Sindicato dos Motoristas apoia retirada dos cobradores de ônibus de SP

Extinção dos cobradores

Ônibus em São Paulo. Empresas de ônibus pressionaram, o vereador Antônio Carlos Rodrigues, do PR, apresentou o projeto de lei, e a direção do Sindicato que representa os profissionais dos transportes apoiou a extinção da função dos cobradores nos ônibus da Capital Paulista. Atualmente são 15 mil postos de trabalho nas catracas dos ônibus municipais. O sindicato disse defender a reaqualificação dos cobradores, mas não explicou se haverá vaga para tanta gente que vai perder a função. Foto: Adamo Bazani.

Sindicato se mostra favorável à retirada de cobradores
Para o diretor do Sindmotoristas, Nailton Francisco de Souza, função do cobrador perdeu utilidade. Ele defende pagamento de R$ 250 a mais para motoristas que dirigem sem cobrador

ADAMO BAZANI – CBN

O projeto de lei 457 de 2011, de autoria do vereador Antônio Carlos Rodrigues, do PR, que prevê a extinção da função de cobrador nos ônibus da Capital Paulista, em especial os que servem corredores, tem levantado muita polêmica. Vários passageiros se colocam favoráveis à presença do cobrador por entenderem que ele não apenas recebe o dinheiro das passagens, mas auxilia o motorista na visualização do embarque e desembarque, ajuste de espelhos internos e retrovisores, e contribui com o usuário nas informações sobre as linhas e pontos e ajuda pessoas com volumes e crianças a passarem pela catraca.
Mas o Sindmotoristas, o Sindicato que representa os motoristas e cobradores, praticamente descartou a importância dos cobradores.
O diretor do Sindicato dos Trabalhadores, Nailton Francisco de Souza, usou o mesmo discurso das empresas de ônibus e disse que pouca gente paga as tarifas com dinheiro e que o cobrador fica boa parte do tempo ocioso dentro do ônibus.
Ele é favorável à retirada dos cobradores e o pagamento de mais R$ 250 para motoristas que dirigirem sem o colega de trabalho. Além disso, defende pagamento de adicional por insalubridade para os motoristas por conta disso, o que permitiria que eles se aposentassem pelo INSS – Instituto Nacional de Seguro Social com 25 anos de contribuição.
Para as empresas, a substituição, mesmo com as exigências se torna vantajosa. Hoje, o salário de um motorista na Capital por 30 dias trabalhados é de R$ 1.676,00. Com a retirada do cobrador, pela proposta do sindicato dos trabalhadores, esse salário subiria para R$ 1.899. No entanto, as empresas de ônibus deixariam de pagar os R$ 978,00 para 30 dias de salário de cobrador.
Assim, atualmente, o custo do salário por equipe em cada “pegada” ou turno, é de R$ 2654,00.
Pela proposta do vereador Antônio Carlos Rodrigues, do PR, mais a sugestão do representante dos trabalhadores, com a extinção dos cobradores, os custos por viagem seriam de R$ 1899,00. Uma economia de R$ 755,00 para o bolso das empresas a cada equipe de trabalho.
Vários trabalhadores acharam estranha a posição do Sindmotoristas. Atualmente, são cerca de 15 mil cobradores na cidade de São Paulo.
Nailton afirma que pode haver um outro funcionário dentro do ônibus, mas não cobrando passagem. No entanto, o salário deste possível auxiliar poderia ser menor que de um cobrador. Além disso, Nailton se declarou favorável à proposta do vereador Antônio Carlos Rodrigues.
Mas o projeto de lei de Antônio Carlos Rodrigues não prevê a presença de mais um funcionário nos ônibus, mesmo nos convencionais, articulados e biarticulados.
O fim da função do cobrador não seria imediato, segundo o Sindimotoristas. Em acordo feito com o SPUrbanuss, sindicato que representa as empresas de ônibus, em maio de 2011, a representação dos trabalhadores pediu que os cobradores fossem requalificados e aproveitados em outras funções.
Só não ficou definido se haveria vaga para tanta gente que perderia sua função de cobrador.
Desde os anos de 1990 é discutida pelas empresas a extinção dos cobradores. Mas as reivindicações dos donos de empresas de ônibus ganharam mais respaldo e força em 2009, na segunda gestão do prefeito Gilberto Kassab, com novo partido, PSD.
A SPTrans informou que o pagamento eletrônico de passagens e que o Bilhete Único, criado em 2003 e que oferece integrações entre ônibus, trens e metrô, é predominante e que apenas 8% da tarifa são pagos a dinheiro.
Para os cobradores, restam a preocupação e a incerteza.
Parte da categoria alega que se é proibido o dono de um carro particular dirigir e falar ao celular pelo risco de perda de atenção, dirigir, cobrar passagem, dar troca, informar o passageiro e ajudar quem tem mais dificuldade na travessia da catraca tiraria ainda muito mais a atenção do condutor, aumentando o risco de acidentes com ônibus.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

55 comentários em Sindicato dos Motoristas apoia retirada dos cobradores de ônibus de SP

  1. Já tentaram isso em Guarulhos e houve uma piora nos serviços enormes,ate´onibus capotando pois o motorista estava voltando troco! agora que voltaram os cobradores melhorou um pouco…em Guarulhos o que falta é fiscalização e uma melhor atuação das empresas do Sr Belarmino,Jacob Barata e grupo Niff….

  2. Na maioria das cidades até que funciona, mas em SP, não vejo como os ônibus rodarem sem cobrador. O sindicato apoia por uma atitude mesquinha de aumentar a renda dos motoristas (que logo não vai ter mais efeito com inflação e as empresas alegando que o salário já sofreu reajustes…). Se é que os sindicalistas não estão levando algum por fora.

