BNDES anuncia R$ 5,2 bilhões para transportes sobre trilhos

cptm

Enquanto bancos mundiais anunciaram US$ 175 bilhões para desenvolvimento de transportes limpos em países em crescimento, com ênfase para a ampliação da escala de produção por ônibus não poluentes, o BNDES anunciou R$ 5,2 bilhões também para transportes ecologicamente corretos, em especial sobre trilhos. Desse montante, só o Estado de São Paulo vai receber R$ 1,47 bilhão para o monotrilho que vai prolongar a Linha 2 Verde do Metrô e para revitalização de 13 das 20 estações da Linha 8 Diamante da CPTM.

BNDES anuncia R$ 5,2 bilhões para transportes urbanos sobre trilhos no País
Boa parte dos recursos, R$ 1,47 bilhão, irá para monotrilho e modernização de estações de trem da Capital Paulista

ADAMO BAZANI – CBN

O BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – anunciou nesta quarta-feira a liberação de R$ 5,2 bilhões em financiamento de transportes que operem com tecnologia limpa no Brasil, em especial, de sistemas de trens e metrô.
O anúncio foi feito mesmo dia que oito bancos multilaterais declararam a disponibilização de US$ 175 bilhões para o desenvolvimento de tecnologias e produção de transportes públicos não poluentes, como o aperfeiçoamento de projetos de ônibus elétricos, elétricos-híbridos e a hidrogênio. Para os bancos mundiais, os ônibus são soluções modernas de mobilidade que, pelo baixo custo, mesmo com as tecnologias mais caras, podem beneficiar a mais áreas, já que a característica de outros sistemas de transportes é de maior concentração nas operações. Mas os sistemas metroferroviários e por hidrovias também não serão desprezados pelos bancos que estiveram na Rio +20, Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável.
No caso brasileiro, o BNDES vai financiar sistemas metroferroviários que já estão instalados e precisam de modernização ou a ampliação de novos serviços.
Boa parte dos financiamentos irá para São Paulo.
O estado vai receber linha de crédito de R$ 1,47 bilhão para o monotrilho que vai prolongar a linha 2 Verde do Metrô e para a modernização de estações da Linha 8 Diamante, entre Júlio Prestes, no centro da cidade de São Paulo, e a cidade de Itapevi, na região metropolitana.
O monotrilho vai receber R$ 922 milhões do BNDES, mas o investimento total da União será de R$ 4,58 bilhões na primeira etapa, que vai ligar a estação da linha 2 do Metrô Vila Prudente ao Oratório.
O monotrilho é um sistema de trens de média capacidade que trafegam em elevados.
O prolongamento da linha 2 Verde por monotrilho deve ser concluído somente em 2016, mas a primeira etapa deve ser inaugurada em 2013:
Primeiro trecho: entre estação Vila Prudente e Oratório – previsão setembro de 2013
Segundo trecho: expansão até São Mateus, com conclusão prevista para setembro de 2014
Terceiro e último trecho: São Mateus – Hospital Cidade Tiradentes – entrega das obras em 2016.
Com 24,5 quilômetros, 17 estações e dois pátios de manobra dos veículos, o monotrilho da linha 2, quando estiver totalmente concluído deve atender diariamente 550 mil pessoas por dia.

ESTAÇÕES DA CPTM:

Já 13 das 20 estações da Linha 8 Diamante, da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – devem receber R$ 694,3 milhões do Governo Federal, sendo R$ 550 milhões de financiamento pelo BNDES.
Entre os objetivos estão modernizar as estações, aumentando a eficiência nos embarques e desembarques e acessibilidade para portadores de necessidades especiais, além de preparar para o aumento da demanda da linha.
Atualmente, a Linha 8 Diamante atende a 420 mil passageiros, mas até 2014, deve haver um acréscimo de 25% na demanda que pode atingir 526 mil passageiros por dia, de acordo com projeções da CPTM.
O BNDES também financiou, em outro contrato, a aquisição de 36 novos trens, liberando para a operação R$ 946,8 milhões.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 comentário em BNDES anuncia R$ 5,2 bilhões para transportes sobre trilhos

  1. CPTM 8 mostra grandes avanços junto com grandes atrasos e incertezas importantes.

    Além das estações citadas, há a sinalização de tecnologia de ponta (igual a da Metrô Amarela), 36 trens novos (sem divisórias, com portas mais largas), novas estações no centro expandido, como a Bom Retiro e mega-reforma do pátio de Presidente Altino, junto ao Cebolão. É o maior investimento da CPTM, tanto em extensão de obras como em valor e tecnologia. E a primeira PPP.

    Mas convive com uma atrapalhada extensão operacional de Itapevi a Amador Bueno e com a incrível ausência de planejamento de integração com o corredor de ônibus Itapevi-Butantã da EMTU. Ambos em obras. E a mesma questão não resolvida de energia/subestações que acabou com a avaliação campeã da CPTM 9 ocorre nesta linha.

    O Estado desperdiça oportunidade de ajustar o viário do entorno das estações mais centrais (principalmente Itapevi, mas também Carapicuíba e Barueri), exceto em Osasco e Pres. Altino. E promover integração com ônibus e serviços tipo E-Fácil para carros e motos. Os 520.000 usuários previstos para 2014 poderiam aumentar MUITO com as obras em curso e a nova sinalização, ou seja: CPTM 8 PRECISA USAR SEU ENORME POTENCIAL DE LINHA TRONCAL.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: