PRODUÇÃO DE CARROCERIAS MOSTRA O BOM MOMENTO DO ÔNIBUS NO BRASIL. Marcopolo estima chegar em 30 mil carrocerias em todo o mundo

Produção de Carrocerias
Ônibus da Marcopolo. Empresa lidera a produção interna de carrocerias, com 10 mil 568 unidade entre as marcas Ciferal e Marcopolo. A segunda colocada é a Caio Induscar, com predominância no mercado de urbanos, com 6 mil 983 carrocerias.. O mercado está aquecido por vários motivos: as eleições municipais se aproximam e a qualidade dos transportes interfere na imagem política, o que faz as administrações incentivarem as renovações de ônibus, licitações regionais, a perspectiva quanto a licitação da ANTT que envolve mais de 1900 linhas de ônibus,m a antecipação da renovação de frotas que os donos de empresa têm feito para escaparem do preço mais alto dos veículos mais modernos que seguem regras mais rígidas de emissão de poluentes a partir de 2012, renovações programas e a preparação das cidades para modernizarem os sistemas, inclusive para a Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016. Foto: Adamo Bazani

Produção de carrocerias demonstra mercado aquecido
Líder brasileira do setor, Marcopolo, registrou crescimento de 24,6% no terceiro trimestre do ano. A empresa produziu mais de 23 mil carrocerias.

ADAMO BAZANI – CBN

O mercado de carrocerias de ônibus acompanha o de chassis e registra um dos melhores momentos do setor.
De acordo com a Fabus – Associação Nacional dos Fabricantes de Ônibus, foram produzidas de janeiro a setembro deste ano, 25 mil 632 carrocerias de diversos tipos: miniônibus, micro-ônibus, midi, urbanos e rodoviários. No ano passado inteiro, foram produzidas 32 mil 598 carrocerias, número que pode ser ultrapassado em 2011, como prevê o mercado.
A maior encarroçadora do mercado, Marcopolo, que engloba a Ciferal e a Volare, anunciou nesta terça-feira, dia 08 de novembro de 2001, que no terceiro trimestre deste ano, de julho a setembro, registrou crescimento de 24,6%. A produção do Grupo Marcopolo neste período foi de 8 mil 982 carrocerias. No ano passado, foram feitas entre julho e setembro 7 mil 223 unidades.
O mercado interno representou maior volume de produção, mas foi para o mercado externo que a produção mais cresceu.
Para o Brasil, foram feitas 5 mil 834 carrocerias, crescimento de 15,5% em relação ao ano passado. Já para o mercado externo, a Marcopolo produziu 3 mil 148 carrocerias para ônibus, número 39,4% superior em comparação a 2010. Ainda em realçao às vendas externas, a Marcopolo destacou os negócios para a Índia, Argentina e Colômbia.
De acordo com a Marcopolo, “o desempenho registrado na receita líquida no terceiro trimestre é fruto do contínuo e sustentado crescimento no mercado interno – 23,2% maior que no ano passado – e também da expansão dos negócios das unidades no exterior e com as exportações – com surpreendentes 29,3%.”
A receita líquida do terceiro trimestre foi de R$ 888.6 milhões.
Já no acumulado do ano, de janeiro a setembro, a Marcopolo afirma que cresceu 14,1% sobre 2010. O número de carrocerias atingiu nestes nove primeiros meses 23 mil 2423 unidades que geraram receita líquida de R$ 2,420 bilhões. Os números se referem a produção global, ou seja, da Marcopolo em todo o mundo, incluindo as 100 unidades fabris, inclusive as que estão localizadas no exterior.
Os números deixam a Marcopolo otimista para alcançar ou até superar a meta da empresa estabelecida para estes ano de produção de 30 mil 200 unidades, com receita de R$ 3,25 bilhões.
A certeza da Marcopolo se dá pela boa ocasião do mercado, como renovações antecipadas de frota, licitações como da ANTT, que vai remodelar todo o sistema de ônibus rodoviários interestaduais e internacionais (um universo de 1927 linhas), ritmo de crescimento econômico (principalmente no primeiro semestre) e encomendas já realizadas por frotistas que ainda estão sendo produzidas.
O diretor geral da Marcopolo, José Rubens de la Rosa, disse que comunidado divulgado à imprensa pela encarroçadora, que as perspectivas são boas para este ano e também para 2012.
“Cabe ressaltar que os resultados obtidos pela Marcopolo nos últimos anos são fruto de decisões estratégicas que se mostraram assertivas e de um programa de investimentos no montante R$ 330 milhões aplicados em modernização dos equipamentos industriais, no aumento da capacidade instalada e em treinamento e qualificação da mão de obra”, comenta de la Rosa.
“Segundo o executivo, no quarto trimestre de 2011 a produção segue acelerada, com grande participação de produtos de alto valor agregado. Para 2012, as perspectivas são bastante positivas e fatores como as eleições municipais; o início das aquisições dos ônibus para as linhas BRTs; a ampliação do Programa “Caminho da Escola”, e os eventos esportivos no Brasil, entre outros, deverão manter a demanda elevada” – de acordo com o texto para a imprensa exibido pela Marcopolo.

ACOMPANHE O NÚMERO DE PRODUÇÃO DE CARROCERIAS ESTE ANO

DADOS DA FABUS – ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS FABRICANTES DE ÔNIBUS

PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2011

ENCARROÇADORAS:

1º GRUPO MARCOPOLO (Marcopolo e Ciferal): 10 mil 568 carrocerias ( 6155 Marcopolo e 4412 Ciferal)

2º CAIO INDUSCAR: 6 mil 983 carrocerias

3º COMIL: 2 mil 911 carrocerias

4º NEOBUS: 2 mil 671 carrocerias

5º MASCARELLO: 1 mil 983 carrocerias

6º IRIZAR: 516 carrocerias

POR TIPO DE ÔNIBUS (entre todas as marcas):

1º URBANOS: 14 mil 578 (56,78% do mercado)
2º RODOVIÁRIOS: 5 mil 331 (20,8% do mercado)
3º MICRO-ÔNIBUS: 3 mil 534 (13,79% do mercado)
4º INTERMUNICIPAL: 2 mil 113 (8,24% do mercado)
5º MINIS: 76 (0,30% do mercado) – registrados pela Mascarello

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes