REPORTAGEM: Juiz de Fora tem corredor de ônibus com ultrapassagem, mas passageiro ainda reclama de filas nas paradas

ônibus juiz de fora

Ônibus em corredor de Juiz de Fora. Pontos de ultrapassagem agilizam os transportes coletivos evitando que os ônibus permaneçam muito tempo parados sem necessidade. Mesmo assim, passageiros reclamam de filas e de desorganização nas paradas. Foto: Adamo Bazani

Corredor de ônibus em Juiz de Fora tem pontos de ultrapassagem, mas população ainda reclama das filas nas paradas
Prefeitura afirma que está modernizando o sistema de corredor e pretende ampliá-lo
ADAMO BAZANI – CBN
Cinco horas da tarde de uma quarta-feira, dia 02 de maio, depois de um feriado prolongado, a cena se repete como nos horários de pico dos demais dias úteis: pontos de ônibus cheios e filas de veículos para embarque e desembarque de passageiros.
Essa é a realidade diária de parte dos 517 mil moradores de Juiz de Fora, na Zona da Mata, em Minas Gerais.
A reportagem do Blog Ponto de Ônibus / Canal do Ônibus conferiu a movimentação na tarde desta quarta e pode constatar uma série de contrastes.
Na avenida Barão do Rio Branco, centro da Cidade, os serviços de ônibus passam por um corredor exclusivo.
A via tem sido revitalizada, tanto nos canteiros como nas regiões das paradas.
Há os importantes pontos de ultrapassagem que dinamizam o atendimento aos passageiros. Após a realização do embarque ou desembarque, o ônibus não precisa ficar aguardando o outro que está parado na frente. Ele segue viagem sem perder tempo.
Mesmo assim, o que a reportagem presenciou foram longas filas nos pontos de ônibus, que estavam completamente lotados.
A fila de ônibus era tão grande em alguns momentos que ia de um cruzamento a outro, o que minimizava os benefícios das baias que permitem a ultrapassagem.
A população reclama. Mesmo assim, os passageiros ouvidos garantem que se não fosse o sistema, a demora e as filas seriam maiores.
Os pontos são extensos e a população se acomoda de acordo com o local onde está prevista a parada dos ônibus.
Mas em alguns momentos, para realizar as ultrapassagens de ônibus que estão em processo de embarque desembarque, os outros ônibus param nas extremidades dos pontos. E aí, o corre-corre de pessoas para pegar seu meio de transporte é grande.
Estão sendo realizadas obras na Avenida Rio Branco, por onde passa o corredor de ônibus.
Entre as Ruas Antônio Lagrota e Barão de Cataguases, há uma interdição que deve durar até pelo menos esta sexta-feira, dia 04 de maio.
No sentido Bom Pastor, os carros de passeio estão sendo desviados para a pista central, onde passam os ônibus.
Já no sentido Manoel Honório, os ônibus têm sido direcionados para a pista lateral a partir das proximidades da Rua Silva Jardim.
Mas o trecho visitado pela reportagem, entre a Rua Floriano Peixoto e Rua Marechal Deodoro não compreendia esta intervenção.
Para minimizar o vai e vem de pessoas nos pontos por conta da localização onde o ônibus para na baia, a sugestão em análise é melhor dividir os pontos de acordo com as linhas.
Assim, um grupo de linhas pararia nos lugares especificados.
Haveria mais pontos, mas os ônibus não parariam em todos.
Isso não seria prejudicial em locais onde há as baias que permitem as ultrapassagens.
A Avenida Barão de Rio Branco, que abriga o corredor de ônibus, é uma das maiores da cidade da Zona da Mata.
Tem 6,4 quilômetros e atende a diversos bairros. Ela teve origem na Estrada do Paraibuna, criada em 1835, pelo engenheiro alemão Henrique Halfeld com o objetivo de ligar Ouro Preto, em Minas Gerais, ao Rio de Janeiro.
Juiz de Fora é atendida por pouco mais de 500 ônibus. São sete empresas de ônibus que são diferenciadas por cores:
Santa Luzia – Laranja
ANSAL – Amarelo
São Cristóvão – Cinza
Goretti – Vinho
TUSMIL – Verde
Norte – Branca
São Francisco – Azul.
O sistema possui um terminal de integração na zona Norte.
Nem toda a frota é adaptada, mas tem sido renovada aos poucos. Os ônibus adaptados fazem parte dos serviços denominados APOIO – Sistema de Transporte Adaptado.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

7 comentários em REPORTAGEM: Juiz de Fora tem corredor de ônibus com ultrapassagem, mas passageiro ainda reclama de filas nas paradas

  1. Adamo, boa noite e a todos também !

    Desejo que você esteja melhor ! Pelo que entendi e me corrija se eu estiver errado, você foi à Juiz de Fora ?!

    Pelo conteúdo da reportagem, concluo que, guardadas as devidas diferenças e problemas, Juiz de Fora, com algumas práticas simples, possuí um sistema de transporte, minimamente eficiente.

    Abraço.

  2. No texto tem este trecho: “O sistema possui um terminal de integração na zona Norte.”

    Não existe mais este terminal.

  3. Josue Marcio Lopes // 3 de Maio de 2012 às 02:53 // Responder

    Por isso que acho que nao basta bons cortedores. Eles devem vir acompanhados de bons planejamentos

  4. André Ricardo // 3 de Maio de 2012 às 03:25 // Responder

    se colocassem ônibus articulados nessas linhas talvez melhorasse um pouco,lembro bem há uns 9 anos do corredor santo amaro-9 de julho,cheio de ônibus de pequeno porte e poucos articulados,hoje aquele corredor não tá 100%,mas em compensação os articulados e biarticulados já estão quebrando um galho naquele corredor!!!

  5. Tarcísio Rodrigues // 3 de Maio de 2012 às 10:48 // Responder

    Pura obra eleitoreira a mulher do atual prefeito (Custódio Matos) que é dona da empreiteira, cada bloco de concreto de 50 cm para os canteiros centrais custa R$ 95,00 e cada lombada está saindo por R$ 13 mil reais e o serviço é bem porco por sinal. Ele só recapeou o asfalto e está mudando os pontos de lugar não está acrescentando em nada ao corredor. Falo com conhecimento de causa pois tenho amigos na cidade e estive lá neste feriadão! Abraços

  6. para funcionar bem, corredor de ônibus deve ter os “tubos” como em Curitiba, assim o usuário paga a passagem, antes de entrar no ônibus!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: