EMTU vai investigar EAOSA depois de denúncias do Blog

ABC Paulista
Micro-ônibus da EAOSA, em Mauá, roda com fiação das lanternas e das setas de sinalização solta, na região do para-choque. Foto: Lygia Souza

EMTU vai investigar denúncias contra EAOSA
Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos considera grave a denúncia de emenda de chassis antigos em ônibus articulados não originais de fábrica. A mesma prática ocorre com a Viação Cidade de Mauá, do mesmo Grupo, mas prefeitura de Mauá não respondeu à reportagem
ADAMO BAZANI – CBN

A EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos vai inspecionar os ônibus da EAOSA (Empresa Auto Ônibus Santo André) flagrados pela reportagem prestando serviços em mau estado de conservação.
A gerenciadora dos transportes por ônibus intermunicipais também considera grave a prática dos ônibus artiCOLADOS, como os próprios motoristas da EAOSA designam os veículos, e vai investigar as denúncias.
Os veículos são ônibus articulados não originais de fábrica. A parte da frente de cada ônibus é formada por um chassi novo, normalmente das marcas Mercedes Benz e Volkswagen, mas a parte traseira, após a articulação (ou popularmente chamada de sanfona) é formada por um chassi de ônibus antigo, dos anos de 1990, marca Volvo B 58. A “emenda” de chassi novo com velho recebeu carroceria Gran Via, da Mascarello.

ABC Paulista
Ônibus intermunicipal da EAOSA, encarroçado sobre chassi antigo, circula com vazamento em rua de Mauá, uma das cidades que fazem parte da área 5, das linhas intermunicipais do ABC Paulista, que a EMTU tenta sem sucesso licitar desde 2005. Foto: Lygia Souza.
ABC Paulista
Ônibus intermunicipal da Viação São Camilo está com idade superior a 10 anos de uso e apresenta problemas na articulação como peças soltas e rasgos na lona da articulação. Foto: Lygia Souza.

Isso ocorre com vários veículos das empresas EOASA e Viação Ribeirão Pires, que prestam serviços em parte da área 5 da EMTU, a única que não foi licitada pela gerenciadora intermunicipal por pressão dos próprios empresários do ABC, o que impede a renovação da frota, formação de consórcios e reorganização das linhas.
A reportagem também flagrou ônibus circulando pelas ruas com vazamentos, fios da parte elétrica expostos, com más condições de lataria e portas que não fecham direito.

ABC Paulista
Porta do meio de ônibus intermunicipal da EAOSA não fechava direito e em espaço poderia caber a mão de um passageiro adulto ou o braço de uma criança. Foto: Lygia Souza

A EMTU se comprometeu a verificar todos estes casos.
A prática de ônibus articulados não originais de fábrica, emendando chassi antigo com novo no mesmo veículo, ocorre na empresa municipal Viação Cidade de Mauá, mas a prefeitura de Mauá não deu nenhuma resposta, a exemplo da EMTU.
A Viação Cidade de Mauá e a Prefeitura anunciaram renovação da frota do lote 01 para a população, mas apenas 30 veículos eram novos de fato, entregues em 16 de setembro de 2011.
O restante, até formarem os 40 veículos novos anunciados pela prefeitura e pela Viação Cidade de Mauá, é, na verdade, de ônibus dispensados do Rio de Janeiro. A maioria é ônibus midi, ou micrão. A configuração das portas, com o desembarque bem próximo do embarque, não é o padrão exigido pela licitação de Mauá e nem é costume do passageiro, que tem de ir até o fundo do ônibus e depois voltar para a frente, o que se torna um sacrifício com o veículo lotado.

Acompanhe resposta completa da EMTU:

“Em resposta aos questionamentos sobre o estado de conservação e manutenção dos ônibus da empresa EAOSA, a EMTU/SP reitera que as inspeções nos veículos das permissionárias e concessionárias do sistema de transporte metropolitano são feitas sistematicamente nas garagens das empresas pelos técnicos da EMTU/SP, nas quais são verificados mais de 400 itens ligados à segurança e manutenção. Na constatação de irregularidades, o veículo fica retido até o seu devido reparo.
Em relação aos ônibus de prefixos 900, 950 e 982 que aparecem no vídeo veiculado na internet, é importante ressaltar que os veículos citados são relativamente novos, fabricados entre 2008 e 2009, portanto com apenas quatro anos em operação. No entanto, a EMTU/SP realizará inspeção específica nesses coletivos, a fim de verificar os problemas de manutenção apontados na reportagem, assim como a grave denúncia de emenda de chassis que exige uma inspeção bem mais rigorosa para conclusão precisa.”

ABC Paulista
Ônibus usado do Rio de Janeiro tem sido solução paliativa de algumas empresas para diminuir a idade da frota de ônibus municipais e intermunicipais. Veículos ainda mantém as características do Rio com as quais os passageiros do ABC ainda não estão acostumados e que não são padrão operacional no ABC. Portas de embarque e desembarque são próximas nos veículos do tipo micrão. Passageiro entra no veículo e vai para oi fundo. Para sair, tem de voltar para a frente, tarefa não muito fácil com ônibus lotado. Foto Lygia Souza.

EM MAUÁ, PRÁTICA ESTARIA OCORRENDO TAMBÉM, MAS PREFEITURA NÃO INVESTIGA OS ÔNIBUS MUNICIPAIS

VCM
Possível emenda de chassi ocorre em ônibus da Viação Cidade de Mauá, de serviços municipais. Parte da frente é um chassi OF 1722 M, já depois da articulação, o cubo de roda indica que um chassi mais antigo foi emendado, no caso da imagem, um Volvo B 58, dos anos de 1990

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.