GREVE ÔNIBUS BH: Termina sem acordo primeira reunião entre motoristas e empresários

Greve ônibus BH

Ônibus parados em garagens em Belo Horizonte. Justiça determinou que BHTrans, Transcon e Setop – Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas devem fiscalizar o cumprimento da frota mínima de 50% o dia todo e ampliação para 70% nos horáriios de pico. Paulo Filgueiras – EM DA / Press.

Termina sem acordo primeira reunião entre empresas e motoristas
Nova reunião no Tribunal Regional do Trabalho está marcada para às 17 horas.
ADAMO BAZANI – CBN
Acabou há poucos minutos sem acordo a primeira reunião do dia entre os sindicatos trabalhistas e patronais para tentarem dar fim à greve dos motoristas e cobradores de ônibus.
O Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário de Belo Horizonte apresentou oficialmente a proposta de 20% de aumento nos salários da categoria para o Setra e o Sintram, sindicato das empresas, mas as viações continuam oferecendo 6% de aumentos salariais.
Os trabalhadores também pedem aumento para 30 folhas de tíquete- alimentação, no valor de R$ 15,00 cada folha, Participação nos Lucros e Resultados, redução na jornada de trabalho, fim da dupla função no caso de motoristas que dirigem e cobram e banheiros femininos nos terminais de ônibus e estações BHBus.
OS empresários oferecem aumento no valor do tíquete-alimentação de 6% e participação nos lucros de R$ 150,00 para quem ganha até R$ 1 mil e de R$ 300 para salários acima deste valor.
Logo mais às 17 horas deve ser realizada uma nova reunião de conciliação entre empresários e representantes de trabalhadores no TRT – Tribuna Regional do Trabalho para tentar colocar fim à paralisação.
No final da manhã da terça-feira, dia 13 de março de 2012, o 1º vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região de Minas Gerais, Marcus Moura Ferreira, determinou que 50% da frota de ônibus prevista para circulação fossem colocados em operação. A quantidade, de acordo com a determinação, deve subir para 70% da frota programada nos horários de pico das 06 h às 09 h e das 17 h às 20 horas.
Com isso, o desembargador Marcus Moura Ferreira atendeu parcialmente à liminar requerida pelos empresários de ônibus pelas representações patronais. O Setra – BH – Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte, que reúne as companhias da capital, e o Sintram – BH – Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros, das empresas que atendem aos municípios da Grande BH, pediram a ilegalidade da greve.
Elas alegaram que não foram comunicadas com 72 horas de antecedência conforme prevê a Lei de Greve.
O desembargador alegou que o TRT não deve deliberar sobre ilegalidade ou abusividade de uma greve. Pelo não cumprimento da determinação foi estipulada uma multa diária de R$ 30 mil contra o sindicato dos trabalhadores.
A Justiça determinou também que a BHTrans, a Transcon e a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas – Setop fiscalizassem o cumprimento da decisão judicial.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

2 comentários em GREVE ÔNIBUS BH: Termina sem acordo primeira reunião entre motoristas e empresários

  1. Essa nossa justiça é Injusta!
    Nas greves de PM, Médicos, Professores eles nem se manifestam…
    Agora para puxar sardinha para empresários de Transportes eles usam e abusam do direito que lhes é condedido pela sociedade…
    Que País é esse que só os ricos sobrevivem??? Eles nao vêem que o INSS já nao aguenta de tanto Motorista escorados no SUS?????

  2. Eu acho que os motorista exigem muito em se comparando com o que eles oferecem. Eu sou uma senhora de 68 anos e so encontro motorista resmungando e reclamando dos idosos. Um dia, tomei um onibus (Riacho) na Av. Augusto de Lima no centro, para ir ao ponto final, em Contagem. Ja na Av. Amazonas o motorista passava direto quando via uma pessoa idosa fazendo sinal. Quando era moca jovem, bonita, eles paravam mesmo sem a pessoa dar sinal e jogava piadinha, querendo leva-la de graca. Quando chegamos na Gameleira, tinha 4 velhinhos e ele fez mencao de passar direto, entao eu disse que se ele nao parasse eu iria com ele ate a garagem. Um dia eu tomei um onibus que parou no sinal da Curitiba com Tamoios e eu delicadamente, (pois ja conheco a raca) perguntei se ele “poderia” abrir a porta para mim e ele disse que ali nao era ponto. Antes do sinal abrir veio uma jovem de cabelos longos, boazuda, e pediu pra ele abrir a porta e ele abriu, e depois, disse para eu descer. So que eu disse que nao, pois ali nao era ponto de onibus, como ele havia dito. Maldade, pura maldade destes motorista, nao sao eles que pagam nossas passagens. Eles tem que parar, nao importa se somos jovens ou velhos, e obrigacao deles, por isso eles sao assalariados. Agora, se nao estao satisfeitos com os idosos viajando de graca, vao procurar um emprego que nao tem que enfrentar os idosos diariamente. Pior ainda, muitos motoristas resmungam e falam mal dos patroes, falam palavroes sem se preocupar com quem esta viajando com eles ali na frente.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: