Um ano de Ligeirão tem balanço positivo

ligeirao

Curitiba completou 319 anos e a operação dos ônibus Ligeirões Azuis fez um ano. Os balanços são considerados positivos e a perspectiva é ampliar o serviços. Os ônibus aumentaram em 47% a oferta de transportes nas linhas onde operam e reduziram em 63% a poluição. Foto: Adamo Bazani.

Um ano depois, implantação de Ligeirão em Curitiba tem balanço positivo
O maior ônibus do mundo é também menos poluente e aumentou oferta nos transportes
ADAMO BAZANI – CBN
Nesta quinta-feira, 29 de março de 2012, quando a cidade de Curitiba, Capital do Paraná, completou 319 anos, também fez um ano a operação dos Expressos Ligeirões, biarticulados da Neobus, modelo Mega BRT, considerados os maiores ônibus do mundo, com 28 metros de comprimento e capacidade para transportar 270 pessoas em cada veículo.
De acordo com levantamento do jornal Bem Paraná, o balanço de operação destes veículos é positivo.
Em relação ao meio ambiente, os ônibus Ligeirões, na cor Azul, foram responsáveis por reduzirem a poluição em 63 % na comparação com outros ônibus de porte semelhante.
Os veículos são movidos com 100% de biodiesel (B 100), combustível que emite menos materiais particulados, óxidos de nitrogênio e gás carbônico.
Além disso, por serem maiores, os Ligeirões podem substituir mais ônibus convencionais.
Com capacidade maior, nas linhas que operam, os novos ônibus biarticulados foram responsáveis por aumentarem em até 47% a oferta de transporte.
No total são 30 ônibus biarticulados azuis. Destes, 28 são de escala e 02 são reservas.
No eixo Boqueirão, são 37 mil passageiros transportados em 12 veículos deste porte.
Já na ligação Pinheirinho – Carlos Gomes, pela LinhaVerde, são 14 biarticulados Neobus Mega BRT, chassi Volvo, que atendem 31 mil passageiros por dia.
A estimativa da Prefeitura de Curitiba é ampliar os serviços com estes ônibus. Até o próximo ano, vão fazer a ligação entre o Terminal Santa Cândida e a Para do Japão
O Bem Paraná trouxe um histórico da evolução dos ônibus de alta capacidade em Curitiba, cujo sistema é referência mundial em corredores para transporte coletivo, desde a criação do Expresso até o maior ônibus do mundo. Confira.
“ O eixo Boqueirão, onde o Ligeirão, ainda na cor vermelha, foi implantado em março de 2010, tem sido um laboratório para aperfeiçoamento do sistema de transporte em Curitiba. O eixo foi construído em 1977 e tinha à época ônibus de 11 metros de comprimento e capacidade para 85 passageiros.
Em dezembro de 1992, o eixo Boqueirão inaugurou a segunda fase do sistema Expresso, com os primeiros biarticulados — modelo à época pioneiro, desenvolvido para Curitiba — de 25 metros de comprimento e capacidade para 230 passageiros. E no ano passado, inaugurou o novo Ligeirão, ônibus com 28 metros de comprimento e capacidade para 250 passageiros.
Também foi no Boqueirão que em 1991 estreou a primeira Linha Direta, servida pelos chamados “Ligeirinhos”, na linha Boqueirão-Centro Cívico. Foi também o primeiro corredor de transporte a ter estações desalinhadas com criação de pistas de ultrapassagem nas canaletas.”
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN especializado em transportes.

2 comentários em Um ano de Ligeirão tem balanço positivo

  1. Boa tarde.

    Exemplo de como se pode fazer mais, com menos. É a solução ? Não, até porque, tudo na vida é dinâmico e, o que serve hoje, pode não ser útil amanhã.

    Mas…

    Ônibus, é um meio AMALDIÇOADO, por muitos.

    Fazer o quê ? Enquanto isso, leva-se alguns anos, para serem construídos alguns metros de metrô e se investe uma migalha em ônibus.

    Com isso, todos nós perdemos.

  2. e a tendencia,é aumentarem o tamanho desses Bi-Articulados.agora,tem q ter motor forte pra empurrar esses gigantes.caro Gustavo:isso tambem é culpa da mídia q criou esse”culto ao carro”!na Europa,se encara Ônibus,metrô,trem.até nos Estados Unidos,tambem.aqui,quem usa esses transportes é chamado de”pérrapado”.

Deixe uma resposta