    Há de se lembrar que a economia não será só o salário do cobrador, mas todos os impostos pago em cima deste como um profissional registrado.

  3. Fico imaginando o pico da tarde na Avenida Ibirapuera… Há momentos que o ônibus fica 2min ou 3min no ponto só aguardando a entrada de passageiros. Fico imaginando se houver uma leva de passageiros sem bilhete… Quanto tempo o motorista vai levar pra passar o troco?. E o motorista dos bi-articulados?

    Se o cobrador fica “ocioso” é porque o próprio sindicato parou no tempo com relação à profissão. Deveriam, como entidade que congrega trabalhadores, incentivar e estimular o profissional a exercer outras funções e não simplesmente cortá-lo por ociosidade. Lamentável.

  4. Só se fizessem como no corredor abd, onde não se paga em dinheiro no ônibus. quanto ao sindicato, não defende a categoria. Faz greve pro Ruas mas não faz pelos trabalhadores que deveria defender. o sistema de recarga não é tão bom assim e o cobrador ajuda em manobras etc

  5. Será que desta vez as catracas serão remanejadas para ficar junto com motorista ?
    Eu me lembro quando foi implantada a catraca eletronica (bilhete magnetico) nos ônibus da Viação Campo Belo foi na época do Pitta a maioria dos passageiros pulavam a catraca pois não tinha nenhuma fiscalização somente o motorista.

  6. Edson - SP Minha Vida - Minha Cidade // 11 de dezembro de 2011 às 08:05 // Responder

    Um absurdo…. Lembro quando implantaram o bilhete eletrônico e a maior parte dos veiculos começou a operar sem cobrador…. Alguém lembra quanto tempo passou sem este profissional? Viram que não dava certo, pois vigaristaas aproveitavam a falta de cobrador e passavam por baixo da catraca, já que o motorista atento ao trânsito não podia ficar supervisionando a catraca… Acho que o prejuizo com isso só vai começar…

  7. Com certeza tem alguém a mais por tras desta loucura de tirar os cobradores dos onibus, significa Lucros aos empresarios .O sindicato dos motoristas ? . Ou umas pessoas ligado a este sindicado? . Pois bem sabemos a minoria é a favor e a maoiria contra.
    A realizaçao de audiencias publicas a respeito seria uma otima ideia , ouvir o cidadão , os passageiros , e que o empresario fique de boca calada até um pedido de sua participaçao , para que fala onde será o beneficio desta retidada dos cobradores e deixar os motoristas , dirigir, cobrar e dar atençao aos passageiros que embracam, desembarcam e pedem informaçoes .
    Ah Senhor Empresarios e Senhores Vereadores, a coisa não é tao simples assim, ainda mais que são mais de 15 mil cobradores que por sua vez fazem o sustento de sua familia. Ou seja mais de 15 mil pessoas desempregadas ou sem dar auxilio a suas familais . Diga não a esta pouco vergonha , e ao Sindicato dos Motoristas , qual é sua função? ; Isso é se sabem porque é que são Sindicato dos Motoristas.

  8. Edson Ferri dos Santos // 11 de dezembro de 2011 às 12:58 // Responder

    Concordo com o Bruno Quintiliano que essa determinação só funcionaria em corredores próprios de ônibus e com pagamento só de bilhete único, porque senão uma viagem da Cidade Tiradentes para o Metrô Vergueiro ( 374T/10 ) que dura em média de 2 horas hoje com cobrador, quanto tempo levaria sem eles? Para isso teríamos de ter os corredores de ônibus prometidos por Kassab ainda em campanha eleitoral.

  9. empresa de onibus e mafia da mala branca tbm entra em cena…eu sou cobrador busãO AS COISA ESTA RUIM PARA TODOS…VAMOS FZ GRAVE LONGO

  10. De volta a polemica retirada dos cobradores na cidade de São Paulo, lembro-me quando nos anos 90 o prefeito Maluf colocou o sistema de bilhetagem eletrônica, havia um bilhete magnético identico aos usados no metrô e CPTM, a proposta era a mesma gradativamente retirar os cobradores dos ônibus, porém depois de muitos protestos e ações judiciais voltaram atras e perceberam que havia a necessidade desse profissional nos ônibus, inclusive se não me engano o próprio governo federal determinou a não extinção dessa função na época, devido ao fato de se isso ocorrese agravariamos o problema do desempregoe com ele outras consequencias. Pois bem é sabido que com o sistema de cobrança eletrônica através de bilhetes como unico, bom é possível haver essa extinção de função, mas por outro lado o sistema ainda e muito falho, pergunte aos moradores dos bairros mais afastados da capital sobre as dificuldades de se recarregar ou mesmo carregar os créditos do bilhete único, isso ocorre porque não há interesse por parte dos orgãos gestores e empresas preferem dificultar para obrigar o usuário pagar em dinheiro a tarifa, pois os pontos de recargas concentram-se nos terminais, estações do metrô, lotéricas e alguns comércios (Farmacias, Lan houses, entre outros. Porém se a pessoa necessita recarregar um bilhete único no domingo de manhã vai ter dificuldades por não ter ponto de recarga aberto ou disponível, e um detalhe há bairros que nem há ponto de recarga mesmo durante a semana. Ai vem esse Sindimotorista apoiar uma iniciativa que irá prejudicar mais ainda os usuários, desculpem-me mas tem podridão ai, esse sindicato está demonstrando que mais representa interesses de patrões. Falar em reaproveitamento de funcionários em outras funções nas empresas, chega ser balela, por mais reaproveitamento que haja na área operacional teremos novos motoristas, fiscais e inspetores que não são muitos nas empresas. Em relação aos usuários com certeza teemos muitos problemas com os de necessidades especiais e idosos, pois um motorista que dirige, cobra tarifa, valida cartões especiais e ainda terá que sair do posto para por exemplo embarcar um cadeirante terá um desgaste muito grande, não sou contra o que chamam de evolução, mas temos que ficar atento ao que está por traz disso, esse Sindimotoristas ao meu ver não está sendo coerente com aqueles que lhe dão sustentabilidade e legitimidade.

  11. Como em diversos países do mundo,a presença do cobrador não existe mais, só que há regras bem estabelecidas. Primeiro: Regulamentar profissão dos motorista, com suas obrigações e afazeres. Segundo: Dar estabilidade para os cobradores poderem serem readapitados a outras funções, inclusive como a de motorista, só para entendendimento, quem tira a primeira habilitação, leva um ano com a provisória, para poder mudar de letra mais um, só ai já falamos de 2 anos de estabilidade. Terceiro: Tudo isto convencionado em acordo coletivo e TAC no Ministério Público do Trabalho, a única cidade que conseguiu este acordo foi Santos, com 5 anos de estabilidade, hoje 60% dos motoristas eram cobradores, com mais capacidade do que os motoristas que estavam em exercício, pois os mesmos fazem troco rapidamente, ( quem teve mais medo de perder o emprego foi o motorista ) mas como o mercado precsavademais motoristas foi rápida a reaproveitação, previu-se também em acordo coletivo, com anuência do cobrador ser realocado para outras empresas do mesmo grupo economico, que até hoje estão lá.
    Essas esperiencias foram boas para os trabalhadores, mas em compesação a popupalação é rustica a mudanças, visto a prática de poder cambiar o vale transporte, iniciativa de espertalhões e cambistas. Com a retirada do dinheiro dos ônibus os assaltos diminuiram e as empresas e vários setores passaram a ter um melhor controle sobre o gasto com o vale transporte, inclusive nos acidentes de trabalho em percurso, pois o cartao é rastreavel, créditos devolvidos em caso de furto, etc e etc. Essa conta só fecha realmente se os usuários realmente aderirem, pois não é justo que poucos que não peguem o cartão, fiquem empatando o motorista e a grande maioria dos usuários.

  12. Edson Ferri dos Santos // 11 de dezembro de 2011 às 18:09 // Responder

    E ainda terá o problema com os Trólebus ( ônibus elétricos ) para ajudar nós cidadão a praticamente morar dentro dos ônibus para ir trabalhar e voltar para casa:
    A) trânsito em SP;
    B)falta de energia ( para os trólebus );
    C)falta de corredores de ônibus e
    D)falta de cobrador.

  13. Acho importante o ponto do José Euvilásio: há necessidade de serviços em várias outras funções.
    Os cobradores deveriam ser reciclados em treinamentos, com apoio da SPTRANS, EMTU, Metrô, CPTM, ANPT, etc.

  14. Péssima ideia, aqui nos fins de semana algumas linha de menor movimento vão sem cobrador, serviço dobrado pro motorista ..

  15. Apesar de ter (na minha opinião) o sistema de bilhetagem eletrônica mais eficiente da RMSP, ainda tem muito o que melhorar antes de obrigar todo mundo a usar o bilhete sempre, pensar na possibilidade de pagar em dinheiro pro motorista em São Paulo é uma ideia impraticável, impensável, e irresponsável da parte desses vereadores e empresários. Aqui perto de casa e em outros lugares, os postos de recarga funcionam das 8 as 18, alguns não carregam aos sábados, domingos e feriados. Quantas vezes não tive que pagar em dinheiro e depois enfrentar filas quilometricas nos postos de recarga do metro ou de algum terminal porque não tinha posto de recarga aberto perto de casa. Tinham que antes criar postos de auto-atendimento e mais postos de recarga, com horário de funcionamento ampliado, principalmente nas periferias. Se em Diadema já é um inferno o motorista dirigir e cobrar ao mesmo tempo, pensem como seria isso em plena 23 de maio, lgo 13, celso garcia, etc?

  16. Suicidio.esse é o termo.o q não presta,os caras,nos empurram goela abaixo.só espero q isso não passe.mas,vindo de uma cidade”midiatica”e elitizada feito são Paulo,não duvido!

  17. Eu acredito num remanejamento da maioria dos cobradores para a função de limpeza dos onibus, mas limpeza mesmo com agua, sabão e escovão, como fazem no Metro, a função de cobrador nos onibus a partir do blhete unico acabou, quanto a dar troco com o onibus em andamento e so cobrar quando o passageiro subir como ocorre nos intermunicipais, e também vai acabar com a mania de uma boa parti daqueles passageiros que so passam a catraca no ponto final, atrapalhando a passagem ou usando os assentos reservados, mas as catracas tem que ser como as Metro, porque as de hoje dificultam a passagem de idosos e obesos.

  18. Amigos,

    a posição do sindicato dos motoristas me faz pensar se motoristas e trocadores ainda conseguem ‘dividir’ o mesmo espaço, trabalhando em um mesmo ônibus.

    Que sejam felizes!

  19. Felipe Vitor Paixão [Lip! // 12 de dezembro de 2011 às 17:04 // Responder

    Um projeto tão esdrúxulo, que pode deixar milhões de cobradores desempregados e, consequentemente, aumentar a função do motorista, fazendo com que piore o tempo de viagens… a função de cobrador JAMAIS pode acabar… como citado nos comentários acima, o cobrador, além de cobrar passagem das pessoas, é auxiliar do motorista, inibe os “delinquentes” de pular catraca, gente entrando na porta de trás sem pagar e, acima de tudo, guardião das portas… Esse Sr. Antônio Carlos Rodrigues [PR – SP] criou o projeto que pode piorar ainda mais o sistema de transporte coletivo em SP… tomara que haja uma intervenção do Ministério Público e, principalmente, do Poder Judiciário para que esse projeto, já aprovado, seja banido de vez… ISSO É UMA VERGONHA!

  20. Ola Paulo fico honrrada em falar com pessoa taõ dedicada aos motorista feito voçe,parabéns pelo seu trabalho defendendo sempre os direitos dos motoristas.Pois o meu grande sonho é ser motorista,fiz tudo o que é necessário e nada de uma oportunidade,mais sei que um dia este sonho que tenho desde criança realizarei e sei q um anjo feito voçe vai um dia lutar pelos meus direitos.muito obrigado.

  21. Marcos Aurelio Roque
    E-mail: marquinhoccb@hotmail.com

    Endereço: Av. 27 de março, 56 Bairro: Vila Garcia- Votorantim-SP
    Telefone: (15) 33432169 – (15) 8800-0532 Data de Nascimento: 02/09/1969

    Formação Escolar: 1° Grau Completo

    Outros Cursos:
    Curso: vigilante
    Entidade: Academia de vigilantes
    Cidade: São Paulo
    Curso: Motorista Cidadão
    Curo: Inglês e Espanhol em transito
    Direção defenciva
    legislação de Transito
    1° socorros , meio ambiente convivio social
    Motorista Rodoviário Obrigatório no Rio de Janeiro
    Resolução Art. 168,
    Curso: Transporte coletivo.

    Formação Profissional :
    Empresa: Verdun Transportes S/A
    Função: Motorista Urbano
    Período: 07/05/2009 à 09/11/2011

    Empresa: Envitec Saniamento Ambiental
    Função: Ajudante Geral
    Período: 02/05/2005 à 31/07/2007

    Empresa: SPL do Brasil
    Função: Ajudante Geral
    Período: 20/05/1998 à 03/12/2001

    Empresa: Julio & Julio Ltda
    Função: Ajudante Geral
    Período: 26/03/2002 à 03/10/2003

    Empresa: Filon Confecções Ltda
    Função: Auxiliar de Qualidade, Maquinista Pleno
    Período: 03/07/1995 à 05/12/1996

    Votorantim______de_______2011

  22. Sérgio - Santo André // 13 de dezembro de 2011 às 18:59 // Responder

    Mas que sindicato maravilhoso, ele apóia o desemprego de seus filiados, aumenta o risco e a sobrecarga aos motoristas e passageiros, além do risco no trânsito, em prol das empresas ??? Estão colocando o lobo para tomar conta das ovelhas, e advinha quem é que paga o lobo, alguém imagina ????

  23. O negócio é simples: se não vai ter mais cobrador, e o custo de mão de obra por viagem vai reduzir em torno de 30%, por óbvio isso deveria, em qualquer país sério, se refletir em REDUÇÃO DA TARIFA. Mas duvido que isso vai ocorrer pois o objetivo é mesmo aumentar o lucro dos “frotistas”, na cara dura e descaradamente. A qualidade do serviço, por sua vez, vai piorar pelos mesmos escorchantes R$ 3,00 (a aumentar). Enquanto isso, essa verdadeira “Máfia Portuguesa” que toma conta dos transportes coletivos de São Paulo há cerca de 5 décadas segue andando de BMW e helicóptero às custas de muito sofrimento da população. Estatização já!!!!

    Abraços.

  24. Sr Nailton vc como representante da categoria pago para zelar ,pela manutençao do emprego dos com panheiros ,eleitos pelos mesmo e agora declarar que os cobradores sao peso morto e fechar com a patronal para jogar 15 mil pai de familia na rua porque para vc é oçioso descupe oçioso ´´é voce que enriqueceu bebendo o sangue da categoria e agora com essa negoçiata enchendo os bolso ,esse sindicato que já foi de luta e referença para o Brasil ,hojé é chamado chamado de sindicato do crime por culpa de pelegos como vc e mais uma corja .Presidente Jorge faz uma media com a categoria chama o conselho de etica, mais uma assenbleia para espursamos esse vagabundo que hoje deveria estar sentado na Spurbanos defendendo o intereçe da patronal .

