Greve de ônibus em Maceió continua e empresas negam locaute

greve

Motoristas e cobradores de ônibus de Maceió decidem continuar em greve. Associação das empresas nega as acusações de que a paralisação foi incentivada pelas companhias que por determinação judicial têm de reduzir o valor das passagens municipais. Foto: JC On Line.

Greve de ônibus em Maceió continua nesta terça-feira
Sindicalistas não entraram em acordo com as empresas de ônibus e por mais um dia, cerca de 300 mil pessoas devem ficar sem transportes
ADAMO BAZANI – CBN
O caos vivido por pelo menos 300 mil pessoas nesta segunda-feira em Maceió, Alagoas, deve se repetir nesta terça-feira.
Motoristas e cobradores indicam manter a greve que tirou de circulação praticamente toda a frota dos 65 ônibus municipais.
Não houve acordo entre o Sinttro / AL – Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado de Alagoas e as empresas de transportes coletivos.
O sindicato pede 15% de aumento salarial, 25% no ticket-alimentação e 90% no plano de saúde, mas considera negociar os índices propostos pelo Ministério Público do Trabalho de 7,75% nos salários, 10% no ticket-alimentação e 15% nos planos de saúde.
Por contra da falta de ônibus, a atuação das vans de transportes foi mais intensa e foram registradas cobranças abusivas de passagens, que chegaram a R$ 8.
O trânsito também registrou problemas acima do normal.
TARIFAS SÃO IMPASSE:
Enquanto motoristas e cobradores cruzam os braços em Maceió, as tarifas de ônibus na capital alagoana é caso de Justiça.
Na última terça-feira, em 24 de julho, a Justiça determinou que a partir desta segunda-feira, as passagens de ônibus municipais fossem reduzidas de R$ 2,30 para R$ 2,10.
A Transpal – Associação de Transportadores de Passageiros do Estado de Alagoas enfatizou que a greve que coincidiu com o mesmo dia que as empresas deveriam reduzir as passagens não tem relação com a decisão da Justiça. A declaração foi uma resposta às afirmações de que a greve teria incentivo das empresas, como locaute (greve de trabalhadores promovida por empresários), que não aceitaram a determinação judicial.
A Transpal anunciou que com a redução não será possível equilibrar financeiramente o sistema, tão pouco conceder os reajustes pedidos na greve.
As empresas disseram que agora é o Ministério Público do Trabalho que negocia com o sindicato e que a greve não respeitou o período de 72 horas de aviso antes da data programada, como determina a lei em caso de greve de trabalhadores em serviços essenciais.

FROTA MÍNIMA:

O presidente do TRT – Tribunal Regional do Trabalho de Alagoas, desembargador Severino Rodrigues, determinou na noite desta segunda-feira, que 80% da frota de ônibus em especial nos horários de pico.
Se a determinação for descumprida, o Sinttro/AL pode receber multa diária de R$ 50 mil.
Na quarta-feira, às nove da manhã, deve ocorrer uma reunião de conciliação no Tribunal entre representantes de empresas e trabalhadores para um consenso em relação aos aumentos e o fim da greve
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

7 comentários em Greve de ônibus em Maceió continua e empresas negam locaute

  1. Mais uma vez o transporte alagoano entra em greve e preciso acontecer mais o que pro governo tomar uma providência que dure não alguento mais 🙁

    • pois e colega , isso e um verdadeiro absurdo, os unicos prejudicados somo nos cidadoes , ao invés de fazer GREVE eles deveriam rodar de graça. TENHO que trabalhar não posso ficar esperando a boa vontade dos senhores diretores fazer com que acabe essa greve , hj foi descontado 1 dia de trabalho meu … iai como eu fiko ???? pq não tenho 8,oo$ p/ pagar em uma lotação .

  2. annelise ambrosio // 21 de agosto de 2012 às 13:41 // Responder

    Essa greve prejudicou a muitos estudantes da capital,porem não culpo aos trabalhadores(motoristas e cobradores).Eles estão reivindicando o direito deles como qualquer trabalhador.O erro vem do Ministério Público do Trabalho que como sempre não respeita o direito do trabalhador,que por sua vez precisa parar com suas obrigações.Por ser esta a maneira de serem ouvidos.

  3. ednaura Cordeiro Pinto // 21 de agosto de 2012 às 21:34 // Responder

    minha sugestão é que os ônibus rodem normalmente, mas os passageiros que não são culpados, andem de graça até o problema ser resolvido.

  4. se os alagoanos fossem devidamente pagos como deveria ser isto n estaria acontecendo, pois o ministerio do trabalho so esculta o grito de socorro dos profissionais quando isso acontece. este infelizmente é o nosso brasil e ai????????????????

  5. Em resumo somos nós usuários os únicos prejudicados. No ato da contratação do motorista ou cobrador é apresentado a estes o salário que receberá e eles aceitam! então anualmente há um reajuste da categoria cujo mesmo é negociado e homologado pelo sindicato desta categoria, então se há um culpado pela perda salarial é unicamente o sindicato. Greve é ato de moleque e não condiz com pessoas éticas!

  6. isso só estar aconteçendo porque a passagem do Ônibus aumentou para 2,30 e agora baicou para 2,10 então as autoridades maior é que são culpadas por isso tudo ,sípreçiptaram em aumentar a passagem

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: