ESCÂNDALO NO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES: Novos nomes anunciados

crise no ministério dos transportes

Valec, a empresa estatal responsável por projetos, licitações e obras ferroviárias da malha nacional, é um dos órgãos ligados ao Ministério dos Transportes que mais irritaram a presidente Dilma Rouseff. Para se ter uma ideia do custo dos projetos ferroviários dentro do suposto esquema, o orçamento para as ferrovias que era de R$ 11,9 bilhões em março de 2010 pulou para R$ 16,4 bilhões em junho de 2011, aumento de 38%. Obras superfaturadas comneçaram com os recursos do PAC de Luís Inácio Lula da Silva

Anunciados novos nomes do primeiro escalão do Ministério dos Transportes
Não está descartada a exoneração de mais servidores suspeitos de ligação com esquema de obras ferroviárias e rodoviárias no setor de transportes

ADAMO BAZANI – CBN

O Ministério dos Transportes divulgou na noite desta segunda-feira, dia 04 de julho de 2011, os nomes de novos servidores quer vão ocupar os cargos de funcionários do primeiro escalão acusados de envolvimento num suposto esquema de corrupção na pasta.
No lugar de Luiz Antônio Pagot entra José Enrique Sadok de Sá como diretor executivo do Dnti – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes.
Na Valec, a empresa estatal que cuida da malha ferroviária do país, assume o comando da companhia Filipe Sanches, que vai acumular o cargo de diretor financeiro. Ele assume no lugar de José Francisco das Neves.
Na chefia de gabinete do ministro dos transportes, assume a função Wilson Wolter Filho (atual assessor especial) no lugar de Mauro Barbosa da Silva.

PAC, OBRAS DE TRANSPORTES E MOBILIDADE: UM NINHO DE CORRUPÇÃO:

Uma verdadeira fonte de renda de dinheiro sujo proveniente de propina, corrupção e superfaturamento.
São assim que podem ser consideradas diversas obras rodoviárias e ferroviárias sob responsabilidade do Ministério dos Transportes e de seus órgãos ligados, como o Dnit – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes e a Valec – Engenharia e Construções Ferroviárias, empresa do Governo Federal, responsável pela malha ferroviária brasileira, inclusive com atuação nos projetos onde há a participação da iniciativa privada.
Toda a festa do superfaturamento e do mau uso do dinheiro público tinha como uma das principais fontes de financiamento o engenhoso PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, cujo pai foi Lula, mas que deixou esse filho caro nas mãos da mãe do PAC, a presidente Dilma Rouseff.
O suposto esquema de corrupção nas obras dos transportes, revelado pela Revista Veja neste final de semana, teria comando do PR, Partido da República, aliado do PT, e que, por conta do seu apoio “ganhou” o Ministério dos Transportes, cujo chefe da pasta, Alfredo Nascimento, é filiado ao partido.
O partido cobraria, segundo as denúncias, de 4% a 5% de propina das empresas que fazem os projetos de transporte e de empreiteiras, para que elas participem e ganhem as concorrências e trabalhem sem nenhum inconveniente.
Além disso, a explosão dos valores de várias obras ferroviárias e rodoviárias seria uma condição para aumentar o faturamento de empresas, funcionários públicos e políticos que teriam participação no escândalo.
São aditivos demais em obras do PAC, mudanças de projeto com justificativas técnicas que depois poderiam ser contestadas até por quem não é especialista, idéias de obras mirabolantes, que chamaram a atenção da presidente Dilma Rouseff.
No dia 24 de junho, ela se reuniu com a alta cúpula do Ministério dos Transportes. Ao lado de Miriam Belchior, Ministra do Planejamento, e de Gleisi Hoffmann, Ministra da Casa Civil, Dilma determinou que Alfredo Nascimento explicasse o aumento repentino no valor das obras. Ela também obrigou a suspensão de novos projetos. Há suspeita de que algumas obras já nasceram superfaturadas.

OBRAS EM FERROVIAS SÃO ABUSIVAS:

Com planilhas nas mãos, Dilma Roussef disse que o Ministério dos Transportes estava descontrolado e classificou as obras em ferrovias como abusivas.
A elevação do orçamento em obras de trilhos em pouco mais de um ano foi de 38%, pulando de R$ 11,9 bilhões em março de 2010 para R$ 16,4 bilhões em junho de 2011.
A Valec, empresa criada pelo Governo Federal para contratar e gerenciar as obras na malha ferroviária brasileira, foi uma das maiores irritações de Dilma Rouseff.
Empreiteiras, empresários, fornecedores de peças e materiais, policias e assessores políticos que foram ouvidos pela Veja confirmaram que qualquer empresa poderia participar das obras de transportes: bastava pagar os 4% ou 5% para membros do PR, que a vitória na licitação, o superfaturamento dos preços e as vistas grossas aos aditivos estariam garantidos.
Além do ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, o esquema seria encabeçado, de acordo com a denúncia publicada pela Veja, pelo deputado Valdemar da Costa. O mesmo que em 2005 teve de renunciar cargo na Câmara por causa do escândalo do mensalão, envolvendo integrantes do PT e partidos aliados.

CGU ANALISA CONTRATOS:

A Controladaria Geral da União vai analisar todos os contratos e obras já realizadas a pedido do Ministério dos Transportes , Dnit e da ferroviária Valec.
Serão realizadas auditorias nas sedes do Dnit e da Valec bem como em representações regionais dos dós órgãos.
Entre 2009 e 2011 foram abertos 18 processos administrativos e instauradas sindicâncias pela Controladoria envolvendo funcionários do Dnit e da Valec.
Já o Ministério dos Transportes instaurou 150 processos administrativos, sendo 66 só contra obras sob responsabilidade do Dnit.
Já há temor de que muitas obras ferroviárias e rodoviárias sejam atrasadas por conta das irregularidades.
Outros servidores podem perder o cargo e algumas obras podem ser suspensas.
D e acordo com o site da Valec, a empresa tinha responsabilidade sobre as seguintes ferrovias:

• EF 151 – A Ferrovia Norte-Sul, que vai de Belém (PA) até Panorama (SP),
• EF 267, de Panorama, em São Paulo, a Porto Murtinho, no Mato Grosso do Sul, com 750 km;
• EF 334 – Ferrovia da Integração Bahia-Oeste, que, partindo de Ilhéus, na Bahia, chega a Figueirópolis, no Tocantins, onde se liga à Ferrovia Norte-Sul, num total de 1.490 km;
• EF 354 – Ferrovia Transcontinental, que partirá do Litoral Norte Fluminense e passará por Muriaé, Ipatinga e Paracatu, em Minas Gerais; por Brasília, no Distrito Federal, por Uruaçu, em Goiás; por Cocalinho, Ribeirão Castanheira e Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso; Vilhena e Porto Velho, em Rondônia; e Rio Branco e Cruzeiro do Sul, no Acre, até chegar à localidade de Boqueirão da Esperança, na fronteira Brasil-Peru. A Transcontinental terá, após concluída, um percurso de 4.400 km.

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

7 comentários em ESCÂNDALO NO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES: Novos nomes anunciados

  1. Escandalos nos governos petistas tem sido uma constante, chega a enojar.
    E a nova licitação que está vindo aí também terá corrupção, podem apostar nisso.

  2. Para mim, esta licitação do TAV é coisa de gente fanfarrão. SÓ BLÁ BLÁ BLÁ E NADA DE EFETIVO, as ferrovias atuais estão sucateadas, só olhar a ALL que desativou aonde havia via dupla e o material da via desativada foi usada para manutenção da via ativa. Afinal a privatização não foi para melhoria do transporte ferroviário??? Pergunta fica no ar….
    COM A PALAVRA……………

  3. Aproveito e pergunto ao poder PÚBLICO. Por que não investir nos trens regionais, aonde trafegam até 200 km/h que seria bem mais barata e bem mais viável???
    Por que não se pensa em ligações eficientes como SÃO-PAULO / RIBEIRÃO PRETO, SÃO PAULO / ARARAQUARA (Via São Carlos), SÃO PAULO / PANORAMA, SÃO PAULO / PIRACICABA
    SÃO PAULO / BAURU, SÃO PAULO / BARRETOS. que seria muito mais eficiente???

    Resposta: LOBBY DOS PEDÁGIOS E EMPRESAS DE ÔNIBUS.

  4. Aproveito e pergunto ao poder PÚBLICO. Por que não investir nos trens regionais, aonde trafegam até 200 km/h que seria bem mais barata e bem mais viável???
    Por que não se pensa em ligações eficientes como SÃO-PAULO / RIBEIRÃO PRETO, SÃO PAULO / ARARAQUARA (Via São Carlos), SÃO PAULO / PANORAMA, SÃO PAULO / PIRACICABA
    SÃO PAULO / BAURU, SÃO PAULO / BARRETOS. que seria muito mais eficiente???

    Resposta: LOBBY DOS PEDÁGIOS E EMPRESAS DE ÔNIBUS.
    graças à este LOBBY e o egoísmo de alguns, o BRASIL é o que é, um país sem ordem (pois ninguém respeita contratos e leis) e um país sem progresso.

  5. Trabalho em uma obra e vejo dia a dia a merda que esse povo da valec esta fazendo!!!
    ja via até diretor mandando jogar entulho e restos de construção em aterros ao invés de usar o material especificado, e nos relatórios o valor cobrado é como se fosse o melhor material do mundo.
    o corja de gente safado!!!

  6. Nada podemos fazer, essa é a verdade! MAS ………………………. existe um “CARA LÁ DE CIMA” (Deus) …………….. que esse sim, pode fazer TUDO! E diante Dele, a pizza q eles comeram aqui, vai causar indigestão.

  7. Estava passando a hora de alguem fazer alguma coisa aqui nomeu estado MS, o DENIT é um escândalo visivel, a BR 163 onhecida como a rodovia da morte precisa ser duplicada urgentemente, ninguem faz nada, o chefe do DENIT SR Marcelo Miranda so faz tapa burracos, e o dinheiro pra onde vai?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: