Sistema que auxilia deficientes visuais em transporte público será ampliado em São Carlos

onibus

Ônibus em São Carlos, no interior Paulista, possuem sistema que avisa a portadores de deficiência visual a aproximação dos veículos de cada linha por celular. Basta o passageiro digitar o número da linha e do ponto que o aparelho recebe um sinal sonoro. Sistema deve ser ampliado. Apesar dos avanços em relação à acessibilidade nos transportes coletivos, ainda há muito o que ser feito, principalmente para os deficientes visuais que contam com poucos equipamentos nos veículos.

Sistema que auxilia deficientes visuais no transporte público deve ser ampliado em São Carlos
Bus Alert avisa por celular quando o ônibus está se aproximando e também a hora de desembarcar

ADAMO BAZANI – CBN

A acessibilidade nos veículos de transportes coletivos tem registrado avanços, apesar de a necessidade de ainda muito a ser feito.
Há não muito tempo, no final dos anos de 1990 e início dos anos 2000, ônibus com elevadores para quem usa cadeira de rodas ou têm dificuldade de subir pelos degraus, ou modelos de piso baixo, com embarque em nível próximo ao da guia da calçada, eram minoria nos sistemas de transportes. Nos corredores de ônibus hoje, do tipo BRT (Bus Rapid Transit), a acessibilidade é um dos pontos mais pensados. As estações têm o piso na mesma altura do assoalho do ônibus, dispensando degraus, e contam com linhas táteis para portadores de deficiência visual.
No entanto é ainda este público que mais sofre nos transportes coletivos.
Se hoje há ônibus com elevadores e que até abaixam a carroceria para quem tem problema locomotor, as alternativas para quem não tem a visão total são bem menores.
Ainda os passageiros são obrigados a ficar perguntando para as demais pessoas no ponto se o ônibus que está se aproximando é da linha que vão utilizar, o que causa constrangimento e aumento da suscetibilidade à gente mal intencionada, e se agrava quando não há ninguém no ponto e o passageiro tem de parar ônibus por ônibus para saber a linha. Isso quando o ônibus de trás, que é o certo, ultrapassa o que foi parado na frente porque o deficiente visual não tem nenhum apoio.
Mas em São Carlos, no Interior de São Paulo, uma solução tem agradado passageiros e funcionários dos transportes coletivos. Tanto é que deve ser ampliada.
Trata-se do Bus Alert. É um programa de celular que, quando ativado, avisa ao passageiro deficiente visual sobre a aproximação de seu ônibus.
O portador do celular deve digitar o número do ponto onde está e a linha que pretende usar.
Um aparelho de GPS identifica as informações e quando o ônibus se aproxima, manda um sinal para o celular que emite um alerta sonoro.
Para desembarcar, o passageiro também pode digitar o número do ponto que o sinal avisa uma parada antes.
O Bus Alert está em testes e por enquanto opera em cerca de 40 pontos na cidade. Mas pela aceitação do público dever ser ampliado.
O sistema pode ser baixado gratuitamente em celulares com linguagem Java ou sistemas operacionais como Android e Windows ME.
Para receber o aplicativo no celular, basta enviar uma mensagem de texto para as operadoras de telefonia móvel.

Vivo – (16) 9717-2277
Claro – (16) 9342-7500
TIM – (16) 8168-4444
Oi – (16) 8836-8888
CTBC – (16) 9996-6999
Os números de suporte do Buslalert são 0800-9429422 ou (16) 3512-9000.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

2 comentários em Sistema que auxilia deficientes visuais em transporte público será ampliado em São Carlos

  1. interessante , recebe um alerta , quando o ônibus está perto, tomara que a EMTU , coloque este tema em suas próximas licitações!

  2. Gente, isso precisa ser divulgado para TODOS os lugares do Brasil, essa idéia precisa ser espalhada. Nós sofremos muito em relação a transporte coletivo. Temos que ficar pedindo ajuda o tempo todo, e as vezes o ônibus da pessoa que pedimos passa primeiro e ficamos lá. É uma coisa horrivel! Se o mundo continuar caminhando rumo à acessibilidade, daqui um tempo, ser deficiente visual não será mais TÃO complicado e desafiador. Moro em Governador Valadares (MG), e fico triste, pois tenho poucas esperanças de que uma tecnologia dessas chegue aqui…

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: