Frota é pequena mesmo com determinação da justiça

Publicado em: 13 de março de 2012

greve BH

Ônibus tiveram vidros quebrados durante a greve dos motoristas e cobradores em BH e Região Metropolitana - Agestado

Frota de ônibus é pequena mesmo com determinação da Justiça
Estações Diamante e Barreiro têm sido as mais prejudicadas
ADAMO BAZANI – CBN
Mesmo com a determinação da Justiça Trabalhista de que 70% dos ônibus de Belo Horizonte trafeguem no horário de pico, a situação dos principais terminais é bem complicada para os passageiros.
O movimento dos ônibus nestas estações é bem abaixo do estipulado pela Justiça. Acompanhe agora o balanço das 17h30 da BHTrans – Empresa de Trânsito e Transportes de Belo Horizonte.

– ESTAÇÃO BARREIRO: 33% da movimentação normal
– VENDA NOVA: 70%
– VILLARINHO: 40%
– SÃO GABRIEL: 77%
– DIAMANTE: 15%

A BHTrans informa que há congestionamentos acima do normal na principais ruas e avenidas de Belo Horizonte. Há lentidão na Avenida Cristiano Machado, Avenida Dom Pedro I, Avenida Dom Pedro II, Avenida Antônio Carlos e vias que dão acesso aos municípios da Grande BH.

AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO:

Começou com atraso, agora há pouco, a audiência de conciliação entre representantes de motoristas e cobradores de ônibus de BH – Belo Horizonte e Região Metropolitana e sindicato das empresas de transporte coletivo no “plenarinho” do TRT – Tribunal Regional do Trabalho.
Participam da reunião o STTR – BH – Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário de Belo Horizonte, o Setra – BH – Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte, que representa as viações que operam na capital mineira e o Sintram – Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Metropolitano, que reúne as empresas que operam na capital e nos municípios da Grande BH.
A reunião entre empresários e trabalhadores no final da manhã desta terça-feira não teve acordo.
A categoria trabalhista pede 20 % de reajuste salarial, aumento para 30 folhas no tíquete-alimentação, cada uma com o valor de R$ 15,00, Participação nos Lucros e Resultados, redução na jornada diária de trabalho para 6 horas, fim da dupla função de motoristas que dirigem e cobram ao mesmo tempo e banheiros femininos para funcionárias nos terminais de ônibus – estações BHBUS.
As empresas de ônibus ofereceram 13% de reajuste salarial condicionados à elevação de 20 minutos na carga horária por dia e 9% de aumento para o pessoal da administração ou então 6% de reajustes de salários para toda a categoria sem alteração na jornada de trabalho. Pelas companhias, o reajuste no valor do tíquete alimentação seria também de 6%. A PRL – Participação nos Lucros e Resultados, de acordo com proposta das empresas, seria de R$ 150,00 para quem ganha até R$ 1 mil e de R$ 300 para quem recebe acima disso. As empresas de ônibus não aceitam, num primeiro momento, redução na jornada de trabalho.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Comentários

  1. Káio Augusto disse:

    50% dos mais de 2000 ônibus da Frota de BH está circulando. Não tem nada de errado nisso.

  2. Caro Kaio, de acordo com balanço da BHTrans não têm sido 50% o cumprimento de partidas e também o percentual da frota. Há regiões em que o número é maior e outras, bem menor. Além disso, pela Justiça, neste horário deveriam ser 70% da frota.
    Acompanhamos os desdobramentos.
    Grato

  3. Káio Augusto disse:

    Adamo, os 50% é da frota total, e não de linhas. BHTRANS não sabe nem o que é gerenciar Transporte Coletivo corretamente. Pelos ônibus que nós temos, nem erámos para pagar 2,65. É um Roubo. Em são Paulo paga-se mais caro, mas pelo menos tem ônibus que preste. Viva a BH, a única capital 100% Cabrita.

  4. Samara disse:

    Eu quero saber sobre a ultima audiência!Obrigada

Deixe uma resposta para Káio Augusto Cancelar resposta