  25. O grande problema da população obreira do Brasil é que, os nossos governantes, não deram nem um pouco de atenção para o que acontece hoje em materia de crescimento sócio economico bem como cultural, deixaram as massas obreiras na informalidade, não treinaram ninguém, não deram escolas tecnicas de qualidade e agora correm atraz do rabo, não são sindicalistas, patrões avidos por lucros, nem mesmo em tese os politicos despreparados e sim a elite dominante deste país, se querem acabar com os cobradores, mais uma vêz repito, exijam que os empresários antes de mais nada, sejam precionados pelo prefeito, ministério público do trabalho, justiça do trabalho, para que: Garantam a estabilidade dos mesmos em outras funções, com qualificação e capacitação para que possam exercer outras atividades laborais no mercado brasileiro que está para lá de aquecido, é de suma importancia ter clareza nas palavras e não ficar só na xingação, muitas categorias no Brasil já passaram por transformações e o mercado vem se adapitando para tal, só que o Brasileiro é muito radical a mudanças, por exemplo, bancarios, perderam muitos postos de trabalho para os caixas eletronicos e para a internet, os metalurgicos, perderam milhares de empregos com a robotização, os trabalhadores portuários perderam para os transtainers e portainers, quanto saco se carregou na cabeça nos portos, os seguranças para as cameras online e por aí a fora, O que os trabalhadores devem e tem que exigir é , pelo menos que, a prefeitura que é detentora dos contratos, reciclem o máximo de trabalhadores e consiga formar um profissional para o próprio sistema de bilhetagem e informatica que terá que ser calibrado e aferido, que os coloquem na fiscalização dos terminais e tantas outras atividades que o transporte tem como tunover alto, ou melhor explicando, quase 10% das empresas de transportes reciclam ou demitem seus trabalhadores, é uma rotatividade das mais elevadas do país. Espero não estar atrapalhando os companheiros que postam matérias neste blog, mas lugar de chorar não é aqui, tem que fazer o pael social que a população obreira do Brasil merece, infelismente a modernidade veio para ficar, sou da época que celular era para burguês, quem é burgues hoje, sou da época que dizer que a imigrantes era obra faraonica, hoje mais oarece uma avenida de SP, vamos nos modernizar, exigir aquilo que as elites nos relegaram, pois do contrário, seremos mais um mendingo emabixo de um viatuto sem eira nem beira.
    Desculpem o desabafo e as linhas mal escritas.

  26. Caro Pestana e amigos.

    Eu sigo achando muito simplista essa tese de que a bilhetagem eletrônica está tornando dispensável a presença de cobradores nos coletivos. A questão é que a prática desmente a teoria utilizada pelos senhores frotistas e que está sendo reproduzida por este sindicalista que muito me aparenta estar vendido aos interesses dos barões da catraca paulistanos.
    Realmente, atualmente apenas 8% das viagens estão sendo pagas em dinheiro, mas a questão é: o quanto estes 8% vão influir na velocidade média dos coletivos em cada viagem, uma vez que é sabido que os motoristas deverão ficar parado nos pontos até trocar o dinheiro. Também inclua no passivo dessa modificação que teremos um aumento no número de acidentes de trânsito causados por ônibus, já que em muitos casos os motoristas perdem a concentração atuando em duas funções.

    A experiência de motoristas com funções dúbias existem em muitas cidades do Brasil, mas talvez em nenhuma que chegue próxima ao porte de São Paulo. E em todas essas cidades, a experiência dos motoristas-cobradores é negativa e alvo de inúmeras reclamações por conta da demora para os coletivos sairem dos pontos haja bilhetagem eletrônica ou não, tanto que, a retirada dos cobradores dos ônibus em muitos locais está sendo revertida por meio de leis municipais e decretos das gestoras reobrigando as empresas a contarem com os profissionais em seus carros. Interessante que a SPTrans e outros órgãos gestores paulistanos adoram basear suas decisões em “experiências” adquiridas em outras cidades, mas curiosamente, neste caso, parece que isso não foi avaliado ou não tem importância.

    Da mesma forma, os nossos queridos “frotistas” paulistanos exigem anualmente reajustes de tarifas e aumentos nos subsídios com bases em “planilhas de custo” enviadas anualmente à gerenciadora de transportes da Capital. Os custos, invariavelmente, aumentam sempre de maneira assustadora, bem acima da inflação a cada ano, e por inúmeros motivos (aumento de salários por norma coletiva da categoria, aumento do preço dos combustíveis, dos pneus, das peças, da graxa, do tomate servido ao funcionário da manutenção no horário do almoço etc.). A retirada dos cobradores reduzirá em 28,44% o custo da mão de obra a ser paga pelo frotista a cada “pegada”, redução esta que obviamente refletirá nas planilhas de forma a diminuir o custo operacional. E aí? Isso vai refletir também nas tarifas ou fica “de presente” para os “frotistas” que já são “tão pobrezinhos” coitados.

    Por fim, o sistema de bilhetagem de São Paulo ainda está longe de ser totalmente confiável, especialmente no aspecto da recarga. Hoje se recarrega o Bilhete Único em postos da SPTrans nos terminais, postos terceirizados no Metrô (na CPTM, por exemplo, só tem em uma ou outra estação), em algumas bancas de jornal, em algumas padarias e nas lotéricas. Nas lotéricas é uma piada, pois raramente você acha uma com sistema (e nem interessa a elas, pois o negócio de uma lotérica é vender jogo que é onde eles realmente ganham dinheiro). Nos dias 13 e 14 de novembro de 2011 ficamos mais de 28 horas sem sistema para recarga de bilhetes em toda cidade e muitos moradores tiveram prejuízos com isso, prejuízos estes que jamais serão ressarcidos (muitos trabalhadores chegaram a gastar até R$24,00 para ir e voiltar do trabalho ao invés dos R$ 6,00).

    Além disso, a quantidade de postos também é insuficiente e resta à SPTrans ficar fazendo “campanhas educativas” do tipo “mantenha seu Bilhete Único sempre cheio” ou “recarregue o máximo possível seu bilhete para evitar idas frequentes aos postos de recarga” tal. Tudo muito bonito para técnicos que ficam o dia inteiro numa sala com ar condicionado na Rua Boa Vista e vão e voltam para casa de carro ganhando salários acima de R$ 8 mil por mês. Entretanto, boa parte dos trabalhadores vivem com o dinheirinho contado e muitas vezes enchem o bilhete com o disponível conquistado a cada dia. Tal problema não existia quando era permitida a recarga na catraca, extinta pelo prefeito José Serra a mando dos empresários que temiam “fraudes”, quando, na verdade, o que queriam mesmo é deslegitimar a função do cobrador acabando com o crescente hábito das pessoas que perderiam muito menos tempo fazendo isso diariamente do que tendo que encarar vários minutos nas enormes filas de recarga.

    Mas no Brasil, a cada decisão absurda como essa de mandar 15 mil trabalhadores para rua, o poder público e os interessados costumam a colocar florzinhas e ornamentos em seus argumentos ao soltá-los na mídia, argumentos que, aliás, obviamente não são o real motivo da decisão. A decisão, neste caso, visa unica e exclusivamente aumentar o lucro dos frotistas e isso está claro quando se verifica que a tarfifa e os subsídios aos empresários simplesmente não serão reduizidos, pelo que se percebe. E quanto à alegada “requalificação”, de fato, realmente talvez haja demanda para reabsorver esses 15 mil com a colocação de mais ônibus nas ruas, onde esses ex-cobradores passariam a trabalhar como motoristas. Colocação de ônibus nas ruas de madrugada eis que as empresas praticamente abandonam os usuários nas ruas após a 0h, aumento da fiscalização, enfim… São 6 milhões de usuários de ônibus todos os dias, impossível não haver demanda de serviços para tamanho contingente.

    Um abraço a todos.

    • Edson Ferri dos Santos // 18 de dezembro de 2011 às 21:16 // Responder

      Rafael, seu documentário foi sensacional e reflete a safadeza desse sindicato vendido e mostra como a prefeitura pensa do cidadão, infelizmente para os governos somos apenas números, e nunca somos ouvidos infelizmente

    • Caro Asquini, parabéns, bem resumido e lógico, sou um daqueles que viu o cobrador ser retirado dos ônibus; a bem mais do que vc colocou sobre a recarga, a cartões com mais de R$ 2000, 00 em passagens, só que os mesmos, são dos cidadãos que acabam não utilizando a sua totalidade, a maioria dos empresários, onde a bilhetagem funciona, não mostram o espelho do cartão, imagine, todo mês, centenas de milhares de empresas carregando os cartões via online, como vc bem disse, o Serra não permitiu a recarga no próprio modulo, cidadão corrupto, que queria algo em troca dos barões, ou não, imagine o volume de $ acumulados nos tais bilhestes, mas se: os barões dessem a folha de rosto de cartões sabe o que iria acontecer, é fácil de entender: O dono do comércio, da industria e tantas outras, quando carrega o cartão, na maioria das vezes não sabe o quanto o seu funcionário tem acumulado no cartão, se imaginasce o quanto tem, como os que falei de $700,00 ate $ 2000,00 não carregaria o cartão ate o fim do crédito e além disso continuaria a descontar os 6% da folha do empregado, imagine o resultado disso, acredito que os empresários é que ficaram assustados se isto acontecer, agora vc pode imaginar porque o Serra vetou. Gostaria muito de debater tal assunto, mas é dificil ser taxado de corrupto e safado, nem todos os sindicalistas são desonestos, só sei uma coisa, se transporte da tanto lucro, porque as prefeituras os estados e até o governo federal não proporcionam este resultado, nós até imaginamos, campanhas políticas etc, etc, etc.
      Parabéns pelas suas colocações!

    • Caro Dr. Asquine, chegamos no amago da questão, o problema é cultural e de fiscalização por parte do poder concedente, se SP só está com 8% de vendas em cartão, Santos já está com 72% em cartão, faltan os outros 28% que não aderem, pois usam o cartão como moeda de troca, as empresas não tem o espelho do cartão, não as empresas de ônibus e sim os que pagam a maioria da conta dos trabalhadores, estes sim seguram o ônus dessa conta, pois os trabalhadores pagam 6% do total e os empresários comerciantes e até micros empresários pagam os 94% restantes. Sou muito sensível a manutenção de postos de trabalho, mas com à adesão do cartão se ganhara em média 30% da velocidade das linhas e isso com todos os problemas ocasionados por falhas, testes foram feitos neste sentido, exemplo disso é o metro, vlt, Brt e tantos outros modelos de transportes, no resto dos países desenvolvidos igual a capacidade do Brasil já funcionam com sucesso, mexico, chile, EUA, Londres e por aí a fora, porque só aqui a tendencia é inocua, até voar hoje no Brasil está mais fácil, compras de passagens pela internet, celulares e outras modalidades, falta vergonha dos governantes em fiscalizar, a população obreira merece condições melhores de transportes, mesmo com o desemprego de milhares de trabalhadores, mas alguns de milhões de trabalhadores se benefiaciariam de tal condição. A nossa obrigação e requalificar estes que perdem o emprego em benefício da maioria que precisa Ter mais mobilidade, sou sindicalista e sei o quanto doi na pele estar desempregado, mas quanto custa para a população andar em ônibus cheios e lentos nos transitos das cidades, adoro motocicleta, mas é o transporte que mais aleja jovens trabalhadores que fogem todo os dias dos ônibus, adoro carro, mas são eles que entopem as ruas e avenidas e tiram a velocidade dos transportes de massa, não da para furar o planeta todo por baixo só para metro, pois em algum lugar vai ter que ter a integração dos modais, são tantos os problemas da população que o desemprego de um cobrador, com o sistema funcionando, melhoraria a vida de milhares de outros trabalhadores, tenho que ter uma visão de futuro e adaptar os trabalhadores para novas relações de trabalho, seriam tecnicos em bilhetagem, manutenção de módulos, fiscais por parte dos concedentes e tantas outras novas funções que passariam a existir, o assunto é polemico mas apaixonante, pois a logica do transporte Brasileiro, passa por uma condição cultural, quem estará certo, o lucro do patrão ou os usuários que esperam de nós uma solução.
      Sempre é um prazer debater com o Sr. Dr. Asquine.

    • Valdir De Souza Pestana // 9 de junho de 2013 às 06:52 // Responder

      Caro Asquine, mais um exemplo, Santos caiu para 4% em dinheiro, 96% já está com bilhete, isto devido ao decreto do prefeito de acabar com a dupla função do motorista, o sindicato incorporou a comissão das passagens elevando o salário dos mesmos para R $ 2071, 00 de salário base, fora o plano de saúde para ele e mais um dependente também plano odontológico para ele e seus familiares todos, cesta básica vale refeição horas extras plr dr 26, 6% do salário , algumas coisas vem sendo feitas para melhorar a vida destes profissionais, mas como venho comentando, o problema ainda é social e cultural, tem brasileiro que anda viajando pelo velho mundo e levando multa de até 200 € por querer andar de graça nos ônibus daqueles países, lá não tem dupla função, todos sabem quais são as suas obrigações, por isso repito, reciclar e educar a cima de tudo. ..

  27. Dr.Asquini

    Você conseguiu exprimir o sentimento de muita gente em seus comentários. Tudo o que você falou é uma grande realidade e merece ser bem destacado.
    abraços

    Marcos
    Galesi

  28. essa historia do pessoal cobrar por vaga na viasul é verdade e o valor chega a 5000 reais sindicato vendido esse de motoristas de sp vergonha

  29. Marcos Aurelio Roque

    Endereço: Av. 27 de março, 56 Bairro: Vila Garcia- Votorantim-SP
    Telefone: (15) 33432169 – (21)98614207 Data de Nascimento: 02/09/1969

    Formação Escolar: 1° Grau Completo

    Outros Cursos:
    Curso: vigilante
    Entidade: Academia de vigilantes
    Cidade: São Paulo
    Curso: Motorista Cidadão
    Curo: Inglês e Espanhol em transito
    Direção defenciva
    legislação de Transito
    1° socorros , meio ambiente convivio social
    Motorista Rodoviário Obrigatório no Rio de Janeiro
    Resolução Art. 168,
    Curso: Transporte coletivo.

    Formação Profissional :
    Empresa: Verdun Transportes S/A
    Função: Motorista Urbano
    Período: 07/05/2009 à 09/11/2011

    Empresa: Envitec Saniamento Ambiental
    Função: Ajudante Geral
    Período: 02/05/2005 à 31/07/2007

    Empresa: SPL do Brasil
    Função: Ajudante Geral
    Período: 20/05/1998 à 03/12/2001

    Empresa: Julio & Julio Ltda
    Função: Ajudante Geral
    Período: 26/03/2002 à 03/10/2003

    Empresa: Filon Confecções Ltda
    Função: Auxiliar de Qualidade, Maquinista Pleno
    Período: 03/07/1995 à 05/12/1996

    Votorantim______de_______2011

  30. Ricardo Santos de Lima // 18 de janeiro de 2012 às 17:44 // Responder

    Esse Sindicato é dos Motoristas e cobradores ou dos Empresários? Tenho pena dos motorista e cobradores que são representados por este “presidente” do Paraguai. Se a mãe dele fosse cobradora, seria ótimo, mas esse cara nem deve ter mãe.

  31. po n da pra acredita tira os cobradores //? deputados eles tem familia ?? vcs querer que o mundo se acabe

  32. gente eu trabalhava de cobrado na empresa rio lagos trasportes em saqurema fui mandado embora??? tenho tres filhos e n acho mas emprego como vou fica deputado paulo melo vc com meu patrao cara toma vergonha na cara para de rouba ??eu sei que vc leva dinheiro da empresa pra mandarem embora os cobradores cara vc nunca mas vai ganha nada em saquarema seu deputado de

  33. É mais um deses políticos que não pensam no povo. E os mais de 15 mil que vão ficar desempregados eles vão fazer o que? e quantos vão pular a catraca das latas de sardinha?

  34. Em Santo André não tem cobrador , que vai embarca ter que ter bilhete pois não é possivel pagar a passagem em dinheiro ,a catraca fica bem na porta de entranda , funciona perfeitamente , nunca vi problema algum por falta de cobrador.
    Cobrador de onibus hoje em dia é realmente uma profissão inutil , acho que é melhor colocar eles para fazer outra coisa , ajudando quem embarca e desembarca do onibus por exemplo.

  35. a função deve ser mantida pois se as empresas se altomatizarem não vizando o direito da mão de obra humana só sobrará desemprego em são paulo obs:não podemos só pensar na economia empresarial afinal a funcionalidade de uma empresa não tem que ser só vender tambem é empregar

  36. É BOM ACABAR COM OS COBRADORES, ASSIM NÃO PRECISO MAIS PAGAR AS MINHAS DÍVIDAS. VIU, COMO TODOS PODEM VER: NÃO SOU BURRO!

  37. a onde esta o ministério publico de são paulo eles van reduzir o valor das passagem.

  38. Esse tal vereador deveria pensar bem antes de se candidatar ou lançar uma proposta como essa tão absurda. Que eu saiba a função do tal é melhorar a vida dos cidadão e não piora-la. Ou talvez o salario dele e do senhor diretor do sindicato seja suficiente para arcar com as despesas dos acidentes, das vitimas e das familias dos cobradores que ficarão desempregados.
    Realmente a politica é só voltada para o bem estar dos q não precisam…uma vergonha isso.

  39. Inaceitável! Como é que um sindicato, que tem a função de lutar por melhorias e melhores salários para a classe, apoia uma coisa dessa? O Sérgio de Santo André ressaltou muito bem ao afirmar que estão colocando lobos para tomerem conta de ovelhas. Um dia eu já trabalhei como cobrador, hoje estou em outra área, porém continuo preocupado com a classe dos rodoviários ainda mais agora quando o próprio sindicato apoia o desemprego de milhares de profissionais e, consequentemente, milhares de famílias, podendo, até mesmo, passar necessidade. Sem dizer que o motorista cobrador trabalha muito mais sobrecarregado e os riscos de acidentes são bem malhores. Decepção total!!!

  40. Eu sou cobrador,eu valido bilhetes de pessoas especiais e idosos,eu cobro passagens e no final de todas as viagens tenho em media cerca de 150 reais em maos para entregar na garagem..eu ajudo cadeirante a subir no onibus,oriento sobre os pontos e ajudo nas manobras..agora me diz como eh que apenas o motorista sozinho vai conseguir trabalhar fazendo isso na viagem toda? Isso vai atrasar muuuito a viagem,sem contaar nos muleques que vao pular a catraca e la no fundo do onibus vao usar drogas e destruir o onibus ne. Bom,so sei que se eu ficar desempregado por causa dr

  41. eu acho que sem cobrador daria certo desde que tenham bastante postos pra que as pessoas pudessem carregar o bilhete e que o motorista não fizesse duas funções,dirigir e cobrar.montando uma boa estrutura esse projeto dá certo como deu certo nos onibus da emtu/metra.nas linhas que saem do jabaquara,são mateus,santo andré e diadema o embarque é só com um bilhete magnético ou com o cartão.e dá certo.então é caso de organizar

  42. Santos, Sorocaba, Campinas e tantos outros municipios Brasil a fora ja passaram e passam por isso, a lei 12619 deve comecar a vigorar logo, quem sabe alguma coisa comece a surtir algum efeito!!!

  43. Eu sou cobrador,eu valido bilhetes de pessoas especiais e idosos,eu cobro passagens e no final de todas as viagens tenho em media cerca de 150 reais em maos para entregar na garagem..eu ajudo cadeirante a subir no onibus,oriento sobre os pontos e ajudo nas manobras..agora me diz como eh que apenas o motorista sozinho vai conseguir trabalhar fazendo isso na viagem toda? Isso vai atrasar muuuito a viagem,sem contaar nos muleques que vao pular a catraca e la no fundo do onibus vao usar drogas e destruir o onibus ne. O pior de tudo isso é que esses senhores jnunca andaram por linhas em que em media um onibus carrega por viagem de 120 a 230 passageiros por meia viagem corrida. Ficar sentado e ditando ordens é muito facil até eu faço isso. Agora imagina em media a 230 passageiros o motorista dar troco a 30 passageiros , e validar inumeros cartoes de idosos e deficientes fisicos e lidar com infratores passando por debaixo da catraca ou pior bulando …. acho dificil …. Parem pra pensar um pouco …

    • Infelizmente, o SINDICATO que deveria ser o maior defesnor de sua função, e$$$tranhamente apoia o que os empresários querem. Sindicato de trabalhador apoiando empresário e deixando cobrador ser demitido. Esquisito, não?

  44. Esse vereador Rodrigues é um MAL, só isso.

  45. JULIO RODOVIARIO // 9 de junho de 2013 às 15:35 // Responder

    saudação a todos companheiros rodoviários infelizmente os sindicalismos no BRASIL esta podre e corrompido aqui em BELO HORIZONTE esta do mesmo jeito temos que organizamos e colocar este pelegos para fora do mundo sindical.

  46. Andre Aparecido Ferreira // 10 de junho de 2013 às 00:03 // Responder

    Pode ter certeza de uma coisa os Patrões ja engordaram o bolso dos sindicalistas,queria que voltasse o tempo da ditadura ai sim a cabeça desses sindicalistas e empresarios seriam decepados na guilhotina e todos politicos que são donos e cabeças do crime organizado.

  47. Eu vejo a maioria falando de Santos mas Jundiaí não deu certo os onibus a ficarem sem cobrador precisou voltar com os cobradores se vc quer que todos os ônibus de São Paulo tenha cobrador assine a petição Já conseguimos 80 assinaturas faltam 20 assinaturas para a gente dizer para o prefeito Haddad ESTATAL JÁ abaixo assinado pela criação da Empresa estatal de Onibus em São Paulo para operar as linhas deficitarias, sistema PAESE em caso de greve das empresas de onibus urbanos, Metrô, CPTM e eventos entre no site e vamos assinar galera não é necessário fornecer nenhum documento.
    https://secure.avaaz.org/po/petition/pela_criacao_da_Empresa_estatal_de_Onibus_em_Sao_Paulo/?copy

  48. Que pouca vergonha, só pensam no lucro; as vidas dos passageiros não interessam. Se é assim, porque não posso dirigir falando ao celular o perigo não é o mesmo? Não, eu não posso, sou multada, pois querem o meu dinheiro(lucro) da INDÚSTRIA DA MULTA). Realmente é uma inversão total de valores.Depois que os evangélicos falam que já estamos vivendo o Apocalipse, dizem que são loucos, mas observem como essa Profecia está se cumprindo em todos os seus detalhes. Graças a Deus sou crente salva e quem quiser segurança e salvação, que aceite a Cristo como seu único e suficiente Salvador.

1 Trackback / Pingback

  1. Via Trolebus » Sindicato dos Motoristas é favorável a saída dos cobradores de ônibus em São Paulo

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: