GREVE DOS CAMINHONEIROS: Reunião tenta por fim às paralisações

greve caminonheiros

Greve dos caminhoneiros já tem prejudicado o abastecimento de alimentos, o escoamento de frigoríficos e provoca grandes atrasos em viagens de ônibus rodoviários. Reunião tenta fim das manifestações.

GREVE DOS CAMINHONEIROS: Reunião tenta por fim a protestos
Representantes de grevistas e da ANTT vão discutir os motivos da paralisação dos caminhoneiros que tem prejudicado o abastecimento e atrasado horários de ônibus
ADAMO BAZANI – CBN
A greve dos caminhoneiros que ocorre desde o dia 25 de julho tem se intensificado e os bloqueios em rodovias importantes, como a BR 116 e a Rodovia Presidente Dutra, se tornam cada vez mais freqüentes e demorados.
As paralisações já ameaçam o escoamento da produção de frigoríficos do Sul do País, têm ocasionado desabastecimento em algumas centrais, como no Rio de Janeiro, e longos atrasos em viagens de ônibus rodoviários.
No trajeto Rio – São Paulo, por exemplo, as viagens ficam cerca de 2 horas mais demoradas. Das 63 linhas de ônibus que param no Terminal Rodoviário do Tietê, 14 passam pela Dutra.
Ônibus com viagens mais longas, como para o Nordeste, por exemplo, chegam a enfrentar mais de um bloqueio por parte dos caminhoneiros.
As representações dos caminhoneiros, como o Movimento União Brasil Caminhoneiro – MUBC, e outras centrais, e a ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres devem se reunir nesta terça-feira para discutirem as reivindicações dos profissionais.
Uma das principais queixas é em relação à nova lei que regulamenta a profissão de motorista que também não é bem vista pelos donos de transportadoras.
A lei estabelece descanso de 11 horas no mínimo entre o início das jornadas, intervalo de uma hora para o almoço e de 30 minutos a cada quatro horas trabalhadas.
O objetivo da lei é diminuir jornadas excessivas no trabalho e assim aumentar a segurança das estradas. Mesmo tendo uma frota de menos de 18% em todo o País, de acordo com o Denatran _ Departamento Nacional de Trânsito, 30% dos acidentes com morte nas estradas têm envolvimento de caminhões. O número é muito alto pela proporção da frota.
Os donos de veículos, principalmente os autônomos, se queixam que a lei ao limitar as jornadas vai reduzir os ganhos e também das faltas de condições para conseguirem realizar as paradas. Não há em todas as estradas pátios e pousadas que ofereceram segurança, tanto em relação ao tráfego como a riscos de assaltos.
O valor do frete e o impedimento de caminhoneiros que pertencem a cooperativas fazerem contratos de transporte autônomos, além do ingresso mais difícil de novos profissionais, também são queixas por parte dos motoristas.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

3 comentários em GREVE DOS CAMINHONEIROS: Reunião tenta por fim às paralisações

  1. maisa lopes rodrigues // 31 de julho de 2012 às 19:24 // Responder

    A reuniao começou as duas horas dessa tarde ,gostaria de saber si algo foi decidido ?

  2. preciso saber da reuniao, o q foi determinado.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: