GREVE EM CURITIBA TEMPO REAL: Frota mínima não tem sido cumprida

greve Curitiba
Ônibus de várias empresas não saíram das garagens em Curitiba e região Metropolitana. Cota de 30% prometida pelo sindicato dos trabalhadores não foi cumprida. Justiça determinou a operação de 80% de ônibus no horário de pico e 60% nos demais. Foto: Meu Transporte

GREVE DE ÔNIBUS EM CURITIBA: Frota de 30% não está sendo cumprida
Poucos ônibus saíram das garagens e houve passageiro sem opção nenhuma de deslocamento

ADAMO BAZANI – CBN

Pontos cheios, os poucos ônibus que saíram para as ruas abarrotados e muita indignação dos passageiros.
È assim que amanheceram as cidades de Curitiba e Região Metropolitana com a greve dos motoristas e cobradores de ônibus que formam o sistema da RIT – Rede Integrada de Transporte.
A cota de 30% de ônibus em funcionamento, que já não seria suficiente, não está sendo cumprida pelos funcionários.
Em algumas empresas nenhum ônibus saiu das garagens.
O medo é em relação a possíveis represálias de manifestantes ou mesmo revolta de passageiros que poderiam danificar os ônibus e colocar em risco a segurança dos funcionários que tentariam trabalhar.
O Blog Ponto de Ônibus acompanha o movimento desde as primeiras horas da manhã.
Chove no Paraná, o que deixa a situação ainda mais desagradável para o passageiro.
Muitos passageiros que trabalham de madrugada estão se opção para voltar para a casa.
Os motoristas e cobradores pelo Sindimoc, que representa a categoria, pedem reajuste salarial de 40%, aumento no vale-alimentação, readequação das escaladas, mais segurança, melhores condições de trabalho, entre outras reivindicações numa pauta de cerca de 50 reivindicações.
Neste momento, a temperatura em Curitiba é de 18 graus.
Houve tumulto em alguns piquetes nas portas das garagens, mas sem registros de ocorrências mais graves.
A Urbs disse que conseguiu na Justiça que fosse determinada a colocação de 80% dos veículos em horários de pico e 60% nos demais horários. A autarquia confirmou que o número de ônibus é bem abaixo dos 30%.
O trânsito é complicado nas principais vias de Curitiba e cidades ao entorno. Muita gente que usa o transporte público habitualmente optou por usar carro hoje, aumentando os congestionamentos.
NA BR 116, que liga Fazenda Rio Grande a Curitiba, o tráfego é acima da média e o motorista enfrenta pontos de lentidão.
Quem precisar deve sair mais cedo de casa.
Os serviços de lotação ainda não foram liberados pela Urbs.
As negociações entre o Sindimoc (motoristas) e Setransp (empresas de ônibus) devem continuar.
Adsamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.