Transmilenio: Volvo vai entregar mais 120 biarticulados para expansão do sistema

onibus

O sistema Transmilênio, de Bogotá, na Colômbia, é considerado um dos mais modernos BRTs (corredores de ônibus avançados) do mundo e é um dos exemplos em solução de mobilidade. O Transmilenio está na sua terceira fase de expansão: hoje possui 100 estações e atende 1,6 milhão de pessoas que trabalham, estudam, consomem e moram em 266 bairros. Esses números devem ser ampliados nos próximos meses.

Volvo vende 120 chassis biarticulados para Transmilênio da Colômbia
O negócio foi de US$ 25,5 milhões. Metade da frota será entregue até o final deste ano. Com a venda, Volvo alcança participação de 75% no sistema de BRT que é considerado exemplo mundial de sistema de corredores de ônibus
ADAMO BAZANI – CBN
O sistema de corredores de ônibus de Bogotá, na Colômbia, o Transmilênio, está em na terceira fase de expansão quanto ao número de linhas e extensão.
Para isso vai precisar renovar a frota e ampliar no número de veículos além da oferta de lugares.
E essa expansão do sistema colombiano, considerado referência mundial de transportes urbanos que adotou o ônibus como solução de mobilidade, se torna uma oportunidade ainda maior para o mercado brasileiro de veículos de transporte coletivo.
Na verdade, desde quando foi inaugurado em 18 de dezembro de 2000, o Transmilênio conta com ônibus brasileiros. O sistema colombiano foi inspirado no modelo de Curitiba que apresenta vias realmente exclusivas para ônibus, no lugar de pontos há estações que oferecem acessibilidade com embarque e desembarque no mesmo nível do assoalho dos veículos e que protegem os passageiros de chuva, sol e vento. O sistema também usa veículos de grande porte, como os ônibus articulados e biarticulados.
E como foi em sua concepção e inauguração, nesta fase de crescimento o Transmilênio não deixa de ter essência brasileira.
A Volvo anunciou nesta segunda-feira, dia 13 de agosto de 2012, que comercializou 120 chassis de ônibus biarticulados para o Consorcio Express Ltda, um dos operadores de serviços de transportes no Transmilenio. O mesmo consorcio já havia no ano passado comprado 67 unidades da Volvo, entre ônibus convencionais e ônibus articulados.
Os 120 chassis biarticulados foram negociados por US$ 25,5 milhões. O valor não inclui o preço das carrocerias.

chassi onibus

Chassi Volvo B 340M biarticulado atende às necessidades por veículos de grande porte no sistema Transmilênio, de Bogotá, na Colômbia, podendo levar de uma só vez 250 passageiros, sem apertos. Com a venda de 120 unidades para o operador Consorcio Express Ltda, a marca responde por 75% dos ônibus de diversas configurações que circulam pelo Transmilêmio.

A encomenda será entregue em duas etapas. As primeiras 60 unidades devem estar em circulação no final deste ano. As outras, até o primeiro trimestre de 2013.
O modelo é o Volvo B 340 M de piso alto justamente para atender às plataformas elevadas cujo os embarques e desembarques são feitos no mesmo nível entre o assoalho do ônibus e o piso das estações. Com isso, o passageiro não precisa usar degraus nos veículos, o que facilita também o acesso de cadeiras de rodas ou outros equipamentos para pessoas que possuem mobilidade reduzida.
Os veículos são de tecnologia baseada nas normas Euro V, que agrega padrões de redução de emissão de poluentes.
A capacidade dos veículos é para transportar 250 passageiros entre em pé e sentados, mas sem apertos.
O sistema do Transmilênio hoje conta com 100 estações e atende a 1,6 milhão de passageiros por dia em 266 bairros e com a expansão deve ampliar o atendimento e as áreas servidas.
Em nota à imprensa, divulgada nesta segunda-feira pela Volvo, o presidente da divisão de ônibus na América Latina, Luís Carlos Pimenta, afirma que com esta venda, 75% da frota entre os ônibus no Transmilênio são da marca:
“Esta venda reforça a liderança absoluta da Volvo em ônibus para BRT não só na Colômbia, mas em toda América Latina, e demonstra a imbatível qualidade e adequação dos nossos veículos ao sistema” – disse Luís Carlos Pimenta
Na mesma nota, o gerente comercial do Grupo Volvo na Colômbia, Alexandre Selski, diz que a colocação de ônibus de grande porte num sistema pode aumentar a oferta de lugares sem a necessidade de ampliar a frota de veículos em circulação e ao mesmo tempo reduzir os custos operacionais.
“A aquisição de chassis de grande capacidade de transporte reforça o Transmilenio como referência em BRT. O uso de veículos de grande capacidade de transporte representa excelente opção para ampliar e otimizar o transporte coletivo, pois diminui o tempo de deslocamento e aumenta o número de passageiros transportados”, explica Alexandre Selski.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

6 comentários em Transmilenio: Volvo vai entregar mais 120 biarticulados para expansão do sistema

  1. Me chamou atenção a quantidade de estações. Se contarmos todas linhas do metrô de SP juntas, em relação a quantidade de estações do transmilenio, não chegaria a 70% em mais de 30 anos de implantação do metrô (contra os 11 anos do transmilenio, inaugurado em 18 de dezembro de 2000), teria que somar as linhas da cptm para superar. A volvo está colhendo os resultados pelo desenvolvimento do chassi biarticulado e a felicidade de não ter concorrente nesse seguimento do produto.
    Quando é que o Brasil vai acordar desse berço esplêndido, onde até a Colômbia é melhor em transporte de ônibus, ainda mais copiado do Brasil esse sistema?

    • até a Guatemala(Transmetro),dá de 4 x 0 na gente caro André!e olhe q lá,começou em 2007.mas aqui se defende o”jeitinho”até em Musica se exalta isso!

    • Mas André, não deve-se compara uma Estação de Metro, com uma Estação ou melhorar uma parada de BRT, se comprar com o sistema de Curitiba, ai é covardia. O sistema BRT se presta até muito bem, quando se tem uma demanda de até 15 mil passageiros, por sentido, ou uns 30 mil, quando se tem 4 pistas como o Transmilenio de Bogotá. Mas ele se transforma em uma vale de poluição, pelo trafego intenso, somasse a isso que a maior parte das cidades não tem sistema viário para implementar complemente um sistema como o de Bogotá.
      Infelizmente as obras no Brasil tem grande problemas de projeto e corrupção, mas metro ou metropolitano, baseado em trilhos, é uma alternativa melhor, mais ecológica e rápida para a população…

  2. Estranhei o motor dianteiro, pelo que vejo o que e caro mesmo e a carroceria, por que se fizer um calculo pela media esta saindo cada unidade a R$ 416.000,00, o que convenhamos por ser um biarticulado não e caro, quanto este mesmo onibus não deve custa no Brasil.

    • R$420.000,00(arredondado).é a alta taxa de impostos deste Brasil.onde o”Deus Carro”dá as cartas.por isso q as cidades Brasileiras estão parando!

  3. pra quem não conhece, esse site tem muita coisa interessante sobre BRTs
    http://www.brtbrasil.org.br/

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: