.

      Paulo Gil

  4. Adalberto Mattera // 25 de outubro de 2012 às 18:04 // Responder

    Falta de freio é muito relativo, para quem conhece a mecânica de um ônibus sabe que os freios funcionam a Ar, se o compressor para de carregar automaticamente os freios vão sendo travados e o ônibus para. Quando parado, sem Ar, você não consegue sair com o veículo. A desculpa são sempre os freios…., ninguém fala dos motoristas que são recrutados hoje em dia, são apanhados a laço nas portas das garagens.
    Continuo com a tese que os vidros colados são uma verdadeira armadilha para os passageiros dos ônibus, vamos nos unir contra estas “modernidades” que em nada contribuem para a segurança.

    • Explique de forma os vidros colados á carroceria pode ser prejudicial a segurança do passageiro do ônibus?? em carros são benéficos pois até ajudam na rigidez estrutural do veículo em caso de colisão a carroceria se deforma menos!

  5. Adalberto Mattera // 26 de outubro de 2012 às 14:34 // Responder

    Ao tombar, a estrutura do ônibus torce e os vidros (todos eles) saltam das colunas deixando uma enorme abertura na carroceria, local por onde os passageiros caem sob o veículo.
    Quando os ônibus tinham janelas com perfis de alumínio presas com borrachas, as mesmas ficavam fixas no ônibus e protegia os passageiros que estavam sem o cinto de segurança.
    É só conferir, atualmente qualquer ônibus que tomba na pista tem vítimas fatais.

  6. Ola bom dia fui motorista desta empresa 1001 por 2 anos e confesso a vcs q nunca trabalhei numa empresa que esfola tanto o motorista como esta ,hora de descanço? isto não esxiste lá,quantas vezes eu me encontrava com os colegas do setro de itaperuna la na caragem central(caju) e eles diziam sair de Itaperuna as 23:00 chegando no Rio as 05:00 da manhã retornando as 11:00hs da manhã! isto é um absurdo eu trabalhava no setro de macaé e por varias vezes eu tinha que dobrar depois de ir ao rio e voltar ..enfim é muito triste vc ter que pagar com sua vida para alguns ficarem ricos+ luto!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: