China expande participação global no setor de ônibus com tecnologia limpa

onibus

Chineses se expandem no mercado de ônibus com tecnologia limpa. A BYD, uma das maiores produtores de veículos de transporte coletivo, vai fornecer ônibus elétricos para a Finlândia. A operadora faz parte de uma das maiores transportadoras de passageiros do mundo. Foto: Divulgação.

Empresa chinesa vai fornecer ônibus elétricos para a Finlândia
Companhia também quer outros mercados no mundo. Só no seu país de origem, serão encomendados mais de mil ônibus movidos a bateria de fosfato de ferro

ADAMO BAZANI – CBN

Os chineses estão de olho no mundo quando o assunto é indústria de automóveis. Até aí, nenhuma novidade.
Mas agora a arma dos asiáticos é o setor de ônibus, inclusive os de tecnologia não poluente.
A BYD, fabricante chinesa de veículos a combustão e uma das líderes mundiais em veículos elétricos, anunciou que vem expandindo a produção e ganha novos mercados.
Exemplo é o acordo que fez com a empresa da Finlândia Veiola Transport Finland Oy para fornecimento de ônibus elétricos movidos a bateria modelo eBus 12 e estações de recarga.
Os veículos fazem parte do programa de mobilidade sustentável na cidade de Espoo, que fica na região metropolitana de Helsinki.
Os ônibus vão prestar serviços por três anos e serão monitorados pelo Centro de Pesquisa Técnica da Finlândia.
O objetivo é calcular a viabilidade econômica dos veículos e os ganhos ambientais.
O programa de testes é financiado pelo governo de Espoo, que deve ser a primeira cidade finlandesa a ter um sistema de tecnologia de transportes públicos sobre pneus sem emissão de poluentes.
CARACTERÍSTICAS DOS VEÍCULOS:
De acordo com a BYD em operações urbanas convencionais, inclusive enfrentando congestionamentos, o modelo eBUS 12 pode ter uma autonomia de 250 quilômetros com uma única carga nas baterias. As baterias são do tipo regáveis Fe, de fosfato de ferro, feitas pela própria BYD. O consumo é de 130 kW/h por 100 quilômetros em média.
De acordo com a empresa, além de ser durável, esta bateria não contamina o meio ambiente quando descartada por não conter metais pesados.
Atualmente quatro cidades na China usam o modelo eBUS 12. Uma delas é Shenzhen, onde os ônibus deste modelo já rodaram 3,2 milhões de quilômetros. O governo de Shenzhen anunciou a intenção de comprar mais 1000 ônibus eBUS 12. A cidade é considerada a que possui uma das maiores frotas de ônibus não poluentes no mundo.
A Veiola da Finlândia possui no país cerca de 300 ônibus, que servem a capital e a área ocidental. Ela faz parte de um dos maiores grupos transportadores do mundo, a Veiola Trandev.
Para se ter uma idéia da atuação do grupo, a Veiola Trandev teve receita líquida no ano passado de 8 bilhões de euros, realizou 3,3 bilhões de viagens e emprega 119 mil pessoas. A Veiola Trandev atua em 27 países.

BRASIL:

O Brasil também é exportador de ônibus com tecnologia limpa e desenvolve soluções para o mercado interno. Alguns destaques são a Eletra e a Ilimuniatti. A Eletra desenvolveu um trólebus que funciona na rede elétrica aérea, como os veículos mais antigos, e que também possui uma bateria de armazenamento que dá autonomia para o ônibus operar por alguns quilômetros sem necessidade da rede, caso haja algum problema de fornecimento de energia elétrica.
Veículos como este, produzidos pela Eletra, já circulam em Wellington, na Nova Zelândia.
O modelo brasileiro com bateria de autonomia deve operar pelo Corredor ABD, entre São Mateus, na zona Leste de São Paulo, e Jabaquara, zona Sul da Capital Paulista, passando por municípios do ABC Paulista. O sistema do Corredor é operado pela Metra, do mesmo grupo empresarial da Eletra.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

6 comentários em China expande participação global no setor de ônibus com tecnologia limpa

  1. Que abram o olho os interessados! A perspectiva de empresas chinesas ou venderem ônibus para o nosso país ou virem a fabricar ônibus (ou parte deles) por aqui.
    Ao passageiro que usa o transporte coletivo cabe verificar se o ônibus é bom ou ruim, sendo daqui ou da China. Boa quinta-feira para todos.

  2. Se os onibus forem parecidos com os da foto, que beleza, Hoje em dia com os avanços tecnologicos, e com a nova politica chinesa de preço com qualidade, acredito que a China já consiga fazer onibus com qualidade sificiente para enfrentar as nossas montadoras, (vejam os carros da JAC) são exelentes, que abrão os olhos os empresarios de nossas montadoras, porque a china ainda não entrou na concorrencia em virtude da fama de ter produtos com qualidade questionaveis, porque em materia de preço eles dão de 10 a 0, se vier então com qualidade e preço baixo, e se montarem uma fabrica no Brasil meu Deus, muitas empresas vão abrir o bico, vejam o que ocorreu com o mercado de televisores, os coreano tomarão conta, eu me lembro que a 10 anos ouvia-se comentários tipo qua a Sanssung era mara de caldo de galinha, que a LG era a CCE do oriente, olhem hoje.

  3. Olha, prefiro focar a evolução dos não-poluentes que o impacto chinês nos mercados, sem desmerecer o problema.
    Híbridos e elétricos não são apenas menos (ou “não”) poluentes; são mecânicamente mais eficientes, mais silenciosos e mais rápidos no que realmente interessa nos urbanos: acelerações. E praticamente todos os fabricantes importantes vêm oferecendo seus modelos.

    • Caro Luiz, concordo com você, sobre o meu comentário, digo que a materia já diz tecnologia limpa, so te peço para observar que eles falam em mil (1000), quando na cidade de São Paulo, um dos estados mais ricos do mundo, apos mais de 6 anos de promessa, e fizeram um tremendo estardalhaço, porque entregaram 27 onibus eletricos, que se diga de passagem apos 2 meses continuam nas garagens, com tecnologia de 70 anos atras, o amigo Adamo não concorda comigo, mas temos hoje tecnologia, digo para o momento agora, muito mais barata e de pronta entrega, sem rede que cai, sem falta de energia, voce reparrou as baterias dos chineses chegam a fazer 250 km, numa unica carga, porque gastar uma fortuna agora em verdadeiros dinossauros, se podemos gastar muito menos amanha em tecnologia de ponta.

  4. Adamo
    Após ao periodo de uso da energia acumulada (autonomia de 250km) qual é o tempo necessário para recarga dessa bateria, pois, o que li sobre as demais baterias é que necessitam de 8 horas para recarga, o que invalida seu aproveitamento para distâncias superiores a 100km por turno.
    Outra noticia sobre o assunto falava em recargas de alta potência, com cabos aéreos presentes em cada estação/parada, com uso de super baterias. (não sei se é esse o caso)
    Enfim gostaria de saber mais sobre tipo de bateria
    obrigado

  5. VIM COMERCIO (27) 3149-6600

